((( TODAS AS PUBLICAÇÕES ANTERIORES A ESTAS E ATUALIZAÇÕES ESTÃO NO BLOG A CASA REAL DE AVYON NA SEÇÃO ))): "ESSENCIAIS" "COLETÃNEAS" "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" .

terça-feira, 25 de setembro de 2012

PRÁTICA DIÁRIA ALINHAMENTO COLETIVO E INDIVIDUAL



Simplesmente, antes de se Alinhar, antes de orar ou de meditar, ou antes de adormecer, pensem em nos chamar.

Este Apelo é simples: falem-nos, chamem-nos, pelo nosso primeiro nome ou nosso nome, e nós estaremos aí. Desta capacidade de Contato e de Encontro, vocês deixarão crescer, em vocês, seus Corpos de Estado de Ser (Êtreté).  

 
 
Chamar, simplesmente, pelo seu nome, antes do Alinhamento, durante alguns segundos, de preferência: MARIA e MIGUEL.

ALINHAMENTO IDIVIDUAL



Chamar, simplesmente, por seu nome, pelo seu primeiro nome, de preferência: as três Irmãs veiculando, até nós, o Manto Azul da Graça: GEMMA GALGANI, MARIA e MA ANANDA MOYI (qualquer que seja sua afinidade com algum dos outros intervenientes: Estrelas, Anciãos ou Arcanjos)

As horas indicadas correspondem à hora francesa, do relógio. O link Décalage Horaire (http://www.lolo.free.fr/Divers/DecalageHoraire.html) lhes permitirá deduzir seu horário local.

VEJA TAMBÉM:




P.D.A - http://portaldosanjos.ning.com
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/

UM AMIGO - 23-09-2012 - AUTRES DIMENSIONS

UM AMIGO - 23-09-2012 - AUTRES DIMENSIONS



 Eu sou UM AMIGO. Do meu Coração ao Coração de vocês, na Paz Eterna. Instalemo-nos, se vocês o quiserem, em um instante prévio de silêncio, antes que eu exprima elementos lhes são, certamente, conhecidos, mas que serão reunidos, concernindo Luz e Dissolução.

... Compartilhamento do Dom da Graça ...


Nós partiremos, se vocês bem o quiserem, de elementos que lhes foram comunicados há alguns anos. Fazendo um paralelo, claro, com o que foi dado, comunicado, pela maioria dos ensinamentos tanto orientais quanto ocidentais.


Aí onde vocês estão, existe uma inversão ligada à falsificação. Aí onde vocês estão não é o que vocês São. O oriente fala de Maya. No ocidente, CRISTO dissera: “vocês estão neste mundo, mas vocês não são deste mundo”. Do princípio da falsificação, em ressonância com a luz oblíqua, resulta uma distorção da Consciência.

Esta distorção resulta na ausência de Liberdade da Luz, no seio deste mundo. Daí decorreu uma sequência lógica de confinamentos: do pensamento, do corpo. Uma limitação, mesmo, da biologia, do núcleo celular. O mundo de Maya é uma sucessão de efêmeros, efêmeros de suas vidas, dando o sentimento de uma continuidade, instaurada e amplificada por todos os mecanismos memoriais, arquitetônicos e tradicionais.


Os Anjos do Senhor, chamados Vegalianos, lhes especificaram, há um bom tempo, que eles não podiam vê-los uma vez que vocês estão na Sombra, e que o fluxo de Luz presente nesta Terra (mesmo se isso mudou, de maneira considerável, recentemente) não permite estabelecer nem a Transparência, nem a Cura, nem a Transcendência (ndr: ver principalmente a
intervenção de VELGAN de 27 de novembro de 2010).

A melhor imagem (uma vez que é preciso) é certamente: uma Consciência ocultada. A Luz é projetada pelo Projetor, vem bater na opacidade, criando uma Sombra. Esta Sombra é aquela que é vista na tela/ecrã de projeção, ao qual vocês se identificaram.

Os Planos Unificados (que isso seja para os Anjos do Senhor como para nós) não há possibilidade de ver a Sombra, uma vez que a Sombra não está presente de modo algum nas Dimensões Unificadas. Vocês são, pois, identificados a uma Sombra que vocês tomam por real.


Em seguida vem a possibilidade de desidentificarem-se da Sombra tomando conhecimento da Luz, e de estabelecerem-se, se se pode dizer, na alma: em um princípio mais etérico, mais sutil, mais espiritual. Mas, a alma, neste exemplo, é exatamente o que obstaculiza a Luz, e permite ver uma Sombra.


Após, vem um momento, em que vocês não veem mais a Sombra na tela/ecrã de projeção, nem mesmo o que criou esta Sombra, mas vocês se voltam, e vocês veem a Luz. Vendo a Luz, a Sombra não pode mais lhes aparecer. Ainda há uma distância, uma vez que a Luz está situada sobre um Projetor que está distante: A FONTE.

O desimpedimento e as desidentificações da Sombra, e da própria Projeção, realizam, se houver a aceitação, o processo de Dissolução pela Luz. Isto é muito precisamente (na falta de termo melhor) o instante em que toda distância desaparece, a problemática é que, enquanto vocês olham a Sombra se mover sobre a tela/ecrã, a Luz não lhes aparece enquanto tal.


A Luz para vocês é uma utopia. No nível das ciências, a Luz poderia ser chamada de buraco negro: vocês estão invertidos. A luz do dia, a luz visível, não é a Luz; ela é apenas o reflexo da Luz. Tomar o reflexo pela identidade, ou a Sombra pela identidade, cria esta identidade.

A qual se torna incapaz de ver a Dependência criada pela Sombra, a Dependência criada por quem se faz de tela/ecrã para a própria Projeção realizando a distância com a Luz. A Dissolução põe fim à identificação: de uma Sombra, de quem se faz de tela/ecrã, de um Projetor e de uma Fonte aparente, distanciada da Luz.


O encontro com a Luz, onde quer que vocês estejam situados (na Sombra projetada, na tela/ecrã para a Luz, no próprio Projetor) é, muito exatamente o que se opõe à Dissolução. Isto pode ser chamado de múltiplos modos, e isto o foi, logo antes de mim, por SRI AUROBINDO, como sendo os apegos (ndr: ver a
intervenção de SRI AUROBINDO de 23 de setembro de 2012).

Será sempre possível achar palavras, imagens, metáforas ou símbolos que ilustram isso, mas tomar consciência disso não é Vivê-lo, uma vez que a tomada de consciência não permite resolver a própria Sombra levada para a tela/ecrã de projeção. Qual é o único modo que permite à Sombra projetada, ao que é tela/ecrã para a Luz, e também ao Projetor, de desaparecer? É a Dissolução.

