((( TODAS AS PUBLICAÇÕES ANTERIORES A ESTAS E ATUALIZAÇÕES ESTÃO NO BLOG A CASA REAL DE AVYON NA SEÇÃO ))): "ESSENCIAIS" "COLETÃNEAS" "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" .

terça-feira, 27 de março de 2012

IS-IS (MARIA) - 24-03-2012 - AUTRES DIMENSIONS

IS-IS (MARIA) - 24-03-2012 - AUTRES DIMENSIONS



Áudio em francês Parte 1.
Áudio em francês Parte 2.

Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra.
Filhos amados, vivamos juntos um instante de Graça e de Beleza.

... Compartilhamento da Doação da Graça ...

Eu venho a vocês e em vocês, sem encontro marcado, como eu havia dito.
Eu volto, neste dia, a fim de ajudá-los no que vocês vivem ou irão viver.

Alguns de vocês, já instalados neste Manto Azul da Graça, ou vivendo os sintomas que o anunciam, e vocês que nada vivem por enquanto, saibam que nada é impossível, que tudo o que lhes pede, este período, é para responder.

Eu já chamei alguns de vocês, à noite, pelo seu primeiro nome.
Então, é claro, o seu cérebro pode acreditar que isso é ilusão, o seu cérebro pode dizer-lhes que não sou eu que falo.

Todas as condições estão reunidas, hoje, para viver o que foi anunciado desde tempos imemoriais.

E vocês o sabem porque lhes é algo que apenas pode sabê-lo.
Mesmo se a sua razão ou a sua vida os afasta, vocês não podem se afastar porque nós estamos aí, cada vez mais perto, cada vez mais em vocês. Nesses momentos privilegiados, que são os seus (que isso seja durante o sono, porque é mais fácil, que isso seja em seus momentos em que vocês estão com vocês mesmos, em seus Alinhamentos, em suas orações), vocês sabem.

Vocês sabem porque vocês têm certeza, mesmo sem passar por uma percepção clara e direta. Há, em vocês, alguma coisa que sabe.
Há, em vocês, uma certeza.


Então, é claro, tudo o que faz a pessoa, tudo o que faz os seus compromissos neste mundo, por vezes, encobre-lhes esta Verdade. O Manto Azul da Graça (que se deposita em seus ombros) faz nascer, em vocês, ou, de preferência, reaparecer, o que está aí. O Apelo da Luz e o Apelo para viver o que vocês São, ocorrem, para cada um de vocês, de maneira cada vez mais insistente, durante suas noites, durante seus dias, de vez em quando ou permanentemente.

O que eu desejo dizer-lhes é que, efetivamente, vocês não estão sonhando. Qualquer que seja a forma que possa tomar, para vocês, o Apelo ao “sim” (que isso seja sob forma de sonho, de viagem, que isso seja a Onda da Vida que os percorre, que isso seja, ainda, esta interrogação e estas dúvidas que podem emergir em vocês), tudo isso é um convite para ir Ser.

A Luz os chama, mas a Onda da Vida os chama, ainda mais, para estabelecerem-se, para estarem firmes em sua Eternidade.
Naturalmente, existem muitas vozes que falam em vocês: a voz da razão, a voz da lógica e, depois, a voz que é a minha e que é, também, a sua voz. Aquela que simplesmente não obedece à razão e à lógica, mas que os convida, realmente, a despojar-se.

Não para recusar o que quer que seja que vocês estejam prestes a fazer neste mundo. Mesmo se alguns de vocês (e eu estou consciente) podem viver este Apelo da Luz como uma dificuldade para manter algumas atividades, isso é transitório.

A Graça fornece à sua vida tudo o que é necessário para realizar o que vocês têm que realizar.

Recorram à Luz, não para outra coisa senão para vivê-la.
O Apelo que eu faço, hoje, não é ainda o meu Anúncio para o conjunto da humanidade, mas é o seu Apelo, em vocês. Se vocês vivem a Onda da Graça, então estejam certos de que eu vou chamá-los ou de que eu os chamei.

Se vocês sentem as primícias, saibam, também, que eu virei chamá-los.
Nós, Estrelas, estamos cada vez mais perto da sua Dimensão.
Nossa Consciência chega a tocá-los. O Absoluto é o resultado do nosso Reencontro, dando-lhes a viver, além mesmo do Reencontro, o que é nomeado este Absoluto, este Tudo.

O momento em que vocês poderão dizer: “Eu e o Pai somos Um, em que não haverá mais distância. Então, para vocês, sim, tudo estará realizado, mesmo se este mundo estiver aí no que pode oferecer resistências, dificuldades e medos.

Mas vocês, se vocês forem além do medo e das dificuldades, sem ali renunciar, vocês irão descobrir cada vez mais espaços onde, efetivamente, vocês são a Beleza, onde, efetivamente, em suas noites como em seus dias, o Manto Azul da Graça, a Onda da Vida, percorrem-nos e lhes dão esta plenitude, dando-lhes esta certeza.
Naturalmente, em vocês, há vários caminhos.

E, é claro, vocês podem colocar-se a questão de qual caminho seguir: aquele que os mantêm nas resistências, nas dificuldades, e aquele que lhes traz a Liberação.

Um desses caminhos os convida ao seu Casamento, o outro os afasta e vocês o sabem, pertinentemente (mesmo se vocês tenham capacidade para colocar palavras). Intimamente, vocês o sabem, porque há momentos em que tudo parece muito simples, em que tudo parece como muito evidente.

E, depois, momentos que, ao contrário, vão parecer-lhes ausentes desta plenitude.
Tudo isso, enquanto tudo não estiver instalado, definitivamente, em vocês.
Como vocês sabem, como eu disse, o Canal Mariano (este Antakarana, este Cordão Celeste), está realizado. Há, efetivamente, uma ponte entre o Sol e a Terra, entre as diferentes camadas isolantes, dando-lhes a perceber um sopro novo nesse corpo mesmo.

Que vocês o denominem energia, Vibração, Consciência, é a mesma coisa.
As denominações permanecem denominações. Então, é claro, ao nível do mental, é possível diferenciar o que é da ordem da energia, vocês o sabem, da ordem do Espírito, da ordem da Onda.

De qualquer forma, eu queria, hoje, principalmente para preparar o período que se abre, convidá-los, ainda mais, a deixar trabalhar em vocês.

Não há outra maneira de dizer “sim”.
Vocês não podem conduzir, pelo que quer que seja, a Onda da Vida.
Vocês não podem conduzir, pelo que quer que seja, a Graça.
Porque é a sua natureza.

Obviamente, enquanto vocês não puderem imaginar, enquanto vocês não a viverem, mesmo se houver essas primícias, isso é extremamente difícil de perceber, de compreender, de apreender-se, de querer ter vontade disso.
Lembrem-se de que não há qualquer julgamento a fazer, os Anciãos lhes disseram.
Mas, sobretudo, além disso, não julguem, em momento algum.

Contentem-se em estar presentes e lúcidos ao que se desenrola porque vocês não podem trazer mais senão a sua Presença ao que se desenrola, e a sua Lucidez.

Então, a Clareza e a Precisão irão aparecer.
Vocês irão ver, além de toda aparência.
Vocês irão sentir, além de todo parecer.
Tornar-se-lhes-á cada vez mais fácil penetrar esse santuário: aquele da sua Eternidade. A Onda da Vida que os percorre e que se eleva em vocês, traduz-se por modificações, por vezes importantes, da sua Consciência, e, às vezes, vocês não têm consciência.

O Absoluto está aí.
Vocês são esta Beleza, este Amor.
Evidentemente, este mundo é ainda o que ele é, com seus próprios medos, com suas próprias coisas que ainda estão estabelecidas, apesar das Núpcias Celestes.
Mas quando vocês virem além do que lhes é dado a ver, hoje, quando vocês tiverem a visão do que foi realizado, do que nós realizamos, todos juntos, desde alguns anos, vocês jamais poderão emitir a menor dúvida ou a menor contestação do que isso é.

Os Anciãos, como os Arcanjos, falaram-lhes sobre o seu olhar, sobre o local onde ele se colocava. Em função disso, é claro, a mesma coisa pode ser vivenciada de múltiplas formas. A vida, às vezes, pode trazer-lhes algo que lhes pareça difícil, que lhes pareça muito difícil, mas retenham que mesmo este muito difícil é apenas, em última análise, ele também, as primícias à Onda da Vida.

