((( TODAS AS PUBLICAÇÕES ANTERIORES A ESTAS E ATUALIZAÇÕES ESTÃO NO BLOG A CASA REAL DE AVYON NA SEÇÃO ))): "ESSENCIAIS" "COLETÃNEAS" "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" .

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

NO EYES - 26-08-2011 - AUTRES DIMENSIONS

No Eyes - 26-08-2011




Eu sou NO EYES e eu os saúdo, Irmãos e Irmãs.

Enquanto Estrela VISÃO, eu venho, por minha vez, completar uma série de elementos, a fim de levar sua Consciência no que o olho (que vê a vida e que manifesta capacidades, bem reais, para descobertas) é, de fato, um elemento profundamente incompleto para apreender e ver a Vida, em sua Verdade e em sua Plenitude.

Eu os lembro, primeiramente, de que existiu sobre esta Terra, desde muito tempo, um Eixo de luz desviado que foi denominado ATRAÇÃO/VISÃO.


Eu não retornarei sobre este elemento porque isso foi desenvolvido e explicado longamente por alguns Anciãos. A estrela VISÃO, como vocês sabem, está perto da parte de trás da cabeça, no Triângulo da Terra, e que nós, nós chamamos também (nós, povo indiano, à época): o Olho do Guerreiro.

O Olho do Guerreiro, atrás da cabeça, é aquele que permite ver bem além do que os olhos podem mostrar, bem além do que pode ser mostrado pelo ‘3º olho’.
O Olho do Guerreiro é o que permite ver bem além de tudo isso, e de se dar conta da verdadeira Visão, aquela da Verdade, não afetada pelo que eu denomino um princípio de isolamento, presente sobre este mundo.

A Porta Visão, como vocês sabem, está situada no que é chamado de fígado.



Naturalmente, o corpo é modelado, como vocês sabem, sobre forças originais que, inicialmente, são o reflexo e a densificação do Grande Espírito.
O que não quer dizer, é claro, que o Grande Espírito tenha um fígado.

Isso significa simplesmente que o Grande Espírito, em seu desdobramento e em todas suas Dimensões (A FONTE), apresenta funções similares, não atribuídas a um órgão (como se pode perceber e viver, na carne, aqui), mas a um conjunto de funções que são semelhantes. Vocês sabem também que a Visão, ao nível do desdobramento da Luz, está situada entre a alma (ndr: Porta AL) e a Precisão.

Pelo seu papel, devido ao que foi transformado, esta zona está ligada a muitas outras coisas. E, em primeiro lugar, existe um acoplamento direto entre o olho que vê e a emoção. Na realidade, nós todos sabemos que, quando nós vivemos, o que nós chamamos de lembranças, nossa memória, e nossos sonhos, estão todos ligados a ‘imagens’, a cenas de vida.

Mesmo ao nível do que foi denominado invisível (perceptível, ao nível astral, no que é chamado de 3º olho), tudo isso está ligado a visões, tudo isso está ligado a imagens, de cores, de associações de formas, tudo o que pode definir, de algum modo, a visão. Esta visão, esta primeira visão, está profundamente associada a tudo o que é chamado de emoções, e obviamente, nós conhecemos, todos, isso, durante nossa vida, e vocês o conhecem ainda.

O próprio princípio do reconhecimento (de nossa família, dos nossos seres que nos são caros, próximos de nós) faz-se, é claro, pela voz, pelos odores, mas se faz antes de tudo e principalmente pela visão. Mesmo a expressão da observação da vida, da beleza (mesmo, ainda uma vez, se isso pode passar por outros sentidos) está diretamente conectada, eu diria, ao que nós sentimos.

De certa forma, a visão no sentido ocular é uma impressão.
Esta impressão, vocês sabem, é realizada no olho. E é esta impressão que vai ser enviada e dar (na Consciência, no cérebro, e no conjunto do corpo) elementos de apreciação, de impressão e de reação. Quem não tem a lembrança, mesmo entre vocês, de uma imagem ou de um amigo de infância que pode, simplesmente na evocação e em um sonho, reativar uma emoção?

Naturalmente, a emoção pode ser vivida também com o conjunto dos sentidos.
Mas a visão está ligada preferencialmente à lembrança, e esta lembrança é sempre muito viva, muito mais, por sinal, que pelo olfato, mesmo se isso esteja presente, ou pelos outros sentidos. A visão está muito mais conectada, eu diria, à emoção.
Como nós todos o sabemos, o que nós vemos, nós, humanos, quando nós estamos em um corpo, não é o que veem outros animais, outros mamíferos.

Obviamente, o que vê um peixe não tem nada a ver como o que vê um olhar humano. As emoções estão ligadas, portanto, de maneira talvez muito forte, ao que é visto. E o que é visto, o que imprime o olho, a retina, está então ligado diretamente a uma imagem, esta imagem que é um ‘estímulo’. Um caçador que percebia ou que sentia um búfalo, podia, naquele momento, precisar tanto uma localização, como um espaço, como uma direção, em relação ao que era visto.

O que quer que seja, a imagem da visão é apenas uma reconstituição, correspondendo a um conjunto de sucessões de palavras, evocando às vezes a emoções, mas também um conteúdo. O búfalo é que tínhamos para comer, o que havia para evitar o sofrimento da fome, para cobrir-se, para fornecer o fogo, por sua gordura. O olho é então impressionável, e o olho vai então reagir à imagem.
É preciso compreender que a imagem é uma ‘projeção’, qualquer que seja a imagem. Tudo o que é visto com os olhos é visto, é claro, no exterior.

Mesmo o que é visto ao nível do 3º olho, é visto, necessariamente, no exterior.
O que é profundamente diferente do que eu desenvolverei, logo depois, sobre a Visão Etérea e a Visão do Coração. Portanto, a visão, a imagem, vai nos levar a mecanismos muito lógicos de atração (o olhar é atraído), a mecanismos de rejeição, também, sem, contudo, que isso possa ser explicado, frente a tal pessoa, frente a tal imagem.

Evidentemente, há apenas a imagem.
Dão-se conta muitas coisas, é claro, ligadas ao sentido, e também a outra coisa, mais sutil, invisível.

Mas a imagem é também um elemento que permite, além da linguagem, compreender-se. Porque, é evidente, na mesma língua, a mesma imagem gera a mesma palavra. Mesmo se essa palavra tenha uma conotação profundamente diferente para cada um, pelo fato de pronunciar a palavra cadeira, mesmo se cada um possa ali ver uma cadeira totalmente diferente, o fato de ver um objeto, de nomeá-lo, é então, vocês hão de convir, uma identificação. Esta identificação do exterior (através de um objeto ou do que quer que seja) faz-se, preferencialmente, por esta imagem.

Naturalmente, como eu dizia, as imagens percebidas por outros reinos da natureza não têm nada a ver com o que percebe o ser humano. A visão, a imagem, é de qualquer maneira adaptada à função, inscrita no programa de vida, eu diria, do ser humano. A águia, por exemplo, não tem a visão do homem, e sua visão permiti-lhe detectar um movimento bem distante. Há uma visão estendida, uma visão panorâmica onde o movimento, onde a diferença de cores vai assumir uma importância especial.

Talvez vocês saibam que é possível viajar em um animal, emprestar o corpo de um animal. Existem, em meu povo, e em muitos povos primitivos, meios de colocar sua Consciência e viver sua Consciência em um outro corpo. Aqueles que vivenciaram essas experiências sabem muito bem que a visão da águia não tem nada a ver com a visão do homem.

E que esta visão é sempre colorida pelas necessidades do programa de vida, permitindo um processo que vai adaptar a visão ao programa de vida.
É então muito lógico compreender que, o que é visto de volta, as imagens que são vistas, vão programar, por sua vez, uma série de coisas no ser humano.
Porque, contrariamente aos animais que têm um programa de vida que resulta de sua própria função, o ser humano tem a possibilidade de levar seu olhar, sua visão, a coisas que podem ser profundamente diferentes a um outro ser humano.

Sem contar os meios que vocês têm à sua disposição para multiplicar as imagens, e ir bem além do que pode ver, habitualmente, um olho, em seu ambiente.
De qualquer modo, hoje, o ser humano tem a possibilidade de ver o que ele não veria sem a tecnologia. Mas tudo o que é mostrado por esta tecnologia é sempre em vista, e de acordo, com a imagem que percebe o olho: não ocorreria a ninguém a ideia de mostrar alguma coisa que não pudesse ser reconhecida pelo olho.

Em todo caso, existe então uma concordância, nessas imagens reproduzidas, mostrando-lhes o que não pode ser visto pelo olho, habitualmente.
E isso se entende, é claro, em todas as áreas. E não apenas no que está sobre a Terra, mas também o que a ciência pode observar bem além da Terra, o que o olho humano não poderia jamais observar.

O homem, diferentemente do animal, está então apto a escolher o que ele vai olhar. Ele é então livre para levar seu olhar aí onde ele é atraído, aí aonde ele vai retirar, não necessariamente, uma utilidade de vida, mas também aonde ele vai poder estimular, e elevar, por vezes, sua alma, como, por exemplo, observar, contemplar uma obra de arte (da mesma maneira que, ainda uma vez, isso é possível coma música).

O olho é o sentido o mais ligado à consciência.
E é também o sentido o mais facilmente alterável.
Eu entendo por alterável que pode existir uma forma de sedução (que não vai ao sentido da sedução habitual com, por exemplo, olhar um ser amado, ou um prato que se vai comer, ou ainda uma obra de arte) que pode transformar a consciência do homem, e levá-lo a aderir a coisas que não estavam em sua cabeça anteriormente.

De tudo isso o que, durante minha vida, eu teria chamado de homem branco, mas que hoje, a quase totalidade da humanidade tem usado de maneira muito importante. E algumas invenções, ligadas às imagens, assumiram um lugar cada vez mais importante na vida do ser humano, subjugando-o, e levando-o a viver um programa que não era necessariamente o seu, um programa que não era necessariamente isso para o que o olho for elaborado e criado sobre este mundo. Tudo isso vai instalar no homem modificações. Obviamente, vocês poderão olhar imagens, no que vocês chamam de cinema, tanto para ter medo como para ver belas imagens, ou ver alguma coisa que lhes interessa.