Esse mecanismo de Dissolução implica um certo número de Retornos, ilustrados por diferentes Passagens: quer seja a Passagem da Garganta (lugar do que é chamado o carma, o corpo causal), quer seja o Retorno da personalidade para a alma, o Retorno do fogo da matéria (voltado para a matéria, que se desvia da matéria e se Volta novamente para o Espírito).


É a retificação da obliquidade da Luz, é o redirecionamento da Terra, a fim de que esta não seja mais oblíqua em relação à Luz. A Dissolução da Luz age assim. A Luz age assim. Mas, para agir, de maneira total, é preciso que haja ausência de desvio da Luz, pelo que é tela/ecrã para a Luz, e para a própria Sombra.


Os Retornos podem ser dolorosos, uma vez que o último entre eles foi chamado Crucificação e Ressurreição. Elementos de apoio lhes foram fornecidos: Yoga da Verdade, Nova Tri-Unidade, Onda da Vida, Manto Azul da Graça (ndr: ver a seção
"Protocolos"), e diferentes elementos que trazem a prova, por suas Comunhões, da existência das outras Dimensões.

Será que isso bastou para fazer desaparecer a Sombra, mesmo se vocês não a olham mais? Não. Porque o que desaparece, a fim de que a Sombra não exista mais, é simplesmente o que é tela/ecrã para a Luz, ou seja, a alma. Enquanto existe a alma voltada para a matéria ou voltada para o Espírito, existe busca da experimentação.


Há, em um caso, consciência de uma Projeção da Luz, A FONTE, e no outro caso, há a ausência desta consciência. Mas, enquanto existe esta interface, não pode haver aí a Dissolução na Luz. Pode haver a consciência da Luz e, pois, o que é chamado Despertar, mas não pode haver aí a Liberação.


Ser Liberado é, pois, não mais ser afetado por uma Sombra projetada, nem pelo que cria a Sombra projetada. É sair da identidade, sair da forma, sair de toda distância, se reencontrar, então, no coração do Coração (ou centro do Centro), aí, onde não existe mais interferência, opacidade, obstáculo.

Através deste exemplo extremamente preciso, encontra-se de maneira figurada, o processo final da Liberação, tendo, pois, consistido em fazê-los ver a Sombra, a tomar consciência do que servia de tela/ecrã e gerava a Sombra, a voltarem-se para a Luz. E aceitar, finalmente, que a Luz não está distante e que também não existe a tela/ecrã. Que a tela/ecrã e o que servia de tela/ecrã não passavam, definitivamente, de uma anomalia de percepção.

Essas anomalias de percepção têm suas próprias regras, chamadas: ação/reação, dualidade, sofrimento, bem e mal. Elas se aplicam em meio a um contexto em que a Luz foi desviada. A tal ponto que, do ponto de vista de vocês, o buraco negro é o desaparecimento da matéria e da consciência.


Mudar de ponto de vista, ou de olhar, segundo os princípios de BIDI, Investigação e Refutação, levou-os seja a um desimpedimento, seja a uma resistência. Tanto um como outro não são senão testemunhas da própria colocação de vocês. Tudo isso é baseado no princípio que as condições da Luz Fonte, que as condições do que serve de tela/ecrã para a Luz e cria a Sombra projetada, são fixadas, uma vez por todas, sobre este mundo.


Ora, (e isto lhes foi exprimido por diversas vozes além da minha, porque meu objetivo não é o efêmero, mas sim o Eterno que vocês São), vem um momento em que o alinhamento com a Luz, e pois, a penetração da Luz, torna-se tal que mesmo o que serve de tela/ecrã não pode mais sê-lo, acarretando, pois, o desaparecimento da Sombra projetada. Isto é, muito exatamente, de maneira metafórica, o que vão reproduzir as circunstâncias (Celestes e Terrestres, Cósmicas e Galácticas) que se desenrolam neste momento mesmo.

Daí onde vocês se localizam, simplesmente, a observar: sem lutar, sem se oporem, sem se contrariarem. E, para isso, eu lhes comuniquei diferentes Yogas, que lhes dão ferramentas que permitem, ao mesmo tempo, não mais serem subjugados pela Sombra projetada, nem mesmo pelo que serve de tela/ecrã para ela.


A Luz dá a viver, cada vez mais, estados que lhes foram descritos há pouco tempo (pelo Comandante, por outros Anciões e pelas Estrelas). Meu objetivo não é este (uma vez que isto foi perfeitamente cumprido por outros que não eu), mas sim de fornecer-lhes os elementos, não de compreensão, mas de identificação mesmo do que acontece.


Quaisquer que sejam as palavras empregadas (Infinita Presença, Absoluto, Choque da humanidade, ou Choque pessoal), elas vão todas no mesmo sentido: permiti-los colocaram-se, realmente, no que vocês São e não no que vocês creem ser.

Da atratividade das Sombras projetadas sobre a tela/ecrã, da atratividade do que serve de tela/ecrã à Luz e cria a Sombra, da atratividade mesma da compreensão desses mecanismos, decorre a capacidade de Dissolução na Luz, ou não. O medo está presente tanto na Sombra projetada, no que serve de tela/ecrã à Luz e cria a Sombra projetada, como no que é visto como uma Fonte afastada.


Não existe, muito logicamente, nenhum meio, aí onde vocês estão, de poder esperar vencer este medo. É somente quando da capitulação total (e como eu expliquei no meu próprio encaminhamento) que se produz a Liberação. Isto não é sobreponível ao que vocês poderiam chamar um fim de vida, ou a morte (no sentido em que nós a vivemos todos, quando estamos encarnados), mas sim, um processo radicalmente diferente.


Pois que, quando há esta capitulação, o que se revela, então, além da Sombra projetada, do que cria a Sombra projetada, da Fonte de Luz, do Projetor e da tela/ecrã, é o estado de Paz Suprema, que nada pode vir alterar. Mas, o estado de Paz Suprema não pode ser compreendido em uma das partes, ele é o conjunto das partes, e o excesso das partes.

A Dissolução na Luz é, pois, de todo modo, uma identificação total com a Luz, e o que subentende a Luz. Realizar isso é bem (como isso foi enunciado desde muito tempo) uma capitulação ou um Abandono. Eu os reenvio, para isso, a minha vivência, que eu lhes narrei (ndr: sua intervenção de 19 de novembro de 2011).

É quando há uma forma de angústia que submerge (esta submersão que está ligada ao próprio sentimento de desaparecer, ao próprio sentimento de aniquilação em seu último reduto) que pode se produzir a Liberação. É quando, realmente, se se apercebe (onde quer que se esteja na cadeia lógica de projeções) que nada pode ser tido, e que mesmo o fato de ter o que quer que seja confina a uma ilusão e confina a um erro de percepção.