Mesmo se isso lhes parecer estranho, mesmo se isso lhes parecer extremamente longínquo, isso são, aí também, apenas ilusões. A Onda da Vida chama-os a todos, sem qualquer exceção, sobre a Terra. Tudo o que resiste, em vocês como no exterior de vocês, vai negar, uma e outra vez, fazendo com que a humanidade não veja até o momento em que vocês não poderão deixar de ver.

Vocês têm uma oportunidade inestimável de ter a possibilidade de vivê-lo por antecipação. Hoje, é-lhes pedido, simplesmente, para acolher, como o disseram alguns Anciãos, na maior das humildades, na maior das simplicidades.
Hoje, como disseram outros Anciãos, tentem afastar-se de tudo o que é conhecido de vocês, sem, no entanto, deixar de fazer o que a Vida, esta vida, pede a vocês.

E, aliás, quanto mais vocês se aproximam da Graça (mesmo se forem momentos específicos), mais lhes são dados os recursos para fazer o que vocês têm a fazer e, também, para expandir neste Êxtase.

As Estrelas preparam-nos durante longo tempo, descrevendo seus caminhos de vida a vocês, através da Unidade, através da pequenez, através desta tensão para o Abandono. Elas lhes mostraram, de algum modo, que havia uma possibilidade e que esta possibilidade não podia estar inscrita em qualquer discurso porque a experiência, como foi dito, são vocês que a vivem e ninguém mais.

Vocês não podem tentar compreender uma experiência que é vivida, vocês não podem ali colocar palavras.
A experiência chama-os a vivê-la.


Naturalmente, depois deste apelo, virá sempre à consciência: quem me chamou?
Durante algumas das suas experiências, vocês devem se lembrar de que o objetivo não é a experiência, mas, sim, o Absoluto, a fim de que vocês superem, simplesmente, o estágio da experiência para estabelecer-se nesta Beleza.

Nós empregamos essa palavra, não em um sentido de estética, porque quando vocês viverem a Onda da Vida, quando vocês estiverem instalados na Graça, quando vocês tiverem atravessado o medo do medo (porque é a Onda da Vida que o atravessa em vocês), então, efetivamente, tudo é Beleza. Nenhuma feiura pode vir alterar a Beleza. Vocês são instalados em sua Essência, em sua Natureza e, aí, não há mais necessidade de palavras.

Não há mais necessidade do que quer que seja senão de Ser, permanentemente, este Êxtase que os percorre, este estado de União indizível e de Liberdade indizível, total, com o Tudo, com cada um dos seus Irmãos e das suas Irmãs.

Não há inimigos: vocês se apreendem, enfim, de que o único inimigo são vocês mesmos que se erguem contra vocês, que tudo isso são apenas jogos, que tudo isso são apenas elementos que foram despejados no que vocês tinham para viver: vocês sabem que vocês não são isso. A Onda da Graça dá-lhes a viver o Êxtase, dá-lhes a viver o que está muito além do deleite comum, muito além do deleite de ser mãe ou filho nos braços de uma mãe.

Ela os restitui a vocês mesmos, à sua autenticidade, à sua Unidade e além, a este Absoluto. Aproximando-se disso, vocês irão se aperceber de que mesmo as questões que poderiam existir são desconsideradas. A partir do momento em que vocês não derem qualquer peso, a partir do momento em que vocês não derem qualquer crédito, todas as questões vão descartar-se.
Vocês poderão, então, fazer o que é para fazer e nada fazer.
A Luz está aí.
A Graça está aí.

Ela está aí para preencher a fim de que nunca mais exista déficit, zonas de sombra, pontos de interrogação, dúvidas e medos. Tudo isso, no início de abril, vocês irão ver multiplicar-se por dez em vocês. Vocês irão assistir à sua Ressurreição, se isso já não ocorreu. Eu gostaria também de dizer que, durante este período, é-lhes preciso dizer “sim”.

O Abandono total é a condição única para viver o que vocês têm a viver. Então, é claro, permanentemente, o que é limitado vai dizer-lhes que é preciso ter medo, vai dizer-lhes que é preciso acautelar-se, que é preciso rejeitar ou que é preciso negociar.

Mas a Onda da Vida não é negociável.
Ela não é fragmentável.
Ela não responde a qualquer lógica, a qualquer razão que pertença a este mundo e, no entanto, ela é Verdade para aqueles que já a vivem. Se vocês tiverem a possibilidade de escutar o que lhes dizem essas testemunhas (muito além da sua pessoa), se vocês tiverem à escuta para escutar o que elas lhes dizem (sem ali aplicar qualquer filtro, qualquer correção, simplesmente estando aí, presentes), então a Onda da Vida irá percorrê-los instantaneamente.

Mas mesmo se, por enquanto, isso lhes pareça muito distante, não concebam qualquer culpa. Mesmo se vocês não tiverem me entendido (o que é, ainda assim, o caso para a maioria de vocês), não se preocupem.

Hoje, eu lhes digo também, não busquem qualquer data porque isso se desenrola agora. A partir do momento em que vocês vivem o que é para viver, no instante do seu presente, sem buscar qualquer coisa exterior, a Onda da Graça é vivida. A partir do momento em que vocês não estão mais na projeção do que quer que seja, nem de um futuro melhor, nem de um fim do mundo.
Simplesmente estar aí.

Simplesmente, como lhes diziam os Anciãos, manter-se tranquilos, em paz, sem julgamento. Se vocês aceitarem isso (e eu lhes proponho como um jogo que não é um), então vocês não terão qualquer dificuldade, qualquer apreensão.

Deixem trabalhar, como vocês deixaram trabalhar a Luz, a Onda da Vida.
Ela é, evidentemente, transformadora e ativadora. Ela os convida à sua Eternidade. Ela os convida a esta Verdade total, à qual vão se opor, obstinadamente, o ego e a pessoa, porque, para eles, isso é impossível.
Vocês são, como foi dito, a Vida.
Vocês são esta Verdade.
Vocês são, eu desejo dizer, esta magnificência.

Eu sou aquela que se nomeia sua Mãe, a Mãe desta carne na qual vocês percorreram este mundo. Além desta carne, vocês são, vocês também, este Absoluto. A única razão da minha Presença, a única razão da presença das Estrelas, dos Anciãos, dos Arcanjos e do conjunto da Confederação Intergaláctica, é assistir ao seu nascimento. Assistir, enquanto Presença silenciosa, audível e visível, em breve.

Como foi dito, nós não podemos fazer o caminho no seu lugar porque, em última análise, não há caminho. Por outro lado, apenas vocês que podem dizer “sim” à sua própria Eternidade.

Alguns de vocês foram percorridos, ao mesmo tempo, pela Onda da Vida e pela descida da Luz Vibral. Para vocês, permaneçam humildes, falem simplesmente o que vocês vivem, sem interpretar, sem projetar, sem imaginar o que quer que seja.
Permaneçam o mais fiel possível ao que se desenrola.

Se vocês permanecerem fieis ao que acontece, sem modificar, nem alterar o que quer que seja, então tudo isso irá se tornar, de algum modo, cada vez mais palpável, cada vez mais tangível e irá se impor como a única evidência, como a única Verdade.

Vocês não poderão não aderir porque vocês são esta Onda da Vida.
Naquele momento, vocês irão se tornar, não insensíveis, mas impermeáveis à desordem deste mundo, porque vocês irão viver que vocês não são em nada concernidos pelos anúncios de medo, pelos anúncios de fim, porque o que termina já está morto para vocês. São as ilusões, todas as ilusões.

Vocês irão se expandir por intermédio desta consciência além da consciência, pela Onda da Vida, a Onda da Graça. Vocês irão se estabelecer, efetivamente, sem o querer, sem o desejar, na sua Eternidade. Para vocês, tudo irá se tornar fácil.
Então, é claro, haverá ainda alguns altos e baixos, porque o Absoluto não se mistura com o limitado.

Obviamente, haverá, ao redor de vocês, Irmãos e Irmãs que estarão inquietos por vocês e por eles. Porque tudo o que não é compreendido e vivenciado apenas pode traduzir-se por uma rejeição. Aí também, amem, incondicionalmente.
Não julguem ninguém.