Mas a imagem serve apenas para isso.
A imagem que lhes é mostrada, por toda parte neste mundo, hoje, é destinada apenas a uma única coisa, e a uma somente: incitá-los a sempre mais atração a este mundo, em detrimento dos outros Mundos. E se pode dizer que em um século, essas imagens desempenharam perfeitamente seu papel e cumpriram sua missão, que era então incitar o ser humano para mais emoção, para mais atração neste próprio mundo, pelo princípio de sedução e de prazer.

O ser humano, hoje, está cada vez mais condicionado pela imagem.
Esta imagem, aliás (que é buscada mesmo na consciência e na evolução, na transformação da consciência, e que é onipresente nisso que vocês nomeiam uma busca espiritual), fazendo-os projetar no exterior (na capacidade para ver pelo 3º olho, e não mais pelos olhos), visualizar, imaginar, criar, de qualquer maneira, imagens, que vão atraí-los para o objeto de sua busca.

Tudo isso, é claro, dando ao homem o sentimento de progredir desde que, na tela de seus fechados, apareçam imagens que tenham relação com o que o homem procura em sua busca. Existe, mesmo, nos povos primitivos, um processo chamado de ‘busca da visão’ (que isso seja nos sonhos ou, de maneira consciente, ou com substâncias que permitem recriar alguma coisa, em imagem), a fim de viver a experiência desta imagem e, eventualmente, modificar um equilíbrio da consciência.

A visão é, portanto, uma percepção (qualquer que seja a beleza e a intensidade do que é visto e do que é manifestado) através da imagem: de algum modo, uma tela, em todos os sentidos do termo (e essa palavra já foi empregada). A imagem é uma tela que impede a percepção direta. Como vocês sabem, pelo meu nome, a visão dos olhos era impossível para mim.

E será que, no entanto, eu não via?
E será que, no entanto, eu não captava, bem mais amplamente do que a imagem e do que a tela, os mecanismos da vida? Hoje, neste mundo, é preciso falar de duas coisas. Primeiro o que foi chamado de Visão Etérea, ou seja, a visão que permite ver, com os olhos abertos, além da frequência habitual.

A ação e o Sopro do Grande Espírito têm, de fato, para cada vez mais seres humanos, modificado a característica de impressão, no olho, do que é visto.
E é muito simples, realmente: trata-se de uma ampliação, ao mesmo tempo, da consciência e da capacidade do olho, para ser impresso em faixas de frequências que lhe eram anteriormente invisíveis.

O que explica que muitos Irmãos e Irmãs veem o Sol diferentemente, veem a Luz Adamantina e veem formas, contornos que ele não viam antes, ao redor das pessoas, dos objetos. Coisas novas então se imprimindo, que não se imprimiam antes. Então, é claro, esta visão, que se modifica e que dá a Visão Etérea, está ligada a modificações, a aberturas que se fazem pelas novas frequências, aí também.

E que permite a algumas almas ver, pelos olhos, o que era invisível anteriormente.
Esta Visão Etérea é uma Visão com os olhos abertos, que eu diferencio, formalmente, da visão com os olhos fechados, chamada de visão do 3º olho (ou visão astral), qualquer que seja o grau de perfeição e de visão. O ser humano, desde algumas gerações, manifesta espontaneamente (muito mais do que em minha vida, ou antes) a capacidade para se projetar nesse 3º olho e para ali criar imagens, visões. Porque a época, é claro, antes mesmo do desdobramento da Luz, começou a se modificar, em seus fundamentos.

A imagem, como eu disse, tornou-se preponderante, na civilização, pelo aparecimento de luzes em uma época em que, normalmente, não havia luz, à noite. O homem foi capaz, então, de crias luzes e imagens independentes dos ciclos naturais. É este elemento principal, que vocês têm chamado de ‘eletricidade’, que permitiu, de alguma maneira, estimular esta visão do 3º olho, essas capacidades para criar imagens em uma tela da cabeça.

E, depois disso, pôde aparecer um conjunto de ensinamentos que iam ao sentido desta tecnologia. E vindo então nutrir o homem de imagens, diferentes do que os olhos podiam ver, diferentes, também, da Visão Etérea que, ela, está diretamente ligada à consciência e não à tecnologia. A tecnologia então fez aparecer capacidades específicas no ser humano, que vocês nomearam, aliás: visualização, ‘3º olho’.

Esses processos propiciaram o acesso a ainda mais sedução, a ainda mais atração.
As capacidades da alma para ver além do visível e ver então, não o que é subjacente e que existe ao nível da Visão Etérea, mas sim ver uma trama, uma imagem, que não existia antes (ou, em todo caso, que não era percebida ao nível da humanidade). A visão astral, aí também, está em relação com a Estrela VISÃO, na cabeça, e com a Porta VISÃO no fígado.

Porque através dessas visões novas é que puderam ser elaboradas seduções e atrações, tendo feito submergir a alma em ainda mais materialidade, ainda mais sedução. E que a afastou, ainda mais, da Visão do Coração e da Visão que independe dos olhos. O ser humano foi movido, por todos esses princípios do que era visto e mostrado, a afastar-se e a mergulhar, de algum modo, a alma em alguma coisa de mais redutor.

A impressão de ver mais coisas, a impressão de ser submerso nas imagens.
E vocês sabem hoje o que essas imagens representam, seja através do que eu falei, o cinema, do que vocês nomeiam de jogos de vídeo, e que, finalmente, os remetem à ‘virtualidade’ (mesmo se o que é mostrado corresponde a alguma coisa que poderia ser visível ao olho, para aquele que está no ambiente correspondente, de algum modo, ao que é visto).

Então, é preciso compreender também que ver na natureza, uma árvore verde, não tem de todo o mesmo efeito do que ver uma imagem, sobre uma tela, da mesma árvore verde. E disso, poucos seres humanos estão conscientes, porque para eles é a mesma árvore. Obviamente, ela não pode ser tocada, mas o que é visto, nos dois casos, é, a priori, para muitos Irmãos e irmãs, a mesma coisa.

Ora, estritamente não é.
Porque o que é mostrado na natureza, uma árvore, por exemplo, é portadora de um sinal que não é de todo o mesmo sinal do que o que é visto através da imagem.
A imagem que se reproduz (a imagem que não é o objeto real, mas a imagem do objeto) vai provocar, ao nível do cérebro e da consciência, ainda mais atração para a Ilusão e para o que é falso. Eu não tenho as palavras que correspondem às explicações reais, técnicas e científicas deste processo, mas é perfeitamente concreto e perfeitamente real.

As imagens que lhes são mostradas (seja uma obra de arte em duas dimensões, seja uma imagem projetada por suas telas), afastam-nos progressivamente, e isso foi concebido para isso, de Verdade. Até um nível onde houve, e há agora, uma impregnação possível, direta, da consciência, para afastar o ser humano do Coração. Reforçando, de alguma maneira, o que é denominado energia do fígado, energia da visão (mas não da verdadeira Visão), energia da atração, do desejo, e das emoções.

Portanto, é claro, o homem moderno pensa que ele está mais vivo do que nós, por exemplo, em nossa época, porque ele está submetido a mais estimulação, mais emoção, mais compreensão. O ser humano, pouco a pouco, no ocidente, afasta-se do efeito do objeto olhado, para substituí-lo por uma imagem do objeto que, ao nível do que é produzido na consciência, não tem nada a ver. Então, eu posso perfeitamente compreender que, para alguém que gostaria de ver uma águia e que não tem oportunidade de vê-la, vê-la em uma imagem é já apaixonante.

Mas ver uma águia na natureza, não é ver uma águia em uma imagem.
Isso se traduz, ao nível da consciência, do cérebro e do fígado, por um mecanismo totalmente diferente que vem reforçar, de alguma forma (e ilustrando o que eu acabei de dizer), a possibilidade de ver ao nível astral, de ver o que é chamado ao nível do 3º olho.

Dessa maneira, então, vocês viram aparecer técnicas permitindo trabalhar nos sonhos, na visualização, nas lembranças, mesmo. Tudo isso apenas teve um objetivo, e apenas um: afastá-los definitivamente da Visão do Coração e os mover, por esse símbolo do olho, a mais Ilusões, a mais virtual. E para aqueles que seguiram o que lhes disseram os Anciãos, vocês entram, e vocês entraram desde vários anos, em algo que é, como eu nomearia, o ‘virtual do virtual’.

Vocês estão (como dizem nossos amigos e nossos irmãos orientais) em um mundo efêmero, denominado Maya (Ilusão), e, nesta Ilusão, são criadas realidades virtuais, ou seja, um outro estágio, afastando-os ainda mais da verdadeira Vida e da verdadeira Visão. Então, é claro, a modificação das frequências no ser humano, que é produzida desde pouco menos de 30 anos, permitiu desenvolver, de maneira mais recente, esta Visão Etérea: ou seja, ver com os olhos, além do que veem os olhos.

Mas não algo de virtual, pelo contrário, alguma coisa que subtende a Ilusão e que se situa aí, por outro lado, não mais na Ilusão (ou no virtual da Ilusão), mas na realidade da Verdade. As forças etéreas que estão em operação são, muito exatamente, as forças que permitem a ‘densificação da matéria’, e então vocês têm acesso, para alguns de vocês, a esta Visão. Em seguida, há a possibilidade, quando o acesso ao Espírito, à Unidade, se manifesta pelo que vocês conhecem como Vibrações, de entrar na Visão do Coração.

É aquela que eu expressava em minha vida.
A Visão do Coração dá-lhes o Conhecimento.
Não um conhecimento visual ou imaginado, mas o Conhecimento real, isto é, a verdadeira Profundez, tanto da alma, e principalmente do Espírito (e não do astral, ou do ilusório, ou de um mundo emocional).

A Visão do Coração dá-lhes acesso à Visão que não está mais limitada a um espaço, a uma direção ou a um objeto, mas que vai penetrar no que eu denominaria a própria essência do mecanismo, que aparece como real neste mundo, que é a Ilusão.