O Choque da Humanidade é o Realinhamento (retificado e perfeitamente ordenado) com a Luz que faz, efetivamente, desaparecer a Sombra e o que serve de tela/ecrã à Luz, criando a Sombra: o corpo e a alma. Até um certo ponto, nós podemos dizer que cada Irmão e Irmã tem sua própria Sombra, sua própria tela/ecrã que faz Sombra, seu próprio cenário, sua própria Luz. Mas, há um momento de Reencontro: é o momento em que cada individualidade (ou cada personalidade) sai de seu esquema que lhe é próprio e se inscreve em um esquema coletivo.

É bem exatamente nisso em que vocês entraram plenamente. Pouco importa os nomes. No oriente nós teríamos dito: a Passagem do Kali Yuga ao Satya Yuga (ndr: da “era da sombra” à “era de ouro”). Se nós tivéssemos chamado isso de eras, é, bem evidentemente, que não existe nenhuma solução de continuidade de uma era a outra. Existe, pois, uma descontinuidade, ou, se vocês preferem, uma ruptura. Sem esta ruptura não se poderia ter ação coletiva aí. É muito exatamente, doravante, o que está aí para vocês, sobre a Terra, como para nós, ao redor do Sol.


Dito do meu modo é isso, então, o mecanismo de Dissolução na Luz. Mais haverá facilidade a não se opor, mais haverá facilidade – não para rejeitar o que existe –, mas sim a vê-lo, mais haverá capacidade acentuada de Dissolução na Luz. Qualquer que seja a modificação (e eu pegaria esta imagem) da alimentação corrente dos diferentes Projetores, a modificação da alimentação concerne ao conjunto dos Projetores, e ao conjunto das projeções. É um momento, então, de sincronicidade, o que vocês poderiam chamar uma Porta Estreita ou um nó inter-Dimensional. E é exatamente isso que se coloca.

Todos os preparativos (como isso foi repetido) foram cumpridos. Tudo o que poderia ser trazido, o foi. O que se vive ainda, sobre as Sombras projetadas das quais vocês se desviaram, o que se vive ainda, no que serve de tela/ecrã para a Luz, para realizar a Sombra projetada (a alma), vive, em vocês, seus últimos Impulsos. Não de mudança exterior, mas sim Interior. Como uma revisão, ou uma análise dos prós e dos contras. Este mecanismo individual é também um mecanismo que está se tornando coletivo e global.


No prazo (prazo que não é ainda conhecido, mesmo se é mais que iminente), se verá uma resultante. Esta resultante é o desaparecimento da Sombra projetada e o desaparecimento de uma parte do que servia de tela/ecrã à Luz e criava a Sombra projetada. A alma; algumas almas, não finalizaram a Última Passagem. O resultado disso será, sempre, o desaparecimento da Sombra projetada, a reconexão e o reconhecimento da Luz, levando a uma Dissolução do que servia de tela/ecrã, permanente ou não permanente, segundo a Liberdade de querer recriar, ou não, experiências.

Eu os recordo que a Infinita Presença e o Absoluto não são, em nenhum momento, experiências, mesmo se todas as experiências são possíveis. Tudo decorre e tudo decorrerá da própria Vibração de vocês, e do que foi chamado do estado de seus Quatro Pilares do Coração, e de absolutamente mais nada.

Existe, evidentemente, um princípio de vaso comunicante entre o que foi chamado os apegos e as resistências. Isto deve ser visto, como o dizia SRI AUROBINDO. O que se vive e o que vai se viver (pela Dissolução da luz na Luz) é a observação concreta da faculdade à Transparência, ou da faculdade à resistência. Em um caso como no outro, ninguém poderá fingir ignorar o Retorno da Luz.

Eis re-situado (ainda uma vez, do meu jeito) o que se desenrola. Se nós temos tempo e se há em vocês, interrogações concernentes a esse processo de Dissolução e de Luz, eu os escuto.


Questão: você poderia desenvolver sobre o papel da alma?

A alma é uma intermediária. A alma, enquanto vocês estão na personalidade, pode ser considerada como um objetivo. Existem leis da alma, mas as leis da alma são leis de confinamento. A alma é uma interface, ela não é uma finalidade.


A alma está ligada à manifestação no seio desta matrix. A alma deve ser queimada pela Luz: é a destruição do corpo causal, permitindo a Liberação. Isto é comum, eu diria, à maior parte dos ensinamentos ditos espirituais. Simplesmente, alguns fizeram da alma uma finalidade, e não mais uma intermediária. A problemática da alma, mesmo invisível, é que ela conserva o princípio da causalidade.

A Absoluta Presença, ou a Infinita Presença é, pois, a Liberação cármica, individual, obtida pela Passagem da Garganta e pelo Último Retorno da Ressurreição, favorecido pela Impulsão Metatrônica, pelo Manto Azul da Graça.

Quando o envelope da alma (ou corpo causal) é queimado na totalidade, então, além disso, a Onda da Vida termina seu caminho. A alma é uma coloração, uma tonalidade, mas ela não é a Totalidade. Aquele que é apegado à sua pessoa ou à sua alma tem disso a Liberdade a mais total. Mas, a alma não é o Espírito, a alma não é o Absoluto.


Questão: se não se reage a nada, pode-se conhecer, desta maneira, sua destinação?
Não reagir a nada esperando conhecer um futuro não serve absolutamente a nada. Isso mantém uma projeção, uma curiosidade e o mental. Permanecer Tranquilo, tal como eu o defini (ndr: ver principalmente sua intervenção de 2 de julho de 2012), não é simplesmente uma questão de não-reação. Permanecer Tranquilo é viver a Paz, é o mais importante. Não de definir uma destinação: uma destinação só é vista como tal pela personalidade.


Questão: somente o Abandono à Luz permite fazer de modo que a alma não seja mais um obstáculo?
Não, o Abandono à Luz faz a alma tomar consciência da Luz. Somente o Abandono do Si dissolve a alma.

Questão: qual é a distinção entre não reagir aos acontecimentos e permanecer Tranquilo?

Permanecer Tranquilo é uma atitude Interior, que não se importa com o mínimo acontecimento exterior. É um estado de Consciência. Imaginar a reação ou a não-reação é uma atitude da pessoa ou a alma, mas, em nenhum caso o acesso da consciência à Infinita Presença.


A questão não se coloca assim: aquele que está estabelecido na Infinita Presença, ou que está estabelecido além de todo estado, no Absoluto com forma, não se coloca este tipo de questão. Se colocar este tipo de questão mantém a ilusão da pessoa. Isso não será nunca um qualquer melhoramento, mas sim uma transcendência direta, vivida em um momento preciso, traduzindo o próprio Abandono do Si. Enquanto se coloca a questão do Abandono do Si, ele não pode ser vivido.