Isso é realmente muito importante porque todo julgamento, qualquer que seja, imprime, no seu Ser, uma marca que é muito difícil de desaparecer.
A Graça, é claro, a tira, mas porque querer ir para mais resistência e sofrimento?
O mental, a pessoa, sempre será uma dúvida permanente, um sofrimento que se alterna com períodos de paz.

Superar e transcender tudo isso é já se apreender, também, de que não há salvador, nem salvadora, de que há apenas que Ser.

Tornar-se de novo como uma criança é, justamente, não mais dar corpo ao mental, amanhã, no momento seguinte, e ainda menos no momento passado.
Se vocês respeitarem essas algumas regras (e eu os remeto, para isso, ao que disse minha Irmã GEMMA) (ndr: intervenção de GEMMA GALGANI de 18 de fevereiro de 2012), vocês verão que tudo irá ocorrer sem esforço.

Vocês irão eliminar, sem querer eliminá-las, todas as dúvidas porque elas irão se esvaecer delas mesmas, sem nada desejar, aí, tampouco.
Vocês irão se banhar nos espaços de majestade, de beatitude.
As diversas experiências conduzidas serão naturais.
Vocês nada têm a procurar.

No Absoluto, vocês irão viver a totalidade do que é o Absoluto, no limitado como além do limitado, no Sol como além do Sol, no corpo de Estado de Ser como além de qualquer corpo.

A consciência, mesmo, de estar aqui será profundamente diferente, porque a sua vida irá se instalar na evidência do Absoluto onde não pode haver questão sobre mais nada. Porque, é claro, o objetivo da Onda da Vida não é, nem fazê-los duvidar, nem fazê-los experimentar o medo, mas, sim, justamente, apagar, pela Eternidade, toda dúvida, todo medo, toda interrogação.

Quando nós lhes dizemos que vocês são a Eternidade, quando nós lhes dizemos que vocês são o Amor, não é questão de persuadi-los do que quer que seja.
Não é questão de vender-lhes, tampouco, o que quer que seja, porque nós nada temos a persuadi-los, nem a vender-lhes, que vocês já não Sejam, além da difração apresentada pela pessoa.

Vivendo as primícias da Onda da Vida, ou a Onda da Vida, nasce um novo dia.
Nunca mais vocês poderão ter um sofrimento, uma falta. Nunca mais vocês poderão ter alguma coisa que venha contrariar, até mesmo, a personalidade.
Isso é transmutado e transcendido totalmente, naquele momento.

Aproveitem desses momentos em que o Silêncio se instala, porque é no Silêncio e no recolhimento que a Onda da Vida os leva ao Êxtase.

Nos momentos em que o mental se cala, nos momentos em que o corpo está em repouso, nos momentos em que vocês estão calmos, vocês podem sentir a minha Presença, vocês podem ouvir-me, vocês podem ver-me. Dentro de alguns dias, se esse já não for o caso porque nós vemos e nós sabemos que muitos de vocês já vivem isso. A Onda sobe de acordo com as especificidades (o Arcanjo ANAEL lhes falou há pouco tempo) (ndr: intervenção de 14 de março de 2012).

Ela vem solucionar toda causa com a vida, com a morte, com o sexo.
Ela vem liberá-los. Ser Liberado não é fugir da vida. Ser Liberado não é se confinar em algum lugar, mas, sim, estar simplesmente aí, na totalidade. Mas, sim, estar simplesmente presente. Aquiescer a tudo o que lhes dá a vida porque vocês não estão mais separados. Mesmo aquele que tem medo de vocês apenas pode ser amado por um Amor indizível. Não pode ser de outra forma.

E quanto mais vocês amam, mais o Amor se derrama.
E quanto mais vocês dão, mais lhes é dado.
E quanto mais vocês acolhem, mais vocês são acolhidos.
A evidência torna-se, eu diria, sua verdadeira natureza.
Naqueles momentos, vocês vivenciam (sem condenar e sem julgar) que tudo ao que vocês aderiram, participaram, não tem mais razão de ser, mas vocês sabem também que nada há a rejeitar longe de vocês.

Apenas estar aí, apenas estar presentes, além de toda Presença.
Não há mais questão: há, apenas, a evidência. Independentemente dos sintomas que vive este corpo (e eles serão numerosos, cada vez mais: que isso queime, que isso lhes dê este Êxtase, que isso desencadeie esta exaltação Interior, onde os sentidos são magnificados e transcendidos, por sua vez), quando a evidência se instala, efetivamente, tudo se torna evidente.

Então, é claro, para aquele que não está nesta evidência, isso pode ser terrível porque, para ele, efetivamente, isso é uma Ilusão, totalmente. Então, sejam ainda mais humildes, sejam ainda (e isso irá se instalar por si mesmo) tolerantes, mas não da tolerância que deixa agir, deixa fazer, deixa dizer, mas da tolerância do Amor.

A evidência é evidente.
O Absoluto é o Absoluto.
Nada há a justificar, nada há a demonstrar, apenas dar testemunho por um olhar, pelo silêncio, por uma palavra. Vocês irão descobrir tudo isso com facilidade, porque, lembrem-se, é sua natureza, de nós todos e de vocês todos.

Somente a pessoa vai se afastar disso.
Mas é uma Ilusão: vocês não podem afastar-se do que vocês São.
Vocês estão convidados ao Banquete Celeste. Vocês estão convidados ao que está depois da Alegria, a esta beatitude e este Êxtase que, desde ainda algum tempo, muito poucos seres puderam viver e, ainda, de maneira não permanente.

Lembrem-se de que basta uma vez esta Onda percorrer no Êxtase para que, nunca mais, nada seja como antes. Lembrem-se, também, de que não há nada a buscar porque isso é totalmente natural.
Sigam seu caminho, em paz, cada vez mais.
Façam o que vocês têm que fazer.

Se a Luz os chamar, então, respondam ao Apelo.
Se a Onda da Vida estiver aí, estremecendo sob os seus pés ou subindo ao longo das suas pernas, ou já presente por toda parte, vocês irão constatar, vocês mesmos, que cada dia vocês estão diferentes.

Vocês não poderão mais duvidar que isso seja sua natureza.
Vocês não poderão mais interrogar sobre o que quer que seja porque vocês são todas as respostas. Isso não é um jogo de palavras, nem uma descrição exterior, mas, sim, o que será o resultado deste “sim”.

Como lhes dizem os Anciãos: reflitam.
O que pode chegar a vocês? Qual elemento nefasto poderia intervir neste estado?
O nefasto não existe. Ele é apenas uma consciência alterada que está instalada, desde tanto e tanto tempo, no princípio do medo.

Tudo irá se tornar, para vocês (muito além do que foi chamado de Fluidez da Unidade ou de sincronias), tudo irá se tornar Majestade, tudo estará no mesmo Êxtase. Vocês não poderão olhar-se uns e outros com a menor animosidade, com o menor desejo de mudar o outro, de protegê-lo do que quer que seja.

Porque, cada vez mais, vocês irão se reconhecer pelos seus olhares.
Cada vez mais, vocês irão se reconhecer pela sua vivência comum, além de qualquer descrição. Vocês irão se reconhecer, é claro, por este Êxtase que emana nos seus olhares, de um para com o outro, nos seus contatos, quaisquer que sejam, muito além de qualquer esfera pessoal de relação, qualquer que seja.

Vocês estarão presentes, a cada minuto, totalmente presentes, aqui como em outros lugares. Não haverá um tempo para estar na ação e um tempo para estar em uma outra ação. Vocês irão perceber, naquele momento, tudo isso, de maneira extremamente leve é fácil.
Porque o Êxtase é fácil.

Ele não pede de vocês qualquer esforço, mas, justamente, a renúncia do esforço. Então, é claro, o ego vai dizer-lhes que nada é preciso fazer, que tudo vai acontecer.

Não foi exatamente isso que eu disse porque, justamente, o que é para Abandonar é toda reivindicação do ego que vai fazer dessas palavras o inverso do que elas querem dizer. A Onda da Vida não pode se acomodar em qualquer ação do ego, em qualquer interação sequer. Isso vocês irão vivê-lo, se vocês não o vivem ainda.

O Amor e o Absoluto, que são sua natureza, irão fluir de vocês, sem esforço, sem desejo. Não poderá ser de outra forma. Vocês estarão na doação e vocês irão doar, permanentemente, sem mesmo pensar no que vocês estão doando.