É Ver além das aparências, é Ver, não mais somente em uma direção, mas em todas as direções. E é, sobretudo, a possibilidade de Ver através, de não mais ser parado pela densidade, de um corpo ou de um objeto, mas de passar a ver a Essência do objeto. Isso não tem qualquer relação com a visão astral, mas é bem a Visão real, o Conhecimento Direto, da Visão do Coração.

A Visão do Coração não tem emoção.
A Visão do Coração vai mostrar-lhes a Transparência, e ela vai mostrar-lhes o conteúdo exato da Luz. A Visão do Coração não separa, ele contribui para manifestar e estabelecer a Unidade da Consciência.

A Visão do Coração caracteriza-se por sua não localização.
Ela é totalmente panorâmica, bem mais do que a visão de uma águia.
Ela permite, de algum modo, abraçar (desde o que eu denominaria as emanações ou o princípio) até as forças Etéreas e, sobretudo, o conteúdo de Luz existindo através de um objeto, de uma pessoa, ou do que quer que seja.

E, aliás, na Visão do Coração, vocês compreendem, porque vocês a vivem, que não há nada, estritamente nada, para Ver no exterior. Porque é naquele momento que vocês percebem, realmente, que o que era visto no exterior era apenas uma projeção: mesmo a águia que voa no céu está totalmente presente na Consciência Una, na Visão do Coração.

Não é mais possível, na Visão do Coração, considerar o que quer que seja como exterior a si. É o que dá este caráter do que é imediato, esta capacidade para não mais separar, para ser Transparente, si mesmo, para ver a Transparência, E para experimentar o Conhecimento, aquele que é a Visão do Coração, e não a projeção, através do filtro do mental ou de alguma coisa exteriorizada. Deste modo, a Visão do Coração vai propiciar-lhes Ver a Luz (a verdadeira Luz, não aquela do Sol alterado pela atmosfera).

Ela vai propiciar-lhes Ver o Mundo, como eu disse, as Causas.
E além desse Mundo, ela vai dar a Visão penetrante e justa, e não mais exterior, já que o exterior está em vocês e então, naquele momento, há, através da Transparência, uma capacidade total para tornar seu o que é visto, para conhecer, de alguma maneira, os prós e os contras. A Luz, nesses casos (do que é percebido como objeto, como pessoa ou como o que quer que seja), não é mais uma emanação exterior, aparecendo como o que vocês poderiam chamar de aura (que é astral), mas sim no próprio Interior do objeto, da pessoa, ou do que é observado.

E vocês são a Luz no Interior desta Luz.
Não há mais distância nisso que é visto.

Vocês não colocam mais barreira porque não há mais barreira.
E a visão que era (tanto ao nível da visão dos olhos, como da visão astral, ou ligada ao 3º olho, ou do sono) uma visão de separação, torna-se uma Visão de integração e uma Visão que lhes dá o Conhecimento. Este Conhecimento não é um mecanismo intelectual, nem um conhecimento esotérico, é unicamente um conhecimento direto, pela fusão da Essência, em si, com tudo o que é talvez olhado e observado, neste mundo como nos outros Mundos.

A visão dos olhos, a visão astral, é uma projeção.
Enquanto que a Visão do Coração é uma introjeção, ou seja, algo que acontece no Interior de vocês, onde não existe mais qualquer distância. Não há então necessidade de olhar aqui ou ali, já que tudo está no Interior e se vê no Interior. Esses processos, a Visão Etérea, é, no momento, a Visão que se desenvolve a mais facilmente. Atualmente, a Visão do Coração começa a aparecer.

Esta Visão do Coração não é uma aparição.
Eu vou tomar um exemplo que vocês irão compreender, em todo caso, os ocidentais: uma aparição (como é dito, por exemplo, da Virgem Maria) que seria percebida no exterior, seria apenas uma Ilusão. A Visão do Coração, de MARIA, no Interior de si, e onde a Luz está no Interior e não mais emitida no exterior, é a Verdade.

É-lhes então mais fácil, através disso, talvez compreender e viver que tudo o que pode ser percebido no exterior, e, sobretudo, se a Luz é emitida ao redor (como isso foi representado pelos artistas), é apenas uma Ilusão. Que não tem mais realidade do que o que lhes mostram seus olhos, tributários deste mundo. A Visão do Coração vai dar-lhes toda outra coisa, porque naquele momento há realmente aparição no Interior e não mais no exterior. E então um Conhecimento direto, correspondendo, em todos os povos, ao que foi dito: que tudo está no Interior do ser, e não no exterior.

Essa Reversão da Visão, ou seja, da visão dos olhos e da visão astral, para a Visão do Coração, é um processo essencial durante a passagem na Consciência da Unidade e no Corpo de Ressurreição (ou no Grande Espírito, ou no Corpo de Estado de Ser, segundo a denominação que vocês queiram lhe dar).

Este mecanismo ocorre, real e concretamente, no Interior de si e não no exterior.
Vocês veem então porque, no que nossos amigos orientais denominam Idade Sombria, que começou a existir desde que apareceu o que foi chamado, eu creio, no ocidente, o século das luzes: paradoxalmente, quando o século das luzes apareceu, então se revelou o que vocês chamam de Idade Sombria.

Houve necessidade de manifestar, no exterior, o que já estava presente no homem, fazendo-o ficar subjugado por sua própria criação exterior, mais do que por sua Criação Interior. Houve, aí, uma reversão e um conhecimento que se tornou exterior, e não mais interior, passando pelo filtro dos olhos, o filtro do intelecto, da razão, e afastando, cada vez mais, o ser humano de sua possibilidade de Conhecimento, real, Interior.

Vocês veem então, através do olho e da visão, e as diferentes visões atuam na totalidade dos processos de alteração e de falsificação. É por isso que é tempo, agora, de retornar ao olhar Interior: aquele do Coração, da Visão Interior. E talvez já aceitar, qualquer que seja o estado de consciência que vocês têm manifestado, no momento, conceber que absolutamente tudo, concreta e realmente, pode apenas encontrar-se no Interior de vocês.

Dito em outros termos, o Grande Espírito é vocês mesmo.
Dito em outras palavras, tudo está no Interior, e unicamente no Interior.
Isso não é uma invenção da imaginação ou um mecanismo mental, ou intelectual, mas sim a Realidade total que irá permitir-lhes passar da projeção à introjeção.
É por isso que a oração, ligar-se ao Grande Espírito, se faz na maioria das vezes de olhos fechados.

Portanto, mesmo se nós sabemos (e nós o experimentamos, nós também, no meu povo) que há uma possibilidade de absorver-se Interiormente na contemplação de alguma coisa, é, no entanto, muito mais fácil interromper a visão dos olhos, e também a visão astral. A visão astral vai dar-lhes uma visão onde a luz está no exterior do objeto (ou do sujeito), não tendo nada a ver com a Visão do Coração, onde a luz está no Interior do objeto ou do sujeito.

É exatamente o inverso, ou se vocês preferirem, um negativo, em termos de imagem. E depois, sobretudo, a visão exterior, a visão astral ou do 3º olho, necessitará sempre de uma interpretação (através de símbolos, através do filtro do mental), enquanto que a Visão do Coração acontece independentemente de qualquer interpretação, porque ela é significante por ela mesma, porque ela age diretamente pelo Conhecimento e, pelo próprio mecanismo que está em jogo, na compreensão direta do que é Visto.

Em um caso, na visão dos olhos e na visão astral, há atração do pensamento no exterior, e incapacidade para viver o conhecimento, mesmo se isso possa seduzir um número importante de seres humanos, mesmo ao nível espiritual.

A Verdade jamais será essas projeções.
A única Verdade está no Interior do Coração, no Templo Interior, porque o conjunto dos Universos e o conjunto de todas as Criações encontram-se no Interior. Novamente, isso não é uma invenção da imaginação ou um mecanismo abstrato, mas sim a estrita Verdade do que é, realmente, a Vida. Portanto, a Visão do Coração apenas pode aparecer se o Eixo ATRAÇÃO/VISÃO já está, em parte, redirecionado, se a Cruz que foi chamada de Redenção foi executada, ativada, de algum modo.

Naquele momento (eu não retornarei sobre isso), partes do corpo põem-se a Vibrar, permitindo o início da Visão Etérea e, em seguida, para alguns, a Visão do Coração, onde tudo está no Interior. Quando nós dizemos (os Arcanjos, nós, Estrelas, e os Anciãos) que nós estamos no Interior de vocês, isso não é uma invenção da imaginação ou uma satisfação do que quer que seja: é a estrita Verdade. Simplesmente, resta emergir esta Consciência, e a única maneira de fazê-la emergir é entrar vocês mesmos no Interior, para verificar.

Mas entrar no Interior não pode fazer-se enquanto existe uma visão e uma atração voltadas para o que quer que seja do exterior. Isso poderia ser denominado um apego, qualquer que seja. Um apego (seja ao que nós chamamos de filhos, seja ao que for do exterior) levando-nos, inevitavelmente, na projeção e, portanto, na ausência de interiorização ou de introjeção.

E isso nos afasta, efetivamente, da Consciência do Si, do próprio Si.
Enquanto esta Reversão final não for efetuada, é muito difícil viver, por si mesmo, a Verdade. Podemos apenas aderir às palavras, mas as palavras não são tampouco a Verdade enquanto isso não for vivenciado, com pleno Conhecimento, no Interior do Coração. Porque, naquele momento, e apenas naquele momento, vocês podem superar a mera crença das palavras, que diz que tudo está no Interior e que este mundo é Ilusão, mas vivê-lo realmente.

O desdobramento da Luz, realizado pelo Anjo METATRON, pelo Grande Espírito e pelo conjunto daqueles que participam da Luz, é uma oportunidade importante para desviarem-se do que é exterior, e para Ver, realmente, a Verdade. Naturalmente, o Eixo ATRAÇÃO/VISÃO está profundamente ligado à sedução e ao apego. Como havia dito um dos Anciãos: enquanto vocês estão apegados seja ao que for, vocês não podem ser Livres.