A capitulação (o que eu descrevi por ocasião de meu testemunho concernente de minha última vida) poderia ser assimilada a uma angústia, a angústia do desaparecimento e da aniquilação. É aceitando capitular a isso que a Tranquilidade se estabelece, nunca antes. Isto foi ilustrado, para alguns de vocês, quando a Onda da Vida, subindo desde o solo e do Núcleo Cristalino, por suas pernas, até os dois primeiros chacras, encontrou, muito precisamente, este mecanismo.


Permanecer Tranquilo não é uma atitude mental ou uma decisão intelectual, menos ainda uma decisão da pessoa. É, já, a tomada de distância em relação à Sombra projetada sobre a tela/ecrã, e com o que cria a tela/ecrã que projeta a Sombra, que se realiza a Tranquilidade.


Questão: como conseguir isso, então quando nos dizem, ao mesmo tempo, de permanecer no mundo, para tratar de nossas ocupações?
Enquanto vocês não estão no mundo, sobre este mundo, vocês não podem, justamente, de modo algum, Serem Absolutos na forma. Porque, retirar-se do mundo é uma reação. Crer que é necessário estar dentro de uma gruta, em um monastério, em um ashram ou não importa qual tipo de templo, é um erro da pessoa.

A mudança de olhar não faz caso de suas mudanças de circunstâncias de vida. Guardadas as devidas proporções, é como se tu me perguntasse como morrer sem morrer.


Nós não temos mais questionamentos, nós o agradecemos.


Irmãos e Irmãs, de meu Coração ao Coração de vocês, a Paz e o Amor.


UM AMIGO os saúda, até logo.



NDR: Sugestão de leitura complementar: VEGALIANOS, OS ANJOS DO SENHOR DA BÍBLIA - MATERIAL DE CONSCIENTIZAÇÃO


Mensagem de UM AMIGO no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1623

23 de setembro de 2012

(publicado em 24 de setembro de 2012)
Tradução para o português: Dionéia Lages



F.D.U - fontedeunidade.blogspot.com.br/  
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/


SRI AUROBINDO - 23-09-2012 - AUTRES DIMENSION

SRI AUROBINDO - 23-09-2012 - AUTRES DIMENSION

 
Eu sou SRI AUROBINDO.
Irmãos e Irmãs em Humanidade, acolhamo-nos, mutuamente, na Paz. Eu intervenho, como Melquizedeque do Ar, pois é em mim que recai, pela minha posição no seio da Assembleia dos 24, o privilégio de vos comunicar, bem além das palavras e da Comunhão, o fato em si da instalação do Selo de MIGUEL, no seio do vosso Canal Mariano, para trocar, convosco, além de simples palavras.

A minha intervenção será dividida em duas partes: a primeira consiste naquilo que já vos tinha sido dado, relativamente ao efeito da agregação do Selo de Miguel, neste período, a segunda será destinada a responder às vossas perguntas, respeitante, justamente, ao que vos disse.


O resultado, do Selo de MIGUEL (além do reforço do Antakarana coletivo e individual) vai agregar ainda mais Graça do que aquela que vos tinha sido dado a perceber ou a viver, até agora, realizando, de alguma forma, em vocês, a Fusão dos Éteres, entre o Éter alterado da Terra e o Éter da Eternidade.


Esta situação, coloca-os, de alguma forma, em reunificação com o vosso próprio Corpo de Estado de Ser, permitindo-os justapor, em vocês (que esta seja a forma mais cômoda de expor e exprimir), a consciência ordinária, a consciência do Estado de Ser, e o Absoluto. Certamente, estes elementos  já vos foram comunicados relativamente ao medo ou Amor, por numerosas Estrelas.


Isso foi abordado de igual modo, pelas numerosas intervenções do nosso Comandante (ndr: O. M. AÏVANHOV). O que se vai desenrolar (e eu falarei, se bem quiserem, unicamente de vossos eventos Interiores), vai dar-vos a perceber, na consciência, pela Graça de MIGUEL e de MARIA, se estão em Abandono à vossa Eternidade, ou em resistência à vossa Eternidade, além do medo e do Amor, e além do que é experienciável.

Vai ser-vos possível, durante este período, perceber, cada vez mais claro, a vossa modalidade de Ascensão, tal como a vossa capacidade de viver, ou não, os estados Últimos da consciência, ver o Absoluto, se já não ocorreu. Primeiramente, convém definir que aquilo que reencontram, é a Liberdade e esta Liberdade é a Liberdade total do estabelecimento daquilo que vocês São, neste caso onde querem Estar. Confirmando o que vos foi dito: O Absoluto não pode ser uma procura, o Absoluto não pode ser nunca uma finalidade, nem mesmo um desejo, pois o Absoluto (uma vez que tenham enveredado, ou não, pela investigação da refutação), vos colocará, de qualquer forma, face àquilo que venho dizer-vos: resistência à Eternidade ou Abandono à Eternidade.

Tudo o que corresponde a uma forma, mesmo no seio dos Mundos Unificados, não divididos, não separados, acompanha-se duma localização da consciência. Esta localização é Livre, ela não está confinada (como neste mundo) mas ela dá-vos a continuar uma certa forma de experiência, alguma forma de estado. Apreendam bem que não há evolução, através desses estados, nem mesmo progressão, mas, bem mais, um estado Interior de experimentação, desejado ou não.

A resistência à Eternidade é um direito vosso o mais estrito, da mesma forma que o Abandono à Eternidade, mas isso não pode ser um e o outro. Eles não podem suceder-se no tempo e o que é dado a perceber, nesta altura, e muito precisamente é uma clarificação individual sobre o vosso posicionamento.

A reunificação da Tri-Unidade, em vocês, coloca-vos uma equação e somente uma. Esta equação não pode ser apreendida, nem mesmo definida, duma maneira lógica qualquer, intelectual ou mental. Ao contrário, ela resulta, diretamente, da observação do estado da pessoa no qual se encontram.

A personalidade marcada pelos apegos: estes apegos podem ser felizes ou infelizes, mas, tanto num como noutro, eles participam ou conservam um forma limitada ou, em todo caso, uma forma prioritária no seio dos Mundos Unificados. A observação do que se desenrola, em vocês, na sua parte a mais simples (a da personalidade quotidiana), é, neste período que se abriu ontem (22-09-2012), o melhor meio de apreciar, nos vossos comportamentos e nas vossas próprias emoções, o lugar que ocupam, quanto ao vosso futuro, uma vez que a Libertação concluiu-se totalmente.


A resistência à Eternidade traduzir-se-á sempre pela manifestação do que é nomeado emoção, seja qual for a natureza destas emoções. Toda emoção, e isso foi explicado de diferentes formas, mantém uma ligação. Sendo demasiado brusco, vocês podem, ao olharem-se, simplesmente observando a existência ou não existência de emoção, relativamente a todos os setores da vossa vida, determinar a vossa atitude de não resistência à Eternidade.