Tudo irá se tornar muito simples porque tudo é simples.
Quando isso se torna complicado, difícil, obviamente, isso não é o Absoluto.
São apenas as resistências que se expressam. Lembrem-se de que o que vocês viviam, ou não, vocês não têm, tampouco, que se julgar.
Porque nada julga vocês.

O Absoluto não conhece qualquer julgamento.
O Absoluto, além da Unidade, não conhece nem o bem, nem o mal.
Ele conhece apenas a Vida.
Ele conhece apenas o Êxtase.

Lembrem-se de que a Onda da Vida, quando ela lhes percorre, não pede qualquer resposta, nem qualquer ação da sua parte. Naquele momento, tentem, efetivamente, num primeiro tempo, ser aquele que observa o que se desenrola neste corpo.

Lembrem-se dos alguns elementos que lhes foram dados pela minha Irmã GEMMA (ndr: intervenção de GEMMA GALGANI de 18 de fevereiro de 2012) referentes ao que pode favorecer, em vocês, isso. Chegará um momento, segundo o tempo linear deste mundo, em que isso não poderá mais ser escondido. A única maneira que vocês têm, naquele momento, é Amar ainda mais. É a única maneira de exterminar o medo.

Lembrem-se de que o medo está inscrito na mesma história da humanidade, a partir do momento em que ela vivenciou o fato e o sentimento de ser cortada do que quer que seja. Nós lhes dissemos que vocês não eram responsáveis por nada e, ainda menos, culpados.

Então, por que vocês querem, hoje, buscar uma culpa, uma responsabilidade?
A única coisa de que vocês são, efetivamente, responsáveis, é do seu “sim” ou do seu “não”. E nisso, também, vocês são totalmente Livres. Somente o ego vai fazê-los crer que vocês não são Livres, sempre e incansavelmente. Então, vocês querem escutar a minha voz ou vocês querem escutar a voz da razão, a voz do seu ego?

Chegará um momento em que vocês não poderão mais dar o menor crédito à voz do ego. Naquele momento, a Graça irá se tornar evidência para vocês, porque, o que vocês vivem (em suas noites, em seus dias), irá aparecer-lhes como o único salvo-conduto e a como a única coisa verídica. Vocês irão se aperceber, naquele momento, de que tudo o que lhes disseram os nossos Irmãos e Irmãs, em particular os orientais, sobre a noção de Ilusão, da matriz, de alteração, de falsificação, é inteiramente verdadeiro.

É, aliás, a única Verdade.
Vocês são esta Eternidade.
Vocês são os Filhos do Amor, da Lei do UM.
Vocês não pertencem à pessoa. Vocês se pertencem a vocês mesmos, a partir do momento em que vocês dizem “sim” à Onda da Vida. Vocês não têm que prestar contas a ninguém, apenas a sociedade instituiu isso.

Somente as próprias condições desta vida instalaram isso.
Mas vocês, em Verdade, vocês são os Filhos do Amor.
O Amor é isso que é a Verdade. Que isso seja no Si, que isso já esteja integrado e vivenciado no Absoluto ou que lhes esteja ainda nas fases de resistência, de dúvida, de medo, de interrogação, não se ocupem disso. Afastem-se desses problemas que foram criados pelo seu próprio mental.
Vocês têm apenas que escutar.
Vocês têm apenas que viver.

O momento da sua Eternidade não está mais no amanhã, nem em um futuro, nem em qualquer data.

Vocês trabalharam para que esse mecanismo se realize na maior docilidade.
E, efetivamente, esta docilidade está em vocês, a partir do momento em que vocês se colocam (e que vocês dizem “sim”) na Onda da Vida.

Obviamente, os elementos opostos, ao redor de vocês (na sua própria família, nesta sociedade, no seu local, na sua profissão, na sua atividade), vão tentar atuar, mas vocês irão ver cada vez mais claramente. Vocês estarão, aliás, cada vez mais Claro e cada vez mais Transparente. A Transparência tornar-se-á tal que vocês irão se tornar, vocês mesmos, permeáveis ao que o outro quer captar de vocês.

Ele nada mais verá senão o Absoluto.
Quanto mais ele se aproximar, ele mesmo, mais ele poderá comungar com vocês nesta Comunhão da Graça, onde o Amor e o Êxtase se repartem, aqui como em outros lugares. Porque não há outros lugares e não há aqui, há apenas a Graça, e a Graça é partilha e doação. O olhar da personalidade irá tender fazê-los duvidar, mas, vivendo-o, vocês não poderão mais duvidar.

A Onda da Vida é Êxtase.
Ela é esse Casamento Místico com sua cópia, com todas as cópias, com todos os Seres. As Presenças, em meio aos Mundos Unificados, irão lhes aparecer cada vez mais facilmente, além de toda comunicação verbal, porque vocês irão se comunicar além da comunicação, por uma Comunhão, por um estado, pelo “sim”.

Então, minhas Irmãs Estrelas e eu mesma, nós lhes pedimos uma Ação de Graça, durante esta semana que vai de 02 de abril a 08 de abril.

A cada respiração, a cada contato que vocês estabelecerem, em vocês como com seus Irmãos, como com aquele que se considera ou que vocês consideram ainda como um inimigo e um obstáculo, lembrem-se, durante esta semana, das minhas palavras: “Amem-se uns aos outros como Ele os amou”.

Além de toda aparência, além de todo papel, além de tudo o que vocês acreditam, coloquem, efetivamente, o Amor na frente e vocês irão ver que a Graça irá fluir em vocês em fluxo contínuo.

Não coloquem questão, sejam a resposta.
Como foi dito pelo bem amado SRI AUROBINDO, em breve um ser virá se expressar.

Ele virá chocá-los porque o seu Amor é absoluto, ele não conhece qualquer limite. Ele virá falar com vocês e se apresentar a vocês.


Mas isso, vocês já o tem em vocês.
O Manto Azul da Graça continuará às quintas-feiras, às 22 horas [17h00 – hora de Brasília; 21h00 – hora de Lisboa] (ndr: ver na seção “Protocolos a praticar”, mas ele estará, sobretudo, cada vez mais presente, mesmo nos momentos (e, aliás, naqueles momentos, isso será ainda mais evidente) em que vocês estão em qualquer outra coisa que isso, deliciando-se no Êxtase, sem medida comum com o que vocês imaginavam, com o que vocês estavam prestes a efetuar ou dormindo.

A sua Essência se revela a vocês mesmos.
Aí também, deixem trabalhar este Êxtase.
A Onda da Vida libera-os e os possui, na totalidade, porque vocês são isso.
O Manto Azul da Graça vai esculpi-los, de algum modo, além de todo papel, em sua Eternidade. Se um problema chegar à sua consciência, qualquer que seja, além de remetê-lo à Luz, além de pedir uma solução, considerem que a solução já está aí, porque ela já está aí.

Apenas no aparecimento de um busca de solução que a solução se afasta, ativando mecanismos intelectuais, mentais, de reflexos (de qualquer forma, condicionados pelas suas experiências passadas), afastando-os sempre mais do instante presente. A Graça, ela, não está no amanhã.

Ela não está no ontem.
Ela está aí, agora.
Vivê-la, atualizá-la, na totalidade, é renunciar a tudo o que não é Ela.
É renunciar a vocês mesmos. Não em uma negação, não no fato de recusar viver, mas renunciar a todas as lutas.

É render as armas.
Nada há a combater.
Ninguém há a combater.
Enquanto existir em vocês um combate, qualquer que seja, é o que os leva contra vocês mesmos.

Não há caminho.
Há apenas uma Verdade.
Há apenas uma experiência.
Tentem fazer a experiência e vocês irão ver que não há nada que possa estar contra isso. Qualquer resistência irá vacilar nela mesma, em vocês como neste mundo. Vocês não têm do que fugir. Vocês nada têm a deixar, como minhas Irmãs e os Anciãos lhes disseram.

Vocês apenas têm que se afastar do que é limitado.
Vocês apenas têm que estar à escuta, sem questionamento, do que se desenrola neste corpo. Lembrem-se, também, do que lhes disseram as Estrelas, os Anciãos: a Onda da Vida é uma doação da própria Graça.