Ainda uma vez, e eu o digo por mim também, isso não quer dizer desvencilhar-se de tudo o que é exterior, mas o ver tal como é: isso é apenas uma ‘projeção’. E esta projeção passando, então, do que é Interior para o exterior, é alterada, afastando-os e pondo uma distância, por exemplo, entre vocês e a águia (ou entre vocês e o objeto, ou a pessoa, ainda, que vocês amam). Daí resulta toda esta atração para a necessidade de possuir, ainda mais, o que se está apegado, mesmo muitas vezes reivindicando a liberdade para o outro.

Os jogos da visão arrastam para sempre mais densidade, para sempre mais afastamento, para sempre mais sofrimento. Porque, enquanto existir um objeto exterior, ele estará sempre mais distante de vocês, mesmo se vocês o tocam, mesmo se vocês dormem com ele todas as noites. Mesmo se vocês mimam, com olhar e com sua atenção de mãe, um filho, ele jamais será vocês enquanto ele for projetado no exterior.

A mudança de olhar, ou seja, passar do olhar dos olhos e do olhar emocional ou astral, para o Olhar do Coração, irá fazê-los viver, naquele momento, a ausência de distância. Fazendo-os conscientizar que absolutamente a totalidade do que é visto no exterior, existe no Interior, e que é unicamente no que está no Interior que não pode ali ter distância, e que o Conhecimento é real. Esse processo necessita, efetivamente, estar lúcido sobre o que vocês olham no exterior, o que denominamos, ainda, ‘ponto de vista’.

E por sinal, na linguagem humana, quando dizemos: “eu vejo”, é exatamente o inverso que acontece: nada se vê. Porque nada pode ser visto no exterior, e ainda menos no mental, e ainda menos no emocional. É preciso então, aí também, fazer uma Revolução do Olhar, ir sem medo para o Olhar que os Libera, para o Olhar da Consciência que é o Olhar Interior.

Porque, como não há distância no olhar Interior, e quando vocês vivem naquele momento que tudo, absolutamente tudo o que é visto no exterior é apenas uma pálida cópia e uma pálida imagem do que está no Interior, então, naquele momento, vocês vivem o Conhecimento.

Uma vez já estando no Interior de vocês, nada há a proteger, nada há a se apegar.
Há apenas que viver o Conhecimento da Visão do Coração.
Dessa maneira, vocês irão conhecer o conjunto da Criação.
Não poderá mais existir atração exterior, não poderá mais existir desejo de projeção exterior, já que o Coração e a Visão do Coração são a Plenitude total, já que tudo ali está incluído e nada está separado.

Eis ao que, nesta época em que vocês estão encarnados, os chama, agora.
Esse desdobramento da Luz Vibral (que muitos de vocês percebem, em si ou pela Visão Etérea) é, na realidade, um desdobramento Interior. O que se revela exteriormente é, de fato, o desdobramento no Interior de vocês mesmo e, portanto, um processo que põe fim a toda distância, a toda separação, mas também a todo apego exterior.

Isso é apenas ao aceitar ir para esta Profundez (diferente da profundez da atração), isto é, aceitando que a alma não seja mais voltada para os mecanismos de atração deste mundo (e quando eu digo deste mundo, eu não falo da vida deste mundo, mas sim deste mundo), e ao considerar a vida não mais sob o mecanismo de projeção exterior, mas sim como um mecanismo de introjeção Interior, onde não há necessidade de manifestar a menor emoção, o menor apego (já que tudo já está em vocês, e Livre) ou o menor sofrimento.

Sob o ângulo que eu lhes falo, o sofrimento é apenas o resultado de uma visão exterior e de uma imagem.

A Leveza, a Alegria, está diretamente em associação e em ressonância com a Visão Interior. A Luz Vibral, que se revela e que os chama, é verdadeiramente a oportunidade final de conscientizar as algumas palavras que eu empreguei, e de fazer a experiência, por si mesmo (bem além das palavras, porque as palavras de nada servem se elas não são acompanhadas da experiência), desta Visão Etérea. E, sobretudo, desta Visão do Coração que não conhece absolutamente os limites e os tormentos da visão exterior, quaisquer que sejam os aspectos sedutores que, sempre, os afastam de vocês mesmos.

Lembrem-se também de que hoje, para vocês, se vocês o aceitam, isso irá se tornar cada vez mais fácil. Desde que vocês cessem toda projeção exterior, desde que aceitem olhar no Interior e se tornar, por isso, totalmente Transparente, a fim de ali ver todas as Transparências possíveis e toda a Criação, não mais como uma densidade exterior projetada, mas sim como a Realidade final da Consciência.

Aquele que percorreu os povos, chamados, hoje, de ocidentais, há 2.000 anos, disse-lhes isso sob diferentes formas. Ele lhes contou isso durante a Tentação de CRISTO no deserto, e em muitas outras ocasiões. Lembrem-se também de que a visão dos olhos (e a visão astral) sendo, por essência, emocional, vai arrastá-los sempre para uma busca de emoções, e jamais para a estabilidade.

Ela vai levá-los a julgar.
Ela vai levá-los a julgamentos de valor.
Ela vai levá-los a distanciar-se e a separar, pelo princípio do eu amo / eu não amo, coisa que não pode absolutamente existir na Visão do Coração. A visão exterior será então sempre uma sucessão de desejos (satisfeitos ou não), de frustrações e de prazeres, mas jamais será a Alegria porque, por definição, vocês não podem olhar, permanentemente, a mesma coisa no exterior quando no Olhar do Coração e na Visão do Coração, tudo já está em vocês.

E isso, é claro, muda totalmente a consciência, o humor e o conjunto das manifestações da consciência, já que naquele momento não há mais projeção, e então não há mais apego, e então não há mais sofrimento ou alternância de prazer e de frustração. Há, naquele momento, o que foi chamado de Alegria da Unidade (e de outros termos, por nossos amigos orientais).

Ao revelar o que eu desenvolvi, eu espero ter suscitado, em vocês, esta capacidade para viver a Reversão. Apreendam-se bem, aí também, de que não é porque se está desapegado, que se rompeu os apegos, que se se torna separado. Bem ao contrário já que, rompendo os apegos, não pode mais ali ter separação, e que tudo está inscrito no Interior de si.

Então, é claro, os jogos do ser humano, nas relações que envolvem apego, em tudo o que é chamado de laços que são estabelecidos (da carne, do sangue, afetivos também, mesmo se eles não são de sangue), vão afastá-los desta Visão do Coração. Mas lembrem-se de que não é se afastando, vocês mesmos, de tudo o que lhes parece projetado no exterior e de seus apegos, que vocês irão transcendê-los e os superar.

É apenas quando vocês aceitam Ver, com o Coração, no Interior de vocês mesmos, que naquele momento os apegos tornam-se Liberação, não antes. Evidentemente, seus próximos que não estão na mesma dinâmica vão tudo fazer, tudo o que está no poder deles, para fazê-los persistir nesta visão que eles conhecem mais do que na Visão que eles não conhecem, e que, para eles, é uma ilusão.

É o paradoxo total.
Eles estão, eles, na Ilusão e na projeção, eles estão, eles, na imagem da imagem, e acreditam que o que vocês vivem, no Coração, na Visão do Coração, não existe.

E é claro, para eles, isso não existe.
Se vocês chegam a superar esta atração dos seus próximos, desejando mantê-los no sofrimento e na sucessão de prazeres e de desprazeres, naquele momento, vocês viverão a Alegria qualquer que seja este exterior, porque naquele momento, vocês estarão reconectados e Livres, mas não de qualquer maneira ao apego do sofrimento.

A Visão Etérea é um primeiro passo, mostrando e demonstrando que as frequências às quais a Consciência é sensível, e que o olho é sensível, não são mais as mesmas. Todos os seres Despertos não têm a mesma capacidade para Visão Etérea, no momento, mas vocês têm, todos, a capacidade para a Visão do Coração.

E esta Visão do Coração apenas pode fazer-se se há silêncio das imagens, silêncio dos olhares, se vocês aceitam, realmente, se Ver (e não fazer de conta, em uma projeção de uma imagem exterior). Lembrem-se de que, se vocês entram na Visão do Coração, obviamente (isso lhes foi dito), a Alegria vai, naquele momento, aparecer e iluminar.

Vocês não poderão mais, cada vez menos muitas vezes, manifestar emoções que possam alterar seu estado, já que vocês estão no Interior de vocês.
Vocês não estão mais em uma projeção, qualquer que seja, vocês não estão mais em um desejo ou em uma imaginação, qualquer que seja, mas vocês estão na Verdade.

O humor, o sentimento e a impressão de si mesmo não podem enganá-los.
Porque, em um caso, enquanto a consciência está voltada para o exterior, os tormentos da vida (todos, sem exceção) são flutuações. Ao passo que quando vocês estão voltados, real e concretamente, na Visão do Coração, vocês estão no Conhecimento e vocês estão na Plenitude e na totalidade.

Como poderia existir, nisso, o menor medo, o menor apego, o menor sofrimento?
Não é possível confundir, já que os dois estados são totalmente opostos.
As consequências na vida, ela mesma, são totalmente opostas. Lembrem-se de que o desdobramento da Luz, doravante, tem por finalidade favorecer este desdobramento no Interior de vocês mesmo, o reencontro com o Grande Espírito, com a Luz Branca.

Mas cabe a vocês decidir, com todo conhecimento de causa, o que vocês querem.
Não em um desejo ou uma vontade, mas sim no estabelecimento real de sua Consciência. Porque o que vocês dizem e desejam, é estabelecido fora, ou é estabelecido dentro. Eis, meus Irmãos e minhas Irmãs, o que eu tinha para especificar sobre estes mecanismos da visão do olho, da visão astral, da Visão Etérea e, sobretudo, da Visão do Coração.

Na palavra visão, não vejam projeção.
Na palavra visão, vejam a Verdade.
Isso se tornou tão comum neste mundo que falamos de ponto de vista, mas também, ao nível espiritual, falamos de visão.

O que é uma visão?
É sempre uma projeção para o exterior.
A única Visão verdadeira é a Visão da Transparência do Coração na qual tudo está Presente, contrariamente a uma visão.

Lembrem-se também, de que a Luz, na Verdade, está no Interior.
Enquanto que na Ilusão, a imagem é projetada e que a luz está no exterior do objeto, do sujeito ou do que é olhado.