Em segundo lugar, a vossa capacidade a viver uma forma de obliteração da consciência da pessoa (que lhe chamem sono ou desaparecimento da percepção do corpo, ou duma parte do corpo), de forma privilegiada nos Alinhamentos, nas vossas noites, traduz também a vossa capacidade de estarem desapegados do Efêmero e assim não resistir à Eternidade. Eu precisarei contudo que isto não suprime o objeto ou a pessoa em causa, numa emoção, uma vez transcendida.


A objetividade do vosso olhar é uma tomada de distância, de qualquer forma, de vocês próprios, dando-vos a ver vossas próprias reações aos estímulos deste mundo, quaisquer que sejam. Da vossa capacidade de não reagir, de não estar implicado, de não ser afetado, deriva a posição em que estão. Vocês constataram aliás muito rapidamente que toda emoção, mesmo de natureza que vocês qualificariam alegre ou desagradável, naquilo que vos dá prazer, é portadora, nela mesma, dum travão e duma resistência à Liberdade e à Libertação.

Enquanto Melquizedeque do Ar, enquanto minha última encarnação nesta Terra, fui confrontado muito precisamente a este mecanismo de Fusão dos Éteres, no interior de mim próprio, nos momentos finais de minha vida, tendo-me dado a apreender o sentido próprio do medo do Abandono final o que me permite, a par da minha posição atual e a par da minha experiência, de vos falar, da forma mais adequada.


Este período, nomeado “último trimestre”, por MARIA, é mesmo para vos dar a ver (além das diferentes revelações do Apocalipse, dizendo respeito bem mais ao vosso Ser Interior, vossas linhagens e a tudo o que foi escondido sobre esta Terra, sobre os elementos os quais já não voltarei), o que vos vai ser dado a ver, sobretudo a vós mesmos, de qualquer maneira, como a um observador suficientemente desapegado do que se passa sobre a cena da sua vida, para poder avaliar as diferentes componentes restantes.

É nesta vivência particular, que vos é dado por vezes a viver como exterior a vocês próprios, ou, em todo o caso, existente no seio de duas consciências, por vezes sobrepostas e por vezes distanciadas, que vai ser realizada a lucidez a mais importante sobre vocês mesmos, e sobre as resistências, ou não, presentes em vós.


O objetivo de minhas palavras é por conseguinte atrair a vossa consciência sobre estes mecanismos e verem bem o nível de vossas próprias emoções, sejam quais forem, de vossos próprios estados de agitação, em relação à Paz e à Tranquilidade que a Unidade confere, o Estado de Ser, o Si como o não-Si, por oposição ao Eu e àquele que está limitado.

Desta auto-observação, se tornará cada vez mais fácil (sem fazer intervir, de forma nenhuma, o mental ou a reflexão lógica e cartesiana), de ver, muito precisamente, onde estão, e muito precisamente nesse caso para onde irão. Isto permitirá a muitos de entre vós compreender, finalmente, que não há objetivo nem mesmo evolução mas simplesmente um problema de posicionamento num estado ou noutro, ou o desaparecimento de todo estado nomeado Último.


O Último, como o sabem, nomeado parabrahman ou Absoluto, acompanha-se não duma percepção, não de uma fé ou duma certeza, mas duma evidência, relativamente à Maya, relativamente às estruturas ilusórias e à experiência ilusória da pessoa, da personalidade, e do conjunto deste mundo. É um espaço onde não existe nenhuma identidade, nenhum Ser e nenhum não-Ser, que não pode ser definido com palavras mas que permite experienciar um estado de não questionamento, de não interrogação, de não visualização, de não Vibração.

A resistência à Eternidade (que é, recordo-vos, vosso direito o mais restrito e vossa Liberdade a mais fundamental) será respeitado, da mesma forma: é o lugar onde existem questões, interrogações. É o lugar onde a consciência parece conceder-se prioritariamente à reflexão e à lógica, antes que à própria Luz. Muito longamente, nós vos dissemos que a Luz era Inteligência e todas as respostas, o que a personalidade não pode realizar, no seio do mental, e muito menos ao nível das emoções.


O período que se desenrola não exige da vossa parte, um trabalho sobre uma identificação de algum medo que seja, ou de algum apego que seja, mas simplesmente de ver claramente e aceitar o que foi visto, em vós, relativamente a vós. Porque a maior das Tranquilidades, no momento vindo, não resultará duma agitação para mudar os medos ou as emoções, mas, bem mais, estar no devido lugar em função do estado atual, durante este último trimestre.

O Si, o Estado de Ser, a Presença e a Última Presença, se acompanharão sempre, fora dos Alinhamentos, meditações e estados interiores, da persistência da atividade, questionamentos e interrogações, da mesma forma, do regresso de certas emoções, mesmo se estas emoções são qualificadas exaltação em direção à Luz. A própria presença destas emoções, mesmo as mais alegres, é um obstáculo formal à Paz, à Tranquilidade e ao Absoluto com forma.


Ainda uma vez, não encarem isto como uma evolução nem mesmo um trabalho mas, bem mais, por aquilo que isso é: um posicionamento dando-vos a ver o que vocês São.


Aquele que está Liberado não pode sentir a menor emoção, ele não pode, jamais, ter o mínimo questionamento relativamente ao futuro ou, mesmo, às suas origens. Estas revelar-se-ão a ele espontaneamente, sem nenhuma procura. É o papel da Inteligência da Luz e do toque final produzido pelo Selo Micaélico. Eu atraio a vossa atenção sobre a facilidade com a qual se verão. Ver-se não implica qualquer julgamento, nem qualquer condenação de si ou do outro mas, bem mais, aí também, uma aceitação daquilo que é visto, com Clareza.


E o que é visto com Clareza, com uma Clareza crescente, daí decorrerá diretamente o Choque da Humanidade e o Choque Individual, termo que enquanto São João, havia nomeado Julgamento Final, sem nenhuma das conotações pejorativas usadas pelas diversas religiões. Este Choque da Humanidade e esse Choque, se o podemos dizer, entre o Éter da Terra rarefeito e o Éter da vossa Eternidade (assimilável, em parte, pela justaposição do Duplo e do corpo físico), é o mesmo que os expor, de manifestarem tudo isso, sem qualquer intervenção, sem nenhum filtro mental.

O que é visto e o que será visto, não implica qualquer trabalho, com vista a uma melhoria ou uma progressão, mas, bem mais, um trabalho sobre a aceitação. Porque, quanto maior for a aceitação do que é visto, mais fácil ser-lhes-á, no momento vindo, ultrapassar o que resiste, de certa maneira. Aí se situa a Clareza, aí se situa a Precisão e aí se situa a vossa própria Transparência a vocês mesmos, ou seja, realmente, perceber, no momento do Choque da Humanidade, a vossa distância existente entre a consciência dividida e separada e a consciência da Unidade ou ainda Última Presença.