Ela não responde a qualquer anterioridade.
Ela não responde a qualquer pedido porque nada há a pedir que já não esteja aí.
Eu voltarei, ainda uma vez, no momento oportuno, mas lembrem-se de que eu já estou aí, através mesmo deste Manto Azul da Graça, através mesmo da Onda da Vida que desperta.
Minhas palavras foram muito simples.

Elas não pedem, hoje, nem perguntas, nem comentários.
Como muitas consciências que vieram entre vocês, nós estamos instalados além da nossa própria consciência de Ser, para permitir à Onda da Vida alcançá-los.
Em breve, depois da minha partida dentro de alguns minutos, virá aquela que estará aí para partilhar com vocês (ndr: GEMMA GALGANI) que muitas vezes lhes deu o seu caminho, o seu acesso à Unidade, as condições.

Hoje, ela estará aí com vocês, na totalidade, até o seu Alinhamento.
Este Alinhamento, que não é mais um, para muitos de vocês, porque vocês ultrapassaram, em muito, a data de 02 de abril que nós lhes demos, o que nos regozija e nos encanta (ndr: ver “Protocolos prioritários” na coluna “Protocolos a praticar”).

Retenham que não existe problema, que não existe questão, existem apenas soluções e evidências, a partir no momento em que vocês cessam de jogar o jogo da personalidade e que vocês se instalam no “sim” da Graça. Em breve, nós iremos chamá-los, a cada minuto do seu tempo terrestre, para dizer “sim”. E, naquele momento, quando vocês tiverem dito “sim”, vocês poderão rir além de toda Alegria.

Não do riso sarcástico daquele que duvida.
Mas vocês irão rir porque o Êxtase é riso.
O que vocês podem desejar de mais belo, de mais verdadeiro, de mais autêntico do que viver a Graça e o Amor? Porque isso é o que vocês São, o que nós somos, com vocês.

Ousem.
Ousem viver.


Eu encerro aí minhas palavras.
Eu encerro aí o discurso para estabelecer, com vocês, este momento de Comunhão à Graça, que lhes é oferecido a cada minuto, a partir do momento em que vocês dizem “sim”. Eu lhes digo: até uma próxima Vez.

Eu lhes digo: até logo.
Acolham-me, cada um de vocês, como eu os acolho.

CRISTO dizia: “Deixem vir a mim as crianças”.
Hoje, eu lhes digo: “Todos vocês são meus Filhos e todos vocês são Livres”.
Não há qualquer sentimento de posse quando eu digo isso.
Não há qualquer reivindicação.
Há apenas a Graça.

Então, comunguemos juntos a esta Graça, alguns minutos do seu tempo, para a Eternidade sem tempo.

... Compartilhamento da Doação da Graça ...

Até uma próxima vez.
Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra.
Eu sou o Amor que vocês São.


Enviado por Rosa
Mensagem da Divina Maria no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1394
24 de março de 2012
(Publicado em 26 de março de 2012)
Tradução para o português: Zulma Peixinho
http://portaldosanjos.ning.com

M.M - http://minhamestria.blogspot.com/
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/

O.M. AÏVANHOV - 24-03-2012 - PARTE 2 AUTRES DIMENSIONS

O.M. AÏVANHOV - 24-03-2012 - PARTE 2 AUTRES DIMENSIONS



Pergunta: SNOW abordou o papel dos alimentos crus na alimentação (ndr: intervenção de 17 de março de 2012). Por que isso gera em mim um medo de emagrecer?

Quem tem medo de emagrecer senão este corpo?
Será que você é este corpo (que ele seja obeso, que ele seja anoréxico)?

Você está neste corpo.
Você tem um veículo (que é este corpo) que é para manter, para nutrir.
O que significa comer cru?
Reflitam.

Nós lhes dissemos (e vocês sabem): a Onda da Vida, ela está por toda parte.
As árvores são os vetores, também, desta subida da Onda da Vida. Elas estão Alinhadas, as árvores, permanentemente. Os produtos da natureza (os alimentos crus) são portadores da Onda da Vida.
Se vocês aquecê-los, o que acontece?

Vocês substituem a Onda da Vida pelo Fogo vital, o Fogo material (pelo cozimento). Portanto, vocês suprimem, totalmente e na totalidade, pelo fogo de cozer os alimentos, esta Onda da Vida. Hoje, a Onda da Vida está presente sobre a Terra em muitos seres humanos, mas, também, em toda natureza, como disse SNOW.

Portanto, se vocês pegarem um vegetal, e em seguida, se, este vegetal, vocês o comerem tal como, vocês irão constatar o quê?
Que vocês o digerem sem qualquer problema.
Se ele estiver cozido, vocês o digerem com menos facilidade.

E se vocês não tiverem problemas digestivos, o que vai acontecer?
É muito simples: vocês terão vontade de dormir. Porque o seu Fogo vital foi desviado da Onda da Vida para ir digerir o que vocês colocaram no ventre.
Muitos de vocês sabem, pertinentemente, que as condições da sua alimentação estão modificadas.

Então, é claro, não adotem uma alimentação crua unicamente para dar prazer ou para satisfazer o seu ego de dizer que eu vou viver a Onda da Vida porque eu como cru’.
Isso é falso.
Como não nutrir o ego?
Não julgando.

Isso eu disse no prefácio.
E, sobretudo, não desviem a Energia vital em benefício da digestão.
Isso não quer dizer que seja negativo. Isso não quer dizer que vai privá-los da Onda da Vida, mas que irá produzir um estado menos propício à subida da Onda da Vida.

A Onda da Vida, lembrem-se, isso foi dito: ela entra pelo baço e pelo fígado (pelo chacra do baço e pelo chacra do fígado) dando, às vezes, dores nesses pontos.
O que há ao nível do baço e do fígado que são dois órgãos que estão justamente sob o diafragma [músculo situado entre o tórax e o abdômen, separando-os]?

Há o eixo ATRAÇÃO / VISÃO (o eixo falsificado, o famoso Fogo Prometeico).
Isso foi explicado: eu os remeto ao IRMÃO K, no último verão ou um pouquinho antes do verão (inverno, no hemisfério sul) (ndr: intervenção de 07 de julho de 2011).

Tudo isso, vocês o mantêm.
Vocês o mantêm com o quê?
Com o julgamento.

Porque, quando vocês julgam, vocês se separam de vocês mesmos.

Assim que houver o menor julgamento.
Porque o julgamento sempre será oriundo de uma visão, de uma visão mental, de uma visão intelectual, de uma visão livresca, de uma visão ligada a conhecimentos que vocês leram. Mas tudo o que vocês leram afasta-os do que vocês São, fazendo-os aderir a um passado que não existe no Hic e Nunc.

Isso vocês compreendem.
É exatamente o mesmo com os alimentos.
Quando vocês começam a transformar os alimentos, vocês mudam a natureza arquetípica do alimento.

Naturalmente, não é questão de fazê-los, como se chama isso, crudívoros, ou seja, pessoas que se nutrem de alimentos crus a vida toda.
Vocês têm plenamente o direito, a possibilidade, o desejo, até mesmo, de comer ou de ingerir bebidas quentes.

Porque não.
Aliás, é melhor ingerir bebidas quentes do que bebidas frias.
O frio é mesmo mais perigoso, para a Onda da Vida, do que o quente.
A Onda da Vida não lhes pede mais para estar na razão.
Ela pede para estarem lúcidos.
Lúcido sem julgamento.
E, para os alimentos, façam o teste.

Se vocês comerem apenas o que for preciso, se vocês ingerirem os alimentos que contêm a Onda da Vida porque eles não foram alterados pelo cozinhar ou pelo cozimento, vocês irão se nutrir do mesmo modo que colocando (como disse SNOW ou como disseram os Arcanjos) os pés no orvalho: vocês irão favorecer a Onda da Vida.

Então, há quem emagreça.
Há quem engorde.
Porque, apesar de tudo, vocês ainda têm uma fisiologia que é o que chamamos de sua natureza de personalidade (seu terreno, se vocês preferirem).
A Onda da Vida é o que todos nós somos.
Ela encontra diferentes terrenos.
Por que vocês querem mudar o terreno?

Busquem o Reino dos Céus e todo resto (absolutamente todo o resto) ser-lhes-á dado. E buscar o Reino dos Céus é, simplesmente, deixar a Onda da Vida (assim como deixar a Luz), agir. Isso é tudo. Enquanto vocês acreditarem que vocês irão produzir a Luz fazendo alguma coisa, vocês se afastam da Onda da Vida.