Eu vou então parar por aqui, nas minhas palavras, e lhes propor viver um momento de bênção e de comunhão, todos juntos. No nosso Coração, com os olhos fechados, sem qualquer imagem, sem qualquer necessidade de imagem, sem qualquer desejo de imagem, centrados no Coração e na Transparência.

Eu lhes digo até logo, desta maneira.
Que o Grande Espírito acompanhe vocês.

... Efusão Vibratória ...


Enviado por Rosa
Mensagem da Amada NO EYES no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1176
26 de agosto de 2011
(Publicado em 27 de agosto de 2011)

Tradução para o português: Zulma Peixinho
http://portaldosanjos.ning.com
http://minhamestria.blogspot.com/

GRANDES REVELAÇÕES POR ANAEL - AUTRES DIMENSIONS

Grandes revelaçoes por Anael



ANAEL - 16-08-2009

Questão: como saber se a fonte de uma canalização é fundada?
Existem atualmente muitas, muito numerosas formas de canalização, para não dizer de outro modo, ligadas a entidades do baixo astral.

Vocês devem bem compreender que 95% dos canais apresentados à superfície desta terra não são mais que manipulação do baixo astral.

As palavras são ensinamentos, mas não são Vibração.

Numerosas palavras, e vou mesmo até dizer que numerosos ensinamentos, completamente verdadeiros, não servem à Luz.A Sombra passou o Mestre na arte de se nutrir e de transformar todo evento, na superfície desta Terra, para convertê-lo a seu proveito.

Do mesmo modo que um canal se recomenda de uma entidade como o Cristo ou Maria não está, em 90% dos casos, absolutamente em contato com Cristo ou Maria. Enquanto que um número bem mais importante de seres humanos recebe informações diretas de Maria ou de Cristo, mas são incapazes de colocar um nome acima.

A Vibração é o aspecto essencial.
As palavras sem Vibração não são Vibração.
As palavras bonitas, em sua linguagem, evocam o poder da imaginação, mesmo de visualização, apenas se referem a visões astrais.

Os mundos de Luz apenas podem ser percebidos através de formas simples e de Luz simples.

A partir do momento em que se constrói uma visão que participa de um cenário e de frases muito construídas, vocês podem estar absolutamente certos de que se trata de esfera astral. Esta esfera astral é entretanto necessária.
A Vibração é o que lhes permite determinar a Verdade de uma canalização ou, mesmo, do que é dito.

Há seres que têm a língua frouxa, o que isto quer dizer?
Se vocês prestam atenção à sua maneira de falar, vocês vão perceber que sua voz é dupla. Do mesmo modo que a inversão de sons corresponde à inversão do que há nesta densidade, é suficiente inverter uma voz, com seus meios técnicos, para vocês se aperceberem da Verdade de uma voz ou de sua ausência de Verdade.
É tão simples assim.

Vocês gravam uma voz, voltam-na e, escutando a voz, há uma voz, ou há várias vozes. Todos os seres que não experimentam a Verdade falam a dupla linguagem e isto é audível, no sentido habitual, a partir do momento em que sua clariaudiência se desenvolve, mas também, de maneira muito técnica, invertendo.



http://www.4shared.com/audio/cgPUN4K-/Anael_Minipocast.html

Questão: você pode nos dar indicações alimentares para os tempos atuais?
O mais importante está ligado à alimentação, atualmente, líquida.
Vocês terão necessidade de absorver cada vez mais água. Os fenômenos do Fogo que vocês vivem apenas começaram, traduzem realmente o que é chamado, nas Escrituras, a iniciação pelo Fogo (podem reportar-se ao que viveu Moisés, Elias, Enoque e tantos outros). É portanto essencial privilegiar os minerais: suco de frutas, leguminosos, sopas, nem muito quente, nem muito frio, morno, de preferência.

Questão: e sobre os complementos alimentares?

Os complementos alimentares são todos desnaturados em seus acondicionamentos e sobretudo se são de origem biológica.
Os excipientes que são adicionados nos complementos alimentares são corrompidos pelos fabricantes, voluntariamente, e sobretudo no bio.

As pessoas que consomem complementos alimentares são, de algum modo, alvos, porque supostamente “se abrem”, portanto são especialmente visadas pelos excipientes que são colocados no interior. O menor mal está em consumir os alimentos úteis, em especial os sucos obtidos com o extrator, porque haverá muito poucos resíduos. O importante é haver poucos resíduos no tubo digestivo, para poder drenar as energias.

O Fogo que vocês vivem é efetivamente o Fogo inicial, chamado, anteriormente, o Fogo do Céu. Evidentemente, o que vocês vivem eu seus corpos, se manifesta ao nível do cosmos. Vocês têm, atualmente, a batalha dos Deuses, batalha dos Gigantes, que é o mesmo combate que existe no Interior de vocês.

Aqueles entre vocês que tiveram a oportunidade de ativar as novas lâmpadas, em sua totalidade, não serão afetados por esse Fogo, ou de maneira muito menor, que aqueles que não tiverem, de agora ao fim de setembro, ativado a coroa do coração.
Tudo o que é do domínio da personalidade (eu não falo do corpo, mas da personalidade estrita – emocional, ego), deverá ser estabilizado ao final de setembro.

Questão: não haverá mais possibilidade depois? Está terminado?

Está terminado, no sentido onde não há mais possibilidade de redenção (assim como lhes disse Miguel em 15 de agosto de 2009), não há mais possibilidade de Ascensão no sentido que vocês entendem.

Há possibilidade, obviamente, pela Misericórdia da Fonte, de viver em uma dimensão qualificada de intermediária, que não é a 5ª dimensão, mas que, entretanto, participa ainda de um corpo físico e, portanto, de dados ligados ao sofrimento. Enquanto que na Ascensão a noção de sofrimento não pode existir.
Na dimensão das Sementes Estelares, a Vida é Alegria permanente e eterna, vocês terão acesso a todos os universos e a todas as dimensões, qualquer que seja sua origem.

O mais doloroso, para as almas que ficarão na 3ª dimensão, a cavalo sobre a 5ª, que, embora conectados, elas terão a queimadura do que não poderão atingir, durante um tempo, certamente limitado, que corresponde ao que é anunciado na Bíblia, pelos mil anos de reino do anticristo, após o final da vinda da Luz.

Vocês têm a explicação em São João e no Evangelho de Mateus.
Haverá uma misericórdia Divina que se instalará, obviamente, até o Anúncio feito por Maria (esse será o último Anúncio feito à Humanidade).
Há numerosos anúncios que estão em curso.
Há a primeira Advertência.
Haverá a segunda Advertência.
Vocês terão uma parte do “castigo”, que não é uma punição, mas simplesmente destinada a abrir os olhos daqueles que não querem ver.

Aqueles que puderem ver e aceder à Revelação da Luz poderão, contudo, aceder a mundos não dissociados, ou seja, em relação direta com a Luz, mas ainda conservando um corpo perecível, o que não é o caso quando vocês resgatam os domínios de Sementes Estelares, o corpo de Eternidade.

O elemento o mais importante realizado hoje é o que eu chamaria o alinhamento e a Vibração em relação com o Fogo do Céu. O resto deve se fazer também.
Vocês não devem se isolar, se fechar nesta Vibração, mas devem se ativar em suas atividades habituais, vivendo o que têm a viver.

Quando eu falo de alinhamento, quero dizer que, hoje, aqueles que definitivamente acenderam as 12 lâmpadas não têm mais necessidade de viver as Vibrações, mesmo se eles as sentem sobre as 12 lâmpadas, mas se concentrarem no aspecto puramente vibratório das 5 chaves Metatrônicas situadas ao nível da cabeça e do coração, que permitem, então, alinhar totalmente o canal mediano da coluna vertebral e do que chamamos o canal do éter. É a nova camada, que é associada à sua Shushumna, que lhes permite, literalmente, aceder às outras dimensões.

Questão: qual é a ligação entre as emissões vindas de Antares, de Betelgeuse e de Ceratus?
Trata-se simplesmente de uma tripla Radiação ligada a fótons de energia extremamente alta, inexistentes em sua dimensão, que estão além dos raios gama, que são chamados a Luz da 5ª Dimensão.

Eles são retransmitidos por essas três estrelas, eles são canalizados sobre esta Terra por vocês mesmos, que participaram dos Casamentos Celestes.
Vocês são portanto os ressonadores cósmicos.

Questão: e o fato que Betelgeuse esteja em oposição com Antares?

Permite criar uma interface de ressonância de campos, diretamente ao nível das forças chamadas «opostas à Luz» que se manifestam a vocês.

Questão: e Nibiru e Nêmesis que se encontram na trajetória?
O máximo de radiação será emitido de um lado sobre Nibiru e de outro lado, efetivamente, ao nível da nuvem de Oort, lá onde se encontra Nêmesis, o que permitirá neutralizar totalmente a Anã Marrom (“Naine Brune”: de acordo com a Wikipédia, não é nem planeta, nem estrela), que é uma Criação de Anunnakis.
Isto quer dizer que a Naine Brune foi importada para seu sol negro e ela foi colocada em órbita pelos Anunnakis, que permitiu a eles mesmos estabilizar as dimensões inferiores que vocês não teriam jamais devido viver.

Questão: até agora, a Luz “ganhou” em relação às forças da Sombra?
Não poderia ser de outro modo.
As forças que vocês chamam de Sombra, que retornarão à Luz um dia, sempre utilizaram os eventos cósmicos do sistema solar onde elas se inserem.

Elas dominam as forças de materialização, de concretização e de separação do DNA, de maneira a criar vidas dissociadas. Elas participam desse plano por muito longo tempo, não unicamente sobre seu sistema solar, mas sobre dezenas de sistemas solares. Entretanto, hoje, a Fonte considerou (e esta é uma decisão que teve lugar há dezenas de milhares de anos) que a experiência deveria chegar ao fim. A experiência permite crescer em Luz.

Haverá uma última onda, que vocês chamam Ascensão, que está ligada a essas forças que não retornarão à Luz e às forças intermediárias que não integraram totalmente a Luz, que poderão voltar à Luz no prazo de um último ciclo, que se produzirá em espaços extremamente confinados do universo, a fim de que jamais haja outra semeadura de almas nessas dimensões.