Recordem-se que, durante este período o elemento fundamental (explicado de diversas formas e por diversos intervenientes, qualquer que seja o vosso posicionamento atual): da presença ou não das emoções e do mental, resultará a vossa capacidade de ver o jogo do mental e o jogo das emoções. Para, o momento que se aproxima (quaisquer que sejam as resistências ou não, acolher, de alguma forma, a Eternidade, com a mesma facilidade, a mesma disponibilidade. De maneira perfeitamente lógica e em conformidade a todos os ensinamentos dos diferentes Yoga, quer seja o Yoga que ensinei em minha vida (o Yoga integral), quer sejam os Yoga muito antigos ou mais modernos, isto que é dado a ver coloca-os, muito precisamente, no que será o vosso lugar além deste mundo.

Isso colocará em aplicação a lei da Atração e da Ressonância e a lei da própria Graça, pois que, a Graça não pode ir, em caso algum, ao encontro da vossa consciência, seja ela qual for. Os vossos diversos Alinhamentos serão momentos privilegiados de reencontro dos Éteres. MARIA deu-vos diferentes sinais. Na vida ordinária, será possível comunicar-lhes elementos à consciência, de acordo com as sincronicidades e circunstâncias da vossa vida, seja o que for que vocês façam ou não, provando-lhes a si próprios, onde estão. Retenham igualmente que nesse momento, que convém não se julgarem porque todo julgamento implicará uma distância e um afastamento da Luz.


É, portanto, a Tranquilidade e a Paz, a capacidade de ser o observador do que se desenrola, sem julgamento, que iluminará a vossa consciência e será, de alguma forma, um aprendizado de experiências relativamente ao momento coletivo anunciado por Maria. A presença do Manto Azul da Graça é um dos elementos, também, que permite instalar, direi, de maneira mais sensível e perceptível, a Última Presença.

As circunstâncias de vossas vidas vão levá-los a estar aí onde vocês Estão, fazendo face (como isso já foi explicado pela Onda da Vida, ao nível dos primeiros chacras) às circunstâncias da vida da personalidade (ou seja, ao nível do terceiro chacra) colocando face a face e em face do que pode ainda existir como apego, traduzindo-se por emoção e atividade mental.


O reajustamento faz-se dele próprio, a partir de que a emoção ou o mental é reconhecido como tal, e não por uma ação qualquer do “Eu” ou da personalidade. Estes mecanismos estão diretamente ligados ao Ar e ao Fogo, o Ar como Elemento que permite ter uma visão panorâmica, ampla e global do que se desempenha, seja a que nível for.


Esta aprendizagem particular dos mecanismos da consciência limitada e da consciência do Si são verdadeiramente os elementos, durante esta altura, que serão aptos, de alguma maneira,  de vos fazer apreender, além de todo intelecto e toda emoção, o que vocês São, em Verdade. Vocês devem recordar-se, que nesses momentos, não há lugar a emitir qualquer julgamento, a considerar qualquer progresso, mas aceitar e ver claramente o que é.

Eu direi, isto resulta duma ação lógica da Aliança do Fogo, dando-lhes justamente a ter esta visão ampla de vocês mesmos, nesses aspectos limitados, como nos aspectos não limitados.


Eu vos proponho viver um momento de conexão pela vossa Presença comum e vos darei, depois, a palavra para eventuais questões relativas precisamente a isto que eu disse. Primeiramente, vivamos esta.


… Compartilhamento do Dom da Graça …

Irmãos e Irmãs em humanidade encarnados, se for preciso trazer-vos elementos precisos suplementares, eu escuto-os.


Pergunta: Aceitar serenamente as nossas emoções permite ir para 3D unificada ou para a 5D?
A aceitação das suas emoções significa que há emoção. Se há emoção, há apego, quer isso seja à pessoa ou a esse tipo de vida carbonada. Haverá, portanto, 3D unificada.

Pergunta: Não é mais, portanto, o tempo de transcender seja o que for?
Meu Irmão, não é a questão de transcender. Isto não é um trabalho. É mesmo a aceitação disto, de o ver tal como ele é, que pode permitir a Última Graça, da qual MARIA vos falou. Mas, para isso, não é preciso, de maneira nenhuma, alimentar uma emoção ou alimentar o mental. Não enquanto rejeição, já que isso está aí, mas colocando-se, de maneira deliberada e resolutiva, no sentido do observador.

A 3D unificada, ou a 5D, ou o Absoluto, ou a vossa Morada estelar: não há nisso, nem valorização, nem hierarquização. Há apenas a expressão do que vocês São. Assim, portanto, tu não podes dizer aceitar as emoções (e, portanto, viver as emoções) e aceitar, na mesma ocasião, outra coisa que é o teu estado Vibratório. Eu te lembro, no entanto, que entre o que é denominado 3D Unificada, quinta Dimensão ou outras Dimensões, ou Absoluto, isso não pode ser, em caso algum, um objetivo.


Enquanto tu considerares isso como um objetivo, há distância. Isso será especialmente verdadeiro entre a consciência do corpo físico e a consciência do Estado de Ser. Eu acrescentaria mesmo que, definir o Absoluto ou o Estado de Ser como uma finalidade, um objetivo, ou uma meta, vos afasta também seguramente disso, certamente ainda mais do que resistir, durante este período.

Pergunta: O que é que sustenta o que nós somos, já que isso não é nem objetivo, nem vontade, nem evolução?

«O que tu és»?
Tu falas do quê ou de quem? Da parte limitada ou da parte ilimitada? O que tu és, será sempre definido pelo que tu crês, o que tu experimentas e o que tu vives, aqui, tanto no aspecto limitado como no aspecto ilimitado. Enquanto houver uma identificação, não pode haver aí Liberdade, mesmo se vocês estão Libertados. Isso se chama apego.

Pergunta: Se se é Absoluto, será que existe uma razão para juntar as suas origens estelares?

Nenhuma mas, estando Absoluto, tu não te identificas mais com uma forma e tu és, portanto, todas as formas e todas as Dimensões e a própria Fonte. O Absoluto não será jamais uma exclusão: é uma inclusão.


Mas, como isso vos foi expressado, nenhum conceito, nenhuma palavra, e ainda menos nenhuma consciência, pode falar do Absoluto. Tu não podes, portanto, de maneira nenhuma, conceptualizar isso. Enquanto houver conceptualização ou consciência, há erro. O apego à experiência mantém a experiência. Simplesmente, o nível da experiência não será nunca mais separado.

Pergunta: Observar bem as suas emoções sem as julgar leva a não mais as ter?