Porque é o ego que crê que ele pode fazer o bem.
Porque é o ego que crê que ele pode agir sobre alguém.
Obviamente, é sempre o ego. Quando vocês se apreenderem disso, será que isso quer dizer que vocês vão se tornar um vegetal?

Não.
Isso quer dizer, simplesmente, que vocês compreenderam, que vocês se apreenderam e que vocês aquiesceram. Como há alguns anos, já, alguns de vocês aquiesceram acolhendo a Luz CRISTO, na Unidade e na Verdade.

Foi por isso.
Portanto, não se coloquem questões.
A Onda da Vida é alimento.
E mesmo se vocês não se alimentarem mais, de qualquer maneira.
Alguns, aliás, sem o desejar, sem o decidir, modificaram, como lhes disse, as regras fisiológicas.

Alguns de vocês não têm mais necessidade de dormir.
Alguns de vocês não têm mais necessidade de comer.
Não foi algo que eles decidiram.
Se vocês decidirem fazer como disse SNOW, isso é uma experiência.

Façam a experiência.
Se a experiência não for conveniente para vocês, porque vocês se obrigam a fazê-la? Mudem de experiência já que a Onda da Vida está aí, o que quer que vocês façam.

Pergunta: MARIA havia falado da Estrela anunciada pela Estrela, no mês de março. Qual sua relação com a Onda da Vida?
São sinais estelares.
Se vocês preferirem: configurações estelares.
Alguns seres, no século XX, falaram dessas configurações.
Eu, eu falei dos planetas, é claro.

Eu falei da Árvore da Vida.
Tudo, no Céu, é representação de formas.
E não há qualquer elemento, do Céu e da Terra, que não seja distinto de uma configuração qualquer, de uma ressonância qualquer.

A Estrela (a primeira), ela passou.
A segunda, ela é para o mês de março.

O mês de março não terminou.
Agora, é claro, será que isso é visível com os olhos?
O que vocês vivem, no Interior de vocês (a Onda da Vida), é a coisa mais essencial.
Mas lembrem-se do que eu disse, desde algumas semanas ainda, sobre os três dias: será que vocês têm necessidade dos três dias para acreditar?

A única coisa é viver a Onda da Vida.
Porque, a Onda da Vida, quando ela é vivenciada (vocês irão ver por vocês mesmos), não há qualquer questão possível.

Vocês são a Alegria.
Vocês se tornam a Eternidade.
Vocês são este Êxtase permanente.
O que pedir a mais neste estado de Êxtase?
O problema é que este estado de Êxtase contradiz, na totalidade, esta sociedade e este corpo e esta vida. Porque o Êxtase Interior (a Íntase), além do Samadhi, é nossa natureza profunda. E, obviamente, quando vivemos nossa natureza profunda, nós nos damos conta do quê?

Do absurdo.
Isso não é um julgamento.
Vocês se apercebem do absurdo total do que não é a Onda da Vida, do que se afastou da Onda da Vida.

Sem julgar.
Sem condenar.
É uma lucidez nova.
E, sendo esta lucidez nova, vocês querem, sobretudo, não se opor.
Porque, se vocês se opuserem ao que quer que seja, a quem quer que seja, vocês não são mais a Onda da Vida já que a negação da Onda da Vida (o confinamento da Terra) é, justamente, esse princípio de separação.

Pergunta: por que eu quero satisfazer-me com o que eu não imaginava fazer parte do meu caminho, como, por exemplo, comer carne, viajar?
Então, cara amiga, há pessoas que, hoje (particularmente nesses caminhos espirituais), se estabeleceram, a elas mesmas, em contextos.
Elas se estabeleceram em contextos mentais: “eu não devo comer carne, eu devo orar, eu devo Alinhar-me, eu devo ser gentil”.

O que vai acontecer, naquele momento?
Foi a personalidade que decidiu isso.
E quando a Onda da vida chegar, ela vai colocá-los frente a tudo o que os enrijeceu (fossilizou) por obedecer a uma crença.

Vocês acreditaram, em meio à personalidade, que era preciso não comer.
Vocês acreditaram, em meio à personalidade, que era preciso fazer isso, que era preciso ser extravagante, que era preciso deixar exprimir o desejo (isso faz parte de alguns ensinamentos orientais).

O que acontece hoje?
A Onda da Vida, ela os faz descobrir que vocês não estavam na Verdade, que vocês estavam em uma Ilusão de Verdade, aplicando princípios, a vocês mesmos, de restrição.

Simplesmente, isso lhes mostra o que é a personalidade: um elemento que ridiculariza, um elemento que se opõe, um elemento que vai criar regras.

Mas essas regras, elas sempre são criadas (como dizia IRMÃO K) no conhecido, no limitado. Mas, ainda uma vez, não há qualquer limitado que não possa viver o Ilimitado. Por outro lado, o Ilimitado conhece o limitado.

Evidentemente, aquele que está confinado no próprio limite da sua personalidade (do seu pequeno ego e do seu pequeno ego espiritual), que vai crer que é preciso orar, que é preciso ser gentil (mesmo se houver vontade de estrangular alguém), este está no erro o mais total.

Porque ele fica constrangido.
Isso não quer dizer que ele precisa estrangular a pessoa, é claro.
Mas que precisa estar lúcido sobre os mecanismos que vocês aplicam em vocês.
Há pessoas que vão dar um grande sorriso, que lhes diz “paz”, mas que tem apenas um desejo: matá-los.

A Verdade, ela não está na aparência.
Portanto, efetivamente, se vocês tiverem constrangido, em vocês, alguma coisa, ela vai explodir na cara.

Isso é tudo.
Não há que julgar.
Observem.
Se alguma coisa surgir, hoje, em vocês, é que ela já estava presente, já que vocês estão no contexto do conhecido.

Vocês opacificaram.
Como eu dizia à época: vocês colocaram sob o tapete.
Depois, retiramos o tapete.
E, agora, retiramos o solo.

Então, onde vocês têm os pés?
E eu vejo os egos que se viram depressa.
Como eu disse uma vez: não são vocês que desaparecem, é o mundo.
Assim como ele desaparece a cada vez que vocês dormem à noite.
Será que vocês entram em agonia metafísica, indo para a cama, perguntando-se se amanhã o mundo vai existir?

Então, confiem na Onda da Vida.

Pergunta: situar-se, em Consciência, além da individualidade, corresponde ao quê?
Isso significa: parar de pensar.
Vocês não são os seus pensamentos.

Eles estão aí, no entanto.
Será que um pensamento é duradouro?
Será que um pensamento é eterno?

Não, ele passa.
E nós conhecemos, todos, a versatilidade dos pensamentos.
Nós pensamos em um troço, cinco minutos depois (quando estamos encarnados) nós pensamos em outra coisa.

Nós temos objetivos.
Então, dependendo da personalidade, esses objetivos podem levar a vida toda ou, então, mudamos de objetivo. Mas não há objetivo.
Se vocês são essencialmente honestos, não há qualquer objetivo exterior para Ser.

É uma questão de mudança de olhar.
Isso que é a personalidade, em relação a esta frase, vai travar os dois pés, dizendo: “nossa, para onde eu vou?”. Mas, justamente, ela não vai a parte alguma, a personalidade. Há apenas a personalidade que crê que ela vai a algum lugar, de um ponto aqui a um ponto ali.

Isso é verdadeiro quando vocês vêm, aqui, escutar as bobagens que eu lhes digo: vocês se deslocam de um ponto a outro ponto. Mas será que Vocês se deslocaram?
Aliás, eu não sei como vocês se deslocam quando não há mais solo.

A individualidade é o Si.
O Si não pode compreender o não Si.
Os seres e nós mesmos, nós temos o quê?
Favorecido a eclosão do Si.
O que aconteceu há menos de dois meses?
Nós lhes dissemos: “o Si é uma Ilusão”.

Badabum [barulho de uma queda].

Tudo caiu.
O que caiu?
Foi o ego espiritual.
Foram etapas que ocuparam.
E o Bem Amado SRI AUROBINDO passou a vida escrevendo poemas.
Era para ocupar o seu próprio mental.

E eu, eu fazia o quê?
Eu fazia as pessoas dançarem para ocupar seu mental.
Será que, fundamentalmente, isso serve a alguma coisa para aquele que vive o Absoluto?