Houve implicação de diferentes povos e de diferentes origens galácticas ao nível das Sementes Estelares. Os tempos os mais antigos, vocês o compreenderam, no seu universo, como na pequena centena de universos que estiveram em causa no fenômeno de descida para a matriz, refere-se a 80 a 100 universos locais.
Esses universos locais foram isolados pelas forças criadoras e precipitadoras dessas entidades, que vocês chamam de Lagartos, Reptlianos, de Dragões (é a mesma coisa).

O nome escama é empregado na Bíblia, onde é dito pertinentemente que as escamas devem cair.
As escamas correspondem a uma proteção em relação à Luz. (Nota MM: Agora nós sabemos para que servem os bloqueadores e protetores solar, tanto vendidos pelos laboratórios que fazem parte dessa matriz.)
Essas escamas devem cair de forma a deixar a pele receber a Luz.
A pele é o limite que permite densificar, de algum modo, a Luz ou, ao contrário, permitir exteriorizar a Luz.

O limite de seus veículos físicos, quaisquer que sejam as dimensões, reflete a natureza da dimensão mesmo naquela que vocês vivem.
Os fenômenos de escamas correspondem à 2ª dimensão, com um máximo de expansão até a 4ª dimensão.

Vocês são Sementes Estelares.
Vocês conservaram sua Divindade.
Entretanto, aquilo foi um combate efetuado, a cada inicialização de ciclo e a cada encerramento de ciclo, desde mais de 300.000 anos. A cada inicialização e a cada término, houve forças que foram associadas, a fim de assegurar que as almas que estavam aprisionadas em seus corpos não pudessem ser definitivamente separadas de sua Fonte, o que é, de qualquer modo, impossível.

Toda Consciência criada, mesmo a mais precipitadora conhecida, necessariamente fará retorno à Luz. É neste sentido que o Mestre lhes disse para não julgar. Mesmo e sobretudo os reptilianos. Eles são dotados de almas, da mesma maneira que vocês, eles foram simplesmente fechados, através do fenômeno das escamas, no processo de precipitação, a fim de evitar as irradiações da Luz. Eles tiveram êxito ao fazê-lo em seus universos, porque as conjunções de Luz, tais como as que viverão, não existiam naqueles momentos.

Esses povos estavam em harmonia, eles encontraram em sua chegada povos que viviam em dimensões extremamente elevadas, alguns seres faziam experimentações da encarnação, mas sempre estando ligados, de maneira consciente, à Fonte, ou seja, eles eram o equivalente a uma 3ª dimensão, ligados à Fonte de uma 5ª dimensão.

Não pode existir, fora desta dimensão, a noção de conflito ou de combate.

As forças da Luz representam 99,99% do conjunto de criações de multidimensões nos multiuniversos. Há portanto uma proporção extremamente frágil de seres que inicializaram essas Criações separadas da Fonte. Essas experiências lhes foram possíveis por decisão da própria Fonte e em relação com a Matriz original que é ligada a Maria. Foi-lhes possível se manifestarem nesta encarnação, mas vocês ficaram presos pela experiência, o que não era o caso, antes da vinda desses seres.
Vocês continuariam a manter sua Consciência, mesmo experimentando esse corpo de densidade.

Questão: a qual época remonta a chegada desses seres?
Ela remonta precisamente a menos de 323.233 anos.
Vocês não estavam, todos, presentes desde os 6 ciclos.
Alguns seres se juntaram ao ciclo a cada nova onda de encarnação.
A cada “destruição”, ou repolarização, numerosos seres se juntaram a vocês.

Foi necessário bem compreender que se os seres mais elevados não se tivessem se juntado a vocês nesta densidade, suas almas corriam risco, não de ser destruída (o que é impossível), mas de perpetuar a experiência durante tempos extremamente longos. As entidades que criaram esta dimensão na qual vocês estão atualmente têm, constantemente, necessidade de um alimento, este alimento está ligado a todas as emoções.

O combate Sombra/Luz participa, inteiramente, a esta participação nesse mundo.
O que quer dizer, assim como lhes expliquei, há alguns meses, através da noção de relação, que um Mestre que quer participar da Unidade e que vive os processos transformadores que vocês vivem é consciente da Luz e da Sombra, mas, entretanto, não pode atribuir olhar, atenção ou Consciência, mesmo, à Sombra vista.

Os planos e a estruturação desta dimensão fazem com que tudo o que os nutre seja uma capa, que é uma franja de interferência, tal como o que já expliquei, na qual se cristalizam os pensamentos e as emoções da Humanidade. Quando vocês participam das emoções, mesmo ditas positivas, como Amor /atração, o Amor/possessão ou mesmo o sentido da beleza, vocês vão nutrir esta franja de interferências.

A única maneira de sair é viver a Unidade.
Não há outra alternativa e é talvez delicado para compreender e aceitar que, mesmo estando do lado bom da barreira, vocês nutrem esse plano, o que era, se vocês quiserem, uma situação indissolúvel para as forças da Luz e isso nos criou problemas extremamente importantes até há 2.000 anos.

Algumas civilizações se desenvolveram no culto da Beleza, no culto da Verdade, mas, entretanto, participaram da dissociação de planos, apesar de tudo, simplesmente mantendo esta dualidade. Esta capa criada de ilusões, eu diria mesmo que a Lei que vocês chamam ação/reação, Lei do carma, é oriunda do mesmo processo de fabricação. Sua alma é prisioneira tanto nesse corpo como fora desse corpo. Você não tem qualquer possibilidade de escapar desta matriz, mesmo se suas ações sejam as mais nobres possíveis.

Vocês devem aceitar viver a Unidade, uma ligação vibratória ao Cristo em totalidade, para esperar dali escapar, assim como o realizaram alguns místicos, em todas as correntes tradicionais. Mas se vocês relacionam isso ao número de almas em encarnação e, ainda mais, ao número de experiências vividas, vocês aterrissam em uma compreensão que é miserável.

Questão: As experiências de expansão de Consciência são do mesmo tipo que as experiências místicas, uma vez que nos colocam em relação com esta Unidade?
Há numerosos seres que tiveram êxito a abrir o coração.
Alguns desses seres emitiram ensinamentos que foram, todos, oriundos da Lei de ação/reação e da Lei de Carma.
Eles os encorajavam a fazer o bem, o que é uma Verdade, mas vocês não têm que fazer nem o bem nem o mal.
Quer vocês façam o bem ou o mal, vocês servem, de todo modo, o princípio da reencarnação.

A única Lei possível para sair dessa dualidade é a Lei da Unidade, ligada à Lei da Ação de Graça, que é o princípio de Serviço, no sentido desinteressado, chamado na tradição oriental de Carma Yoga.

Questão: qual é o mais importante nesse momento?
Centrar-se na Unidade.
O que eu queria dizer também, em relação a isso, todo ensinamento, qualquer que seja, mesmo o ensinamento de Cristo, foi falsificado, evidentemente.
Não há outro ensinamento que o ensinamento da Luz, e a Luz não pode se ensinar em palavras, ela só pode se ensinar através do que vocês vivem.
Ela só pode se ensinar, unicamente através da noção de Serviço.

O Serviço é o que vocês chamariam de Amor incondicional, o que vocês chamariam de estar na noção da doação de si, do abandono de si.
Portanto, o retorno à Unidade só pode se fazer através do abandono.
Toda dor é resistência a esse abandono, em um ou outro nível.

Questão: onde estamos nos processos ascensionais?

O advento da Luz vai criar certo número de sistemas de ressonância, em diferentes pontos de seu sistema solar, a fim de criar reajustamentos ao nível das órbitas planetárias, ao nível de seu sol, certamente, mas sobretudo visando destruir (assim como Miguel o fez e nós mesmos), a franja de interferências que bloqueia sua liberação.
Isto está totalmente realizado.

Resta-lhes agora evitar que isso não se reproduza por intermédio da embarcação que vocês chamam Nibiru. (Nota MM: Essa canalização é de 2009, já nos foi comunicado que no final de 2010 a embarcação Nibiru foi expulsa para os confins desse sistema solar pelas forças da Luz. Relembramos que há dois Nibirus, e foi a embarcação dos Anunakis, chamada Nibiru, que foi expulsa.)

Questão: Nibiru é uma embarcação metálica?
Essa Embarcação metálica oculta partículas magnéticas.
Trata-se de um óxido ferroso extremamente específico que tem a particularidade de gerar, em torno de si, um campo de forças extremamente potentes cujo objetivo é, justamente, atrair as almas presas na matriz.

Eles não têm mesmo necessidade, obviamente, de aterrissar sobre seu planeta, uma vez que os seres que não terão realizado a Ascensão teriam de ser aspirados, literalmente, por um processo que é uma caricatura da Ascensão, nessa Embarcação. As forças de Luz virão para impedir isso. (Nota MM: Esta missão já foi cumprida, devido ao afastamento da embarcação Nibiru pelas forças da Luz.)

Questão: esses seres serão então transferidos sobre outros universos?
Completamente.
Eles serão transferidos, não pelos Anunnakis, pois não existirão mais, eles serão transferidos por nós.

Entretanto, ao final de cada ciclo e até o presente, os seres que viviam nesta dimensão densa vinham, literalmente, colher, de algum modo, as almas que tivessem descido nesta dimensão. Dezenas de milhares de almas foram assim aprisionadas e transportadas para outros lugares.

O que vocês devem compreender, é que Nibiru gira ao redor de um planeta, de um sol morto chamado Nêmesis, que é uma «naine brune» (anã marrom).
Esta “Naine Brune” tem uma duração orbital extremamente longa, ela se desloca de mundo em mundo, de galáxias em galáxias e não unicamente em sua galáxia.

Nibiru ía, assim, progressivamente e à medida dos tempos, recolher, literalmente, o que foi produzido nos diferentes sistemas planetários habitados.

Questão: então os 80 planetas dissociados se encontram na trajetória de Nibiru?
Completamente.

Questão: e o sol negro, onde ele se encontra?
O que vocês chamam de sol negro é o ponto que está ligado, de algum modo, a um buraco negro que permite, justamente, a esta “Naine Brune” ter sido criada e circular em torno desse buraco negro. Corresponde a uma forma de atração que permitiu a Nibiru ser criado.