Não. É a mudança de localização. Eu especifiquei bem que observar as vossas emoções vos dá o que vocês são e para onde vocês vão. Só o Abandono total do Si liberta das emoções. A emoção é vivida como uma identidade e uma reação própria à pessoa. Portanto, como sair de uma pessoa, mesmo observando as suas emoções?


Eu insisti muito sobre o fato de que haveria uma consciencialização, uma percepção, cada vez mais clara, se tu preferes, entre a lagarta e borboleta, como uma sobreposição temporal dando a ver, no mesmo panorama: a lagarta, a crisálida e a borboleta. O apego resulta da vossa Liberdade. Mas apreendam bem que, durante este período, em particular, quando se exprime e se manifesta uma emoção, ela resulta sempre de um apego ao que quer que seja, ou a quem quer que seja.

O apego é um elo de ligação da experiência. É isso que deve ser visto, mas vê-lo não te faz, necessariamente, mudar de olhar e abandonar o Si. Muitos elementos vos foram comunicados, relativamente ao Abandono do Si. Tal como isso foi especificado recentemente pelas Estrelas, viver as Comunhões permite-vos libertarem-se das vossas emoções porque isso não é um trabalho dirigido contra as emoções mas que se situa bem para além das emoções.


Desta Comunhão, ou conexão, ou Fusão, resulta a Libertação. Em caso nenhum a Libertação pode ser uma ação da vossa parte. É justamente, e muito exatamente (mais do que nunca neste período), exatamente o inverso. Porque, definitivamente, quem quer ser Libertado embora nunca o possa ser? A própria pessoa. Esquematizando: uma pessoa não pode nunca ser Libertada porque uma pessoa permanece uma pessoa tributária de uma forma, de uma memória, de uma experiência e de um certo número de mecanismos de funcionamento, que não têm estritamente nada a ver, e nenhuma comparação possível, com o funcionamento daquele que não é uma pessoa.

A observação, clara e precisa disto, é uma consciencialização. Querer agir contra esta consciencialização seria um erro. Mas eu repito que vocês têm a Liberdade total para se colocarem aí, onde vocês estão. Mas a Liberdade não consiste em dizer:
«eu tenho como objetivo o Absoluto, a Última Presença ou o Si», porque esta é a expressão de uma vontade pessoal.

E o obstáculo mais fundamental à Liberdade é, justamente, a vontade da pessoa, já que a vontade, como isso vos foi explicado, mantém, de maneira persistente, as Linhas de Predação.

Pergunta: a Última Graça de que MARIA falou é a faculdade de Abandonar o Si, no momento Último?
Não unicamente, uma vez que os apegos ou emoções estão presentes para aqueles que, hoje, não estão estabelecidos para além de todo o estado, no Absoluto com forma. Enquanto houver o sentido de uma identidade, o sentido de ser uma pessoa, o sentido de uma limitação, não pode existir senão apego e emoção ou, se preferirem, medo, o que acaba no mesmo.

O Amor não conhece o medo. Todo o amor que estiver cheio de medo não é o Amor, mas é um apego. O Amor, no sentido Vibral, confere a Morada da Paz Suprema. Como é que, na Morada da Paz Suprema, mesmo no estado quase ordinário (comum), poderia existir a menor apreensão, a menor dúvida, o menor medo, a menor projeção?! Eu vos remeto, para isso, para os testemunhos das Estrelas.


As experiências que vocês realizaram, durante um ano (denominadas Comunhão, Fusão e Dissolução, Encontro com os Duplos, Encontro com a Impulsão Metatrônica, Encontro com o CRISTO), só tiveram um único objetivo: foi o de vos fazer apreciar as distinções entre a vossa consciência limitada e a parte ilimitada de vocês. O encontro dos vossos éteres (bem como a Fusão dos Éteres da Terra) pretende vos fazer ver, claramente, os mecanismos.

A lógica da pessoa é de querer controlar o que é observado, o que faz sofrer ou o que dá alegria. Mas assumir o comando, controlar, não é deixar a Luz assumir o comando e transmutar e transfigurar a matéria. Da vossa capacidade de desaparecer, enquanto consciência, nos vossos Alinhamentos (quer sejam individuais, coletivos e comuns à Terra ou feitos em grupo: não existe nenhuma diferença), da vossa capacidade de desaparecer do efêmero, resulta e resultará o vosso novo posicionamento.


A primeira etapa é a observação do mental e das emoções que se possam manifestar, nestes momentos de Alinhamento, vividos como se se tratasse deles próprios, sem nenhuma interferência com a vossa consciência: isto realiza, muito rapidamente, a Última Presença.

Mas enquanto vocês estiverem sujeitos às vossas próprias emoções e aos vossos próprios questionamentos mentais, se estes ocorrerem, preferencialmente, nos momentos Interiores, isto vos mostrará que vocês ainda estão sujeitos à vossa pessoa.


Pergunta: A prática de refutação ainda está atual?

A atualidade é diferente para cada um.

Nós não temos mais perguntas, nós vos agradecemos.


Irmãos e Irmãs em humanidade, eu agradeço a vossa Presença e saúdo a vossa Eternidade.


Até breve.


Mensagem de
SRI AUROBINDO no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1622

23 de setembro de 2012

(publicado em 24 de setembro de 2012)
Tradução para o português: Margarida Antunes, Cris Marques e António Teixeira
http://iris_orion.blogs.sapo.pt/448577.html


I.D.O - http://iris_orion.blogs.sapo.pt/448577.html  
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/

domingo, 23 de setembro de 2012

NOVAS MODALIDADES DE ALINHAMENTO: ALINHAMENTO COLETIVO E ALINHAMENTO INDIVIDUAL

NOVAS MODALIDADES DE ALINHAMENTO: ALINHAMENTO COLETIVO E ALINHAMENTO INDIVIDUAL

Novas modalidades de Alinhamento a partir de 23 de setembro de 2012

Contato, Encontro, momento de Comunhão, para Vibrar, de Coração a Coração, de Consciência à Consciência com Arcanjos, Estrelas, Anciãos.

OBJETIVOS:
- Colocar em ressonância o Canal Mariano, permeabilizando-o sempre mais.
-
Nos estabilizar na nova Dimensão de Vida, ilimitada, como um entrelaçamento à Dimensão de Eternidade que nos está destinada.
-
Estabilizar a consciência do conjunto da humanidade, permitindo limitar os choques sucessivos desta Terra, e de sua Liberação.
-
Estabilizar, em você e ao seu redor, a Potência dos Elementos.
-
Acompanhar a intervenção do Arcanjo MIGUEL, vindo colocar seu Selo sobre o Antakarana da Terra.























 


































As horas indicadas correspondem à hora francesa, do relógio. O link Décalage Horaire (http://www.lolo.free.fr/Divers/DecalageHoraire.html) lhes permitirá deduzir seu horário local.