Não.
Mas são estratégias que são elaboradas.
Fazendo-os dançar.
Fazendo-os rezar.
Não há objetivo porque a Onda da Vida (e o que vocês São) está aí, desde toda Eternidade. Simplesmente, é a personalidade e a individualidade que se afastaram disso.

Há seres que descreveram de maneira notável (especialmente hoje, desde que houve a descida do Espírito Santo). Há cada vez mais seres humanos que, de repente, surgem em uma outra realidade que é a realidade do Si. Eles não lhes falam nem de Energia, nem de Vibrações, nem do chakra do Coração, nem da Kundalini, nem do que quer que seja.

Eles vivenciaram um mecanismo de acesso ao Si e, vivendo esse mecanismo de acesso ao Si (onde eles descobrem a vida sob um outro olhar), eles são persuadidos de que esse olhar é a Verdade. Mas isso não é mais a verdade que o ego. Dito de outra forma, nem a personalidade, nem a individualidade (que está ligada à Alma) são a finalidade.

Aliás, o termo ‘finalidade’ é empregado pela personalidade e pela individualidade: a individualidade que quer se estabelecer no Si e ali permanecer.
É como se vocês se espelhassem, vocês mesmos, na sua própria Luz.

Mas vocês são a Luz?
A Luz é tornar-se a Onda da Vida.
É, primeiramente, viver a Deslocalização, a bilocação.
É ser, ao mesmo tempo, esta consciência (neste corpo limitado), mas, ao mesmo tempo, ser o Sol, ser qualquer outro ser humano.
Isso não é um jogo de palavras.
Isso não é a adesão a uma crença, qualquer que seja.
Isso é uma vivência.

Mas enquanto vocês se espelharem no Si, é a mesma coisa que se espelhar no ego: vocês não podem aceder ao Indizível.
Agora, vocês são livres de ficar observando o umbigo.
Vocês são livres para ficar observando o Si.
Mas a Onda da Vida não pode ser observada.

Vocês são ou vocês não são.
O Absoluto (o Parabrahman, A FONTE) não tem o que fazer de qualquer individualidade porque A FONTE está por toda parte.
Se vocês são o Absoluto, vocês estão, também, por toda parte.

Isso não é uma projeção.
Isso é a estrita Verdade.
Agora, enquanto vocês não o viverem, vocês não podem nem concebê-lo, nem aceitá-lo. Vocês podem apenas recusá-lo e isso é lógico.
Mas o dia em que a Onda da Vida estiver aí, o que acontece?
Vocês vão rir pra caramba.

Por quê?
Porque, justamente, o baço (que é o princípio da Atração) é responsável pela retração da Alma. Se a Alma for transmutada (transcendida, muito exatamente), vocês vão rir porque vocês não têm mais o baço.

Vocês não têm mais nada que os constranja em qualquer regra.
Não quer dizer que vocês se tornam um assassino.
Não quer dizer que vocês se tornam um bandido.
Vocês se tornam a própria Onda da Vida.

Mas, é claro, para a personalidade (que está no combate, na Dualidade), mesmo para o Si (que está na Unidade), isso não pode existir de maneira alguma.
E, aliás, isso não existe.
Isso É.
Mudem o olhar.

Pergunta: viver como um luto, um enterro Interior, é viver a Renúncia?
Mas, é claro.
O Nascimento no Absoluto é, evidentemente, a morte.
Não deste corpo, mas a morte de todas as Ilusões.
É um luto.

É o ‘choque da humanidade’.
O luto (e o choque), ele está em vocês antes de estar no mundo.
É exatamente isso. É o momento em que vocês saem da infância: vocês são adolescentes, vocês se tornam adultos. O que vocês perdem ao nível da personalidade?

Uma série de ilusões.
É como o dia em que vocês aprendem que o Papai Noel não existe, ou que o Papai Noel é um lixo, dá no mesmo. É uma expressão que foi muito usada e que é muito, muito bela porque vende alguma coisa a vocês.

Quando vocês são criança, vocês acreditam.
E vocês acreditam tanto que vocês o veem, esse Papai Noel.
É uma egrégora.
E depois, um dia, lhes dizem: “ele não existe”.

O que isso é para vocês?
É a mesma coisa quando as pessoas vivem uma experiência às portas da morte e que retornam. Elas sabem, pertinentemente, que não são este corpo porque elas vivenciaram um outro corpo (também ilusório, é claro) que é o corpo astral.
Porque, quando vocês partem na Luz, vocês veem muito bem que esses seres, eles estão parados antes da Luz.

Mas, mesmo assim, eles vivenciaram o Amor.
Porque eles viram a verdadeira Luz.
Alguns deles vão, realmente, até a Luz, até o Sol.
Então, é claro, o Sol, ele não está em cima, no céu.

Ele está no Coração.
O seu Coração é o seu Sol.
Mas não há diferença entre o Sol que está em cima e o seu Coração.
Simplesmente, a visão da personalidade acredita que há uma localização.
Quando vocês são o Sol, vocês estão no Coração, vocês estão no Sol, vocês estão por toda parte.

Portanto, aí, é exatamente o mesmo princípio.
O ego (a personalidade, a individualidade) sempre vai se perguntar para que isso serve: para ocuparem-se. Será melhor se ocupar em fazer o amor do que a guerra, vocês não acham? Mas isso fica (e isso permanece) apenas uma ocupação.

Pergunta: por que eu vivo os processos em curso e, ao mesmo tempo, ressurgências de mágoas antigas dando vontade de abandonar tudo?
Mas isso é perfeitamente normal.
São as últimas dúvidas e os últimos medos.
É quando a Onda da Vida, ela chega ao nível dos dois primeiros chacras.
Isso foi explicado na semana passada, eu creio.
Isso explica, perfeitamente, o que acontece.

Quando a Onda da Vida chegar aos dois primeiros chacras, vai explodir, na cara, não somente as suas feridas, mas a ferida fundamental da humanidade que é o medo da carne (o isolamento da carne): todas as máculas (reais ou supostas) às quais a humanidade, na totalidade, deu peso e corpo, em um determinado momento. Então, é claro, o que vai lhes sussurrar o ego na Onda da Vida?

Que isso não é verídico.
Mas, obviamente porque, mesmo quando a Luz descia, o ego, ele estava aí.
Ele podia, até mesmo, desabrochar: “ah, eu vivo o efeito do Coração, eu vivo a Luz, eu vivo o Si, eu sou o Si”.

Era verdade.
Mas, a Onda da Vida, ela põe fim a todas as Ilusões.
Portanto, o que é Ilusório não tem outra solução senão dizer que isso que se vive é uma ilusão. Esta é a última etapa, quando a Onda da Vida chegar ao nível dos dois primeiros chacras (ao nível do períneo e ao nível do umbigo).

Porque ela lhes dá a ver as últimas dúvidas, os últimos medos que não são, necessariamente, os seus (mesmo se isso os faz lembrar das feridas).
Mas é, sobretudo, a ferida fundamental da humanidade.

Pergunta: uma dor, mesmo antiga, ao nível do umbigo, participa desse processo?
De maneira indireta.
Porque a Onda da Vida pôde nascer, para algumas pessoas, de forma episódica, desde alguns anos. Mas, naquela época, nenhum ser que vivenciou esta Onda da Vida pôde atualizá-la. Pelo contrário, isso dava um sentimento de urgência, de alguma coisa contrária à espiritualidade, contrária ao Coração.

E isso foi relatado.
Obviamente, vocês podiam ter manifestações, já, desde vários anos.
Há ensinamentos (muito, muito antigos) que descrevem, aliás, o percurso da Onda da Vida. Mas, jamais foi anunciado como isso se produz agora.
Portanto, são as últimas dúvidas, os últimos medos porque o ego (a personalidade e mesmo a individualidade), ele vai dizer-lhes que ele quer sobreviver.

Que isso não é verdade.
Que o Absoluto não pode existir.

A Unidade, sim.
Porque podemos reivindicar a Unidade, mas vocês não podem reivindicar a Onda da Vida porque é o que vocês São. São as últimas retrações da Alma (como falou uma Estrela, na semana passada) (ndr: intervenção de MA ANANDA MOYI de 10 de março de 2012).