Questão: esse buraco negro está no exterior da Via Láctea?
Completamente.
O ângulo é um ângulo de 60 graus.

Eu repito, há um ângulo de cristalização da Vida, que permite a subida nos planos vibratórios, que é o ângulo que vocês encontram no alto das pirâmides, que é um ângulo de 51 graus e 30 minutos. O ângulo que vocês têm, que foi criado pelas Forças ligadas a essas Forças sombrias é um ângulo falsificado de 60º.

Questão: que permite um triângulo equilátero?
Qual é a melhor maneira de preservar uma alma dos mundos de Luz, pelo aprisionamento nos esquemas de formas?
Recordem-se o que eu disse no mês de maio: Deus é forma, geometria, cor e Luz.
Eu lhes falei do arredondamento, eu lhes falei do quadrado.
O triângulo equilátero, nas Escrituras que vocês chamam de Anais Akáshicos, representa o fechamento dentro de uma situação cármica.

Questão: os triângulos ligados à Civilização dos Triângulos não são então equiláteros?
Não, eles estão numa proporção 2/3, 1/3.
2/3 na base e 1/3 na altura (nota: 120º + 30º + 30º).
A civilização dos triângulos, ligada à 24ª dimensão, precede a civilização que eu chamaria as Rodas nas Rodas, ligada diretamente aos Hayoth Ha Kodesh ou Quatro Vivos. Por outro lado, há um símbolo maravilhoso que ilustra a encarnação nesta matéria e o fechamento na matéria, que é o triângulo e o Selo de Salomão. O fato de ter dois triângulos permite neutralizar a espiral encarnante: 60, 60, mas nos dois sentidos, permite limitar o efeito e encontrar a porta do coração, que permite evitar os movimentos de subida e descida incessantes que vocês fazem.

Questão: o cruzamento desses triângulos é então uma forma hexagonal?
A forma hexagonal é o símbolo da Luz liberada do fechamento.

Questão: gostaria de saber como se articulam as linhagens e as dimensões?
As linhagens estão presentes nesta dimensão.
Elas estão, também, presentes em vocês.
Hoje, elas se revelam em vocês, mesmo nesta dimensão.

Numa linhagem existem, evidentemente, múltiplas dimensões.
Um ser que vocês conhecem como Orionis pertence à 18ª dimensão.
Existem linhagens de Órion.

As linhagens correspondem à suas filiações de suas Sementes Estelares, mas que estão presentes, obviamente, devido à não separação das dimensões, em todas as dimensões. Vocês podem experimentar a Vida, independentemente de suas linhagens, sobre múltiplas dimensões. Isto foi exprimido pela possibilidade vibratória que vocês terão de viver em um veículo de Existência que pertence a múltiplas dimensões possíveis.

Questão: nós temos então sistematicamente 4 linhagens, ligadas aos 4 elementos?
Sempre.
Ligadas aos 4 elementos, em relação com os Quatro Vivos.
Tudo funciona, pelo princípio ascendente e descendente, de acordo com os mesmos números e cifras.

Às vezes, há constelações ligadas a estrelas que estão em vários elementos.
Há, em geral, linhagens equilibradas em relação aos 4 elementos e, às vezes, uma predominância, ao nível das linhagens, segundo certos elementos.

Questão: no momento da ascensão, nós nos juntaremos a uma linhagem, mais especificamente?
Vocês podem ir onde vocês quiserem, não há limite.
Vocês estão simplesmente limitados pela esfera de experiências que vocês querem viver, ligada a uma dada dimensão, sabendo que esta dada dimensão não pode estar, em nenhum caso, cortada de outras dimensões.
A única dimensão cortada é a sua.

Questão: como podemos conhecer nossas linhagens?
Vocês não têm que conhecer, elas se manifestam a vocês, no momento dado, senão isto seria apenas curiosidade intelectual.

As linhagens representam as Vibrações, as fusões, para além mesmo de se conhecer os nomes. Há um processo de integração, pelas Rodas nas Rodas ligadas aos Hayoth Ha Kodesh e ao arquétipo dos elementos ligados a suas próprias linhagens. Isto corresponde a iniciações extremamente precisas que, de acordo com o caso, podem revelar-se no início do caminho, ou no extremo final do caminho.

Questão: a que corresponde o assobio (apito) ouvido do lado direito?
Trata-se de um processo ligado a um fenômeno de “Walk-in”.
Os “Walk-in” são seres que, a um dado momento, tomam um corpo e, eles, não são invertidos. Eles são, no limite, se vocês quiserem, um som que é ouvido, de maneira privilegiada, no ouvido direito. A inversão do som no ouvido direito corresponde a um processo de Luz um pouco mais restabelecido.

Questão: nas informações transmitidas, quais são suas precauções prioritárias?
A precaução a mais importante é respeitar o período de alinhamento de 30 minutos que lhes foi atribuído. É importante vibrar as sílabas sagradas (OD-ER-IM-IS-AL) várias vezes por dia. Eu não lhes peço de fazer isso inúmeras horas mas, não será mais do que algumas vezes, a fim de recolocar em Vibração a coroa do coração e a coroa da cabeça, de maneira cantada.

Os 5 sons podem ser dissociados, ou ligados, compete a vocês fazerem sua experiência.

O mais importante é permanecerem alinhados.
Se o alinhamento lhes é difícil em uma casa, aproveite a vibração das árvores.
Alguns têm necessidade de água, mas as árvores são o que lhes permitirá canalizar mais facilmente possível os raios de Luz que chegam sobre a Terra atualmente.

Experimentem também, se lhes for possível, se conectarem vibratória e visualmente e pelo coração com a radiação Metatrônica vinda de Betelgeuse.

Questão: nesta inversão de notas, não encontramos o FA e o SOL, são ligados a Lúcifer?
Exatamente.
Foi-lhes falado da falsificação da Luz.
Eu lhes recordo que a denominação das notas em francês não é a mesma que em outras línguas. Isto não é por acaso, tampouco.
A língua francesa ilustra melhor o que vocês chamam de a língua dos pássaros. (Nota MM: Neste caso a língua dos pássaros, ele se refere à Linhagem dos Carians, uma linhagem de corpo humano com asas e cabeça de pássaro. Sugerimos esta leitura: "AS RAÇAS ESTELARES CITADAS NA CANALIZAÇÃO DE GABRIEL.")

Carian

Questão: o nome de família é importante?
Vocês são portadores de uma Vibração.
Os nomes de família foram um fechamento.
O nome que vocês usam, no nível familiar, não é liberação, mas fechamento.
Somente seu prenome está ligado, realmente, à sua origem estelar.


Enviado por Rosa

Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

http://minhamestria.blogspot.com
http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/

URIEL – 27-08-2011 - AUTRES DIMENSIONS

Uriel - 27-08-2011



Mensagem publicada em 28 de agosto, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou URIEL, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão.

Bem amados Filhos da Luz, bem amadas Sementes Estelares, a hora do Coração, nesse instante e em todos os instantes, chama-os, da aparência para a transparência, da não Essência à Essência, da Sombra à Luz, da Ilusão à Verdade.

Então, filhos de Luz, a hora agora chegou de viver fora da mão que os confina.
A hora é AQUI, de viver a Verdade.
Saiam da aparência, como esse mundo sai da aparência.

A hora da Transparência, a hora da Essência chega a seu Templo Interior, tocando a sinfonia da Alegria, da Verdade e da Vida (em uníssono do Coração Um, em Cristo e no Fogo), da Alegria e do Amor.
Unidos e Unificados à Liberdade.
Unidos e Unificados à Verdade.

Esse mundo passa da Sombra à Transparência, na qual nenhum obstáculo pode opor-se à clareza da Essência. E, em vocês, desenrola-se o mesmo cenário, aquele da vida Una, chamando, na ressonância de seu Coração, ao mais profundo de sua Essência.

A hora é para elevar-se e levantar-se.
A hora é para a transparência, na qual nada mais pode ser retido, na qual nada mais pode ser colocado à sombra da Verdade, na qual tudo é iluminado do Interior e do exterior.

A aparência não tem mais sentido.
O único sentido é a Essência de seu Ser, que é Transparência, Transmutação, que os conduz a viver o Despertar e o acordar de sua Dimensão de Eternidade, na Verdade e na Unidade.

Cristo desperta.
Filhos KI-RIS-TI, elevem a Vibração, aquela que os conduz a ser Transparentes, a nada mais reter, a nada mais encobrir, a fim de Ser a Alegria e a Verdade, o que é sua Essência na Eternidade.

Liberação e liberdade.
Alegria e reencontros.
Alegria e Transparência.
Instante, Aqui, de Verdade, que os eleva no santuário de sua Presença.

Saiam dos sentidos, saiam dos atalhos sombreados.
A hora chegou de pôr na Luz, aquela da Transparência.
O Templo da serenidade, o Templo de sua fecundidade, do Espírito reencontrado.

Filhos do Um, a hora do Um e da Alegria revela-se.
Unidade, Tri-Unidade.
Juntos, todos Unidos e revelados, na mesma Essência e na mesma Transparência, chamando a Alegria, chamando a Vida, aquela que não conhece qualquer resistência, qualquer sofrimento.
Aquela que é sentido e Essência.

Transparência.
Não há mais lugar para a aparência.
Não há mais lugar para confinar e isolar.
Não há mais lugar para pôr à parte e confinar a Verdade.
A Transparência aparece.
O véu está rasgado.
A hora em que a asa estende-se, abrindo as asas da Terra inteira.

Ascensão e Verdade.
Alegria, Fogo de Alegria e de Unidade.
Filhos, a hora é o instante desse presente.
A hora chegou de apresentar-se a Ele, a fim de que Ele os apresente a vocês, na Alegria da Eternidade.

Transparência.
A hora é para a metamorfose, aquela que os chama à forma sem limite, aquela que os chama à alegria sem limite, na qual nenhum entrave, nenhuma divisão e nenhum véu podem encobrir a transparência da Verdade e a transparência da Beleza. Essa é a Essência de toda a vida, para além do inferno que lhes mentiu e confinou aqui.

Filhos, elevando a Essência, saiam da aparência.
Não é mais tempo de estar à parte, fora da Criação.
A hora chegou de juntar-se aos Ateliês, aqueles da criação, infinita, que se revelam ao infinito da Verdade e da Alegria.

Então, o Coração pode instalar-se no Fogo de Cristo, Fogo de Amor, de Alegria, que põe fim à aparência. A hora é para sua Transparência, assim como esse mundo que vê dissolver-se toda oposição, a fim de que, aí também, tanto aos seus olhos de carne como aos seus de Coração, a Transparência estabeleça-se.

Nada mais pode ser parado na Luz.
Nada mais pode ser oposto na Luz Una, aquela de sua Essência.
Filhos de Verdade, Filhos do Espaço e filhos das Estrelas.
Filhos da Fonte, a Fonte flui, novamente, nesse mundo liberado, abrindo o último véu e estendendo as asas, aquelas da Transparência e aquelas da Beleza.

Juntos, nós elevamos o Canto do êxtase, o som da Terra e o canto do Espaço (que é o Canto da Fonte), que os chama para revelar o que vocês São.
Chama-os a elevar o Canto de sua Presença, para além da aparência, na Transparência e na Clareza.
Na Verdade da Unidade e na Alegria do Coração amoroso, aquele que não pode mais ser privado de sua confiança e de seu sentido.

Unidade.
Unidade e Verdade.
O conjunto dos universos, o conjunto dos mundos e das Dimensões vem chamá-los para não mais estarem à parte, para não mais estarem separados, para não mais estarem divididos, a fim de viver, em Verdade, a Luz da Alegria, da Essência reencontrada.

Transparência.
Transparência do mundo.
Transparência do Coração.
Transparência do olhar.
Elevem a Vibração e a frequência, aquela que os conduz à porta da Luz, a fim de que seja refecundado, em vocês, o sentido da Verdade, da Alegria eterna do que vocês São.

Escutem, escutem o som, aquele do Despertar, aquele da Transparência, que vem liberar a aparência, que vem liberar o sentido verdadeiro.
Aquele da Luz Una, na qual nenhum sofrimento pode opor o que quer que seja à Alegria e à Verdade.
Resta apenas Ser, em Verdade.
Resta apenas acolher o som e a Verdade.
Resta apenas manifestar a Transparência.
Nada mais há a esconder, nada mais há a confinar, porque tudo é liberado.

Seu Coração, também, abre-se à Verdade Cristo.
Filhos de Luz, Filhos do Um, ouçam a Vibração do apelo que eu retransmito a vocês. O apelo do Verbo e do Sopro de Vida, Unidos no Um e no Fogo de KI-RIS-TI. Filhos de Verdade, tornem-se o que vocês São, vão para sua Transparência.

Hora de Ressurreição.
Hora de Verdade, no Canto Unido dos Coros Unificados e Liberados.
Nós elevamos, juntos, e com vocês e em vocês, a Terra.
Ressurreição e Ascensão.
Expansão, ao infinito, do Canto da Vida, do Canto de seu Coração, no qual nada pode ser parado, no qual tudo é Verdade, tudo é Alegria.

Então, Unidos no mesmo Canto, Unidos no mesmo silêncio, aquele da aparência, que desemboca na Transparência, a mais total da Luz e da Alegria.
O Coração levanta-se, porque a aurora do novo dia chama-os, pelo sinal da Estrela, a viver o retorno da Estrela.
A hora é para o Filho pródigo, aquele que se relembra da Eternidade e que se esquece dos horrores do sofrimento.
E que esquece os horrores da aparência.
Nada mais há a aparecer.
Tudo deve transfigurar.
Tudo deve transparecer, a fim de superar todo véu e toda Ilusão.

Ouçam a frequência do Um, que se estende e se expande no centro de seu Coração, aí, onde bate à Porta o Espírito de Verdade. Aí, onde bate no Templo, o Coração Cristo, voltando a revelá-los na Unidade do que vocês São.

Então, filhos do Um, sejam o Um e sejam unidos.
Na transparência dos Corações e da Verdade revela-se a nova frequência, chamando à Alegria e à Eternidade; chamando à Verdade, não para erigir-se, mas para iluminar o que deve sê-lo, inteiramente, a fim de que nenhuma aparência possa subsistir, a fim de que nenhuma Sombra possa fechar quem quer que seja e o que quer que seja, porque tudo é Liberdade para a Luz Una.
Vibração Eterna e infinita.

Filhos, Filhos e Sementes Estelares.
A hora da Porta: a hora é para a abertura.
A hora chegou de transportarem-se à Transparência, de transportarem-se à Essência e à Verdade.

Nesse instante, revela-se a Graça.
Graça do apelo.
Graça de Maria.
Graça da Luz.
Graça de sua Presença no Coração palpitante, no Canto Unificado e Sagrado de todas as criações, reunidas na Liberdade e na Verdade.

Filhos, Filhos criados, ressuscitados da Verdade, ressuscitados do instante Eterno, para além de todos os tempos, para além de toda a força, porque o Amor não é a força, porque o Amor é a Verdade Absoluta dos mundos, e isso aparece na Transparência que põe fim à aparência dos sentidos, à aparência da carne, aquela que foi comprimida.

A hora chegou de expandir a Alegria.
A hora chegou de Viver.
Então, juntos, encantados, nós cantamos o som do silêncio, aquele da Transparência e da Essência, aquele do sentido, para além de todos os sentidos.

Filhos, Vibremos e elevemo-nos.
Transfiguração, Fogo e Alegria, na mesma Tri-Unidade, abrindo a última Porta, acolhendo o Espírito de Fogo, acolhendo a Unidade.
Que seja assim, porque assim É, e isso não pode mais esperar, porque não há espera que seja vã no Coração, na Esperança.
Não de um dia melhor, mas de um dia novo, chamando a aurora da Vibração da Unidade, pelo sinal da Estrela.

Ressurreição.
Filhos, na carne, a hora chegou de transfigurar a carne.
A hora chegou.
O sinal da Estrela vem chamá-los para perceber o que vocês são, na Transparência.
Abram as válvulas da Alegria.
Vibrem ao som da nova frequência.
A Trombeta soou.
O Véu, tanto nos céus como no Coração, vai abrir-se, liberando a Estrela e sua Consciência na Luz Azul do Éter reencontrado, chamando o branco e a Transparência de sua Presença.

Todos juntos.
Todos aqueles que o Vibram, nós estaremos no mesmo Canto, na mesma Presença e na mesma Unidade.

Sementes Estelares, eu anuncio o despertar.
Eu toco à Porta, a fim de que vocês abram a porta da Transparência e que vocês entrem na Alegria, no tempo da Eternidade, transportando esse corpo ou essa Consciência nos domínios da Unidade, na casa do Eterno, onde não existe qualquer sofrimento e qualquer entrave, onde nada mais pode vir opor o que quer que seja à Verdade.

Então, a hora é para o regozijo de seu Despertar.
A hora é para transformar-se, a fim de transportar-se na nova frequência, aquela da vida Una. Cantem, cantem a Verdade, cantem a Vibração de seu Coração, aquele que, enfim, não pode mais ser confinado nos Véus desse mundo.

Amados do Um, filhos do Um.
Vibração de sua própria Presença, de sua última Reversão, que os conduz a viver o santuário do conjunto da criação.
Bem além do santuário confinante, vocês aprendem que não têm que ser uma pessoa, mas, efetivamente, o conjunto da Criação.

Não há qualquer limite para a expansão de sua Verdade.
Não há qualquer limite para a expansão de sua alegria.
Não há qualquer limite para a expansão do Coração, porque vocês são o Coração.
Juntos, nós unificamos nossa Presença, elevando a frequência, da aparência à Transparência, da Ilusão à Verdade e à Unidade.

Revelação.
Alinhamento.
Ressurreição.
Esse é o apelo que será retransmitido, desde a Fonte Una, pela Rainha dos Céus, a fim de que vocês reencontrem o lugar do Rei da Eternidade que vocês São, como todo Ser e como toda Verdade.

O Fogo do Amor e da Verdade vem dissolver toda aparência, vem dissolver o que não é eterno.

Juntos, Unidos e liberados, elevemos a Frequência, fazendo passar e passando a Consciência da frequência fechada à Frequência aberta, aquela da transparência, penetrando o conjunto das criações, o conjunto das Dimensões e o conjunto dos espaços. Lá, onde tudo é pleno, onde nada pode esvaziar-se, porque a Essência da criação é plenitude. Vocês São a plenitude do Amor e da Eternidade.
Então, no espaço da Vibração, eu abro a transparência do Verbo penetrante, cantando os louvores da Unidade e da Verdade.
Filhos e amados.
Amor do Um.
Transparência.
Vibremos e elevemos.

... Efusão Vibratória...


Eu sou URIEL, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão.
Eu sou o Sopro e o Verbo.
O mensageiro da Transparência e da Presença, que vem realizar minha Presença, a fim de que sua Presença revele-se.
Filhos do Um, no Amor do Um e em Presença.
Juntos, vivamos nossa Transparência, aquela da Eternidade e da Alegria, sem fim e sem início.

Eu sou URIEL, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão, Vibrando em vocês a hora do Despertar da Semente Estelar, à porta das Estrelas.

... Efusão Vibratória...

Silêncio e majestade.
A Estrela vem despertar a Estrela.

... Efusão Vibratória...

Eu sou URIEL, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão.
Filhos de Luz, eu permaneço em vocês, no Espaço da Vibrância, no Espaço do instante e no Espaço infinito, aquele de seu Coração, palpitando em uníssono à Verdade. Alinhamento e Transparência.
Eu venho em vocês e eu revelo.

... Efusão Vibratória...


Amor e Verdade.
Eu permaneço em vocês, na Embarcação de Luz que ressoa com Yerushalaïm.
Em vocês e com vocês, ao redor de vocês.
Liberdade.
Espaço de Alegria.
Espaço de comunhão no alinhamento.

URIEL cala-se, na Vibração da presença d’Ele.

Até já.
Juntos.
Eu os saúdo e eu os Amo.

... Efusão Vibratória...
___________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com

http://minhamestria.blogspot.com
http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/