Pergunta: e sobre o som da Onda da Vida?
É um som, efetivamente, também.
Vocês sabem, nos diferentes Samadhi, há diferentes sons.
O som da Onda da Vida é o som da Terra, do Céu.

São as Trombetas.
São as Trombetas e, em breve, isso será o quê?
O grito ensurdecedor da Fênix, o grito da Ressurreição: aquele que vai apreender o conjunto da humanidade.

Esses sons foram-lhes anunciados desde quase um ano.
Eles apareceram, de maneira transitória, efêmera, temporária, em alguns locais.


Se vocês se interessarem pelas notícias, vocês irão ver que esses sons estão progredindo, de maneira extremamente importante, em vocês como no exterior de vocês. Naturalmente, a Onda da Vida foi liberada.

A Terra está liberada.
Ela está prestes a viver, neste momento mesmo, a sua Ascensão.
Então, é claro, como eu sempre disse, vocês, vocês estão na Europa Ocidental.
Vocês trabalharam intensamente para evitar todas essas etapas que os profetas tinham anunciado. Portanto, como eu disse: regozijem-se.

Fiquem felizes.
Vocês têm toda a oportunidade e a facilidade para viver a Onda da Vida.
Vocês acham que, quando algumas dificuldades se apresentarem, se a Onda da Vida não estiver instalada (ou se ela não tiver nascido, se vocês não tiverem se aproximado), vocês acham que isso será mais simples ou mais difícil?

Eu os empenho a reler o que disse o IRMÃO K, o seu próprio testemunho sobre o acesso a este Absoluto: o indizível sofrimento. De qualquer maneira, é mais agradável viver o Indizível Êxtase ao invés de viver, em primeiro lugar, o indizível sofrimento para descobrir o Indizível Êxtase.

É mais agradável para a personalidade.
É mais agradável para a individualidade.
Mas, para isso, é preciso aceitar nada mais fazer em meio à personalidade (pela personalidade), em meio à individualidade (pela individualidade).
Isso não significa que é preciso absolutamente nada fazer nesta vida.

Isso foi divulgado.
Em última análise, se a Onda da Vida não tiver se manifestado, isso quer dizer que vocês não estão, vocês mesmos, suficientemente alinhados com esta Onda da Vida que é, eu os lembro, nossa natureza, de todos.

Agora, foi-lhes dito ainda, desde algumas semanas (seja por UM AMIGO, seja por outros, pelo Mestre PHILIPPE): permaneçam tranquilos.

Fiquem em paz.
UM AMIGO lhes disse: “deem-se a paz”.
Todas as estratégias que vocês possam elaborar (atualmente) não são destinadas a trabalhar na Onda da Vida.
Isso é impossível.

Mas vocês podem continuar a ocupar o seu ego, a viver a Paz, a aproximar-se da Paz, a Alinhar-se, a ir para a natureza (como dizia SNOW), a caminhar no orvalho (como dizia um Arcanjo).

Vocês vivem-no, muito exatamente, no momento certo.
Lembrem-se desta frase: “os primeiros serão os últimos; os últimos serão os primeiros”.

Pergunta: quais são os elementos que vão entrar em resistência?
O que entra em resistência será, sempre, a personalidade e o ego.
Porque, para a personalidade, a personalidade apenas pode existir se houver um combate, se houver uma Dualidade, se houver um objetivo, se houver necessidade (para o ego, sempre) de restabelecer a Verdade.

Porque o ego vai, sempre, projetar no exterior.
Então, o ego vai acreditar que há um deus malvado, um deus bom, um diabo, para justificar suas próprias insuficiências e, portanto, sua própria luta contra ele mesmo. Mas, tudo isso não existe.
Isso é infantil.

Mas o ego é infantil por Essência.
Portanto, há elementos humanos e não humanos, ou seja, todas as egrégora que foram pesando, tudo o que se tornou pesado: o medo, o medo da falta, a noção de dinheiro, a noção de propriedade, a noção de marido e mulher (mesmo na união a mais perfeita, isso permanece uma união da personalidade, não é?, e de dois corpos).

Não há Liberdade aí dentro.
Portanto, esses elementos humanos e não humanos vão se opor, ferozmente (até o último minuto), à Onda da Vida.

Isso é lógico.
A sua própria existência é apenas a negação da Onda da Vida que, no entanto, não pode ser negada porque, se a Onda da Vida não estivesse aí (mesmo um traço), ninguém poderia experimentar o que quer que seja.
Mas, a experiência não é a Onda da Vida.
Vão, dois últimos.
Depois eu vou, hein?

Pergunta: a noção de primeiros e de últimos está ligada ao ciclo de 52.000 anos?
Primeiros e últimos é uma noção de Consciência.
Obviamente, é uma noção temporal, também.
É uma noção de preeminência (superior / inferior).
Agora, em relação a 52.000 anos, é um ciclo que termina, um ciclo que foi iniciado pelos Elohim, ou seja, esses Seres (essas Consciências superiores) que se cristalizaram na Terra para evitar que não morresse o quê?

A Onda da Vida.
Ela podia não morrer, mas ela podia, até, fazê-los sofrer.
Do mesmo modo que, desde as Núpcias Celestes (e, antes, desde aqueles que viviam, já, as primeiras descidas da Luz, nos anos 90), vocês Ancoraram a Luz: vocês iluminaram a Terra.

Lembrem-se: o carma pertence à personalidade, à ação / reação, à Dualidade.
Além disso, há a Unidade onde tomamos Consciência, no Si, de que tudo isso é apenas uma grande farsa (para empregar uma palavra simples).

E depois, vocês têm o quê?
O Absoluto.
E quando eu digo depois, isso não é depois.
Isso sempre esteve aí.

É um outro olhar.
No Absoluto, tudo é perfeito.
É aquele que sai da matriz e que se apercebe de que ele estava confinado em um frasco (no frasco onde havia os amendoins, vocês se lembram: a mão que segura os amendoins, para aqueles que me leem).

É exatamente a mesma coisa.
Mas, é claro, enquanto vocês não tiverem saído do frasco, para vocês, é a única realidade. A Onda da Vida vem fazê-los lembrar.

A FONTE disse: “lembre-se do Juramento e da Promessa”.
A Terra lhes disse: “lembre-se do que você é, desde toda Eternidade: a Vida, a Onda da Vida, a Ação da Graça”.

Ação / reação, na personalidade.
Descoberta da Unidade, no Si.
E passagem da ação / reação para a Ação da Graça.
E, em seguida, vocês são a Ação da Graça, a Onda da Graça, a Onda da Vida, a Onda do Éter, o Manto Azul da Graça.

Vocês são este Êxtase permanente.
Vocês são esta União permanente, mística.
Vocês são este Casamento Místico.
Vocês não são nada mais.

Mas se eu lhes dissesse isso, à queima-roupa, ao chegar: “vocês são isso”, não haveria mais ninguém para escutar o que eu tenha a dizer. Simplesmente, agora, aqueles de vocês que o vivenciaram, através de uma série de processos (mesmo se isso foi desconcertante, nas primeiras semanas), esta é, efetivamente, a única Verdade.

O ser humano que não estiver habituado vai encontrar-se a fazer o quê?
A viver um estado de prazer como se ele fizesse amor, muito mais intensamente.

Evidentemente, ele nada vai compreender.
Isso acontece o tempo todo, em qualquer circunstância.
Vocês falam que é aborrecido, efetivamente, cumprimentar o seu chefe, pela manhã, no escritório.

Isso soa um pouco estranho, não é?: de sacudir uma mão e de sentir algo que os leva a outros lugares que aí onde vocês sacodem a mão.
Isso faz interrogar.

Mas, dentro de algumas semanas, vocês irão rir de tudo isso, mesmo se, por enquanto, vocês riem amarelo.

Nós não temos mais perguntas. Nós lhe agradecemos.

Então, caros Amigos, caros Irmãos, eu lhes transmito todas as minhas Bênçãos.

Vocês são o Amor.
Vocês nada mais são.
Então, sorriem.
Não amarelo.
Branco.

Eu lhes digo até muito em breve e boa Onda.
Até muito em breve.


Enviado por Rosa
Mensagem do Venerável O.M. AÏVANHOV no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1390
24 de março de 2012
(Publicado em 26 de março de 2012)
Tradução para o português: Zulma Peixinho
http://portaldosanjos.ning.com

M.M - http://minhamestria.blogspot.com/
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/