 

Informações transmitidas por IS-IS (MARIA), em 22-09-2012:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1617

22 de setembro de 2012
(publicado em 22 de setembro de 2012)
Tradução para o português: Ligia Borges
Imagens elaboradas por Josiane Oliveira: fontedeunidade.blogspot.com.br/ 


F.D.U - fontedeunidade.blogspot.com.br/  
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/

MIGUEL - 22-09-2012 - AUTRES DIMENSIONS

MIGUEL - 22-09-2012 - AUTRES DIMENSIONS



Áudio em francês.

Eu sou Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes e rendo graças à vossa Presença.

Eu venho colocar, no vosso Canal, o Selo da Aliança do Fogo, Aliança do Céu e da Terra. Neste instante.

Eu venho revelar, em vós e no exterior de vós, onde quer que estejam sobre este mundo, o Selo desta Aliança, visível em vossos Céus, e marcado em vós. Vos apelando a Unir-vos e a Reunir-vos à minha Presença, bem como MARIA, em cada Alinhamento ao qual serão convidadas as Estrelas, instalando o Manto Azul da Graça.

Estabeleçamos, em nós, este Selo.

Eu sou MIGUEL,  Príncipe e Regente das Milícias Celestes, e estabeleço-me, em vós, no Silêncio de nossas Presenças.

… Compartilhamento do Dom da Graça …

(ndr: seguimento de um espaço de Silêncio Vibratório, cerca de 42 minutos)

Eu sou Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes.

Assim está colocado, em vós, o Selo da Aliança do Fogo, completando e concluindo a Nova Aliança. Depositando, na Terra, o Fogo do Céu.

Este Selo conclui o ato da Libertação da Terra e da vossa. Digo-vos então às 19h (hora francesa [14h - hora de Brasília - BR; 18h - hora de Lisboa - PT]) , em cada noite, assim como nos momentos em que me chamarem.

Eu sou Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes, a serviço do UM.

Na Graça e no Amor.

Vos digo portanto, até amanhã.



NDR:
Os detalhes das novas modalidades de Alinhamento estão desenvolvidas na intervenção de MARIA de 22 de Setembro 2012 constantes na seção: "Protocolos a Praticar / Novas Modalidades de Alinhamento”:


Mensagem de MIGUEL no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1620
22 de setembro de 2012
(publicado em 23 de setembro de 2012)
Tradução para o português: Margarida Antunes

M.M - http://minhamestria.blogspot.com.br
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/


IS-IS (MARIA) - 22-09-2012 - AUTRES DIMENSIONS

IS-IS (MARIA) - 22-09-2012 - AUTRES DIMENSIONS



Áudio em francês.

Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra. Filhos da Liberdade, Irmãos e Irmãs das Estrelas, eis-me, entre vocês, no dia decretado pelo Arcanjo MIGUEL.

Eu venho dar-lhes elementos precisos, assim como Comungar com vocês. Elementos precisos referentes a este último trimestre de vossa Terra, da nossa, a fim de esclarecer, ainda, o que se desenrola, em vocês, e de lhes dar os elementos que serão para adotar nos elementos de Alinhamento, que seja de maneira coletiva às 19 horas (hora francesa) ou quando vocês desejarem.

Como vocês perceberam, nossa Presença lhes é cada vez mais perceptível, cada vez mais palpável. Através de nossas Presenças, constrói-se, em vocês, a certeza da Eternidade, chamando-os, além do meu Anúncio, a redescobrir a totalidade do que vocês São.

Durante esses Alinhamentos, nós lhes pedimos insistentemente para fazerem Apelo a nós, a fim de que nossa Presença esteja ao seu lado, colocando em ressonância o Canal Mariano, permeabilizando-o sempre mais.

A ação de MIGUEL, presente em seus Céus, consiste em sempre nos aproximar mais, uns dos outros, colocando fim ao confinamento, ao sofrimento e à predação. Nos momentos de Comunhão, nós estaremos, agora, em todo lugar, sobre esta Terra, com vocês.

Os Alinhamentos, tal como vocês os vivem (para muitos entre vocês, desde muito longo tempo), vão tomar, eu diria, um outro estilo. Além da Consciência que será modificada, cada vez mais, vocês tomam, cada vez mais consciência de nossa reunião e de nossa Presença. Simplesmente, antes de se Alinhar, antes de orar ou de meditar, ou antes de adormecer, pensem em nos chamar.

Este Apelo é simples: falem-nos, chamem-nos, pelo nosso primeiro nome ou nosso nome, e nós estaremos aí. Desta capacidade de Contato e de Encontro, vocês deixarão crescer, em vocês, seus Corpos de Estado de Ser (Êtreté). 

Alguns de vocês o perceberão, cada vez mais claramente, cada vez mais distintamente. Nós aproveitaremos desses momentos de Comunhão, juntos, para Vibrar, de Coração a Coração, de Consciência à Consciência, a fim de estabilizá-los na nova Dimensão de Vida, ilimitada.

Neste último trimestre, o conjunto dos elementos que lhes são necessários, que lhes serão úteis, decorrerão de sua capacidade de se Abandonarem a nós, de se Abandonarem à Luz e, sobretudo, se Abandonarem ao que vocês São, em Eternidade.

As condições serão cada vez mais propícias a que eu me dirija, a todos vocês, ao mesmo tempo.  Mas, desde já muitos meses, e de maneira mais insistente, minhas Irmãs e eu mesma os contatamos cada vez mais.  É isso que deve estabelecer um ponto sólido entre vocês e nós, que prefigura o Casamento do Céu e da Terra, e o Casamento de sua Eternidade com a Eternidade.

Estabelecer este ponto, é permanecer sólido, sólido e Humilde, sólido e Amor, no que a Terra tem a viver para se Liberar, totalmente, a ela mesma e reencontrar sua Dimensão de Eternidade. De nossos contatos, de nossos Alinhamentos, se estabelecerá essa estrutura, essa amarração à Dimensão de Eternidade que lhes está destinada.

Como Anciãos e Arcanjos, e nós mesmas, Estrelas, lhes dissemos, existem afinidades, em cada um de vocês, que são diferentes.  Mas, preferencialmente, durante este período (qualquer que seja sua afinidade com um de nós), guarde presente ao Espírito que nós somos três Irmãs a veicular, até vocês, o Manto Azul da Graça. E o Manto Azul da Graça, durante este período,  realiza a Última Graça.

Além de todos os mecanismos Vibratórios que vocês têm vivido e conduzido, que trabalharam para o serviço da Terra e da Luz, hoje, o Canal de Comunicação, entre vocês todos (humanidade coletiva), e nós todos (Humanidade dos Mundos Livres), permite e permitirá, cada vez mais, nos estabilizarmos em Sua Dimensão, a fim de preparar a Ascensão (que já está em curso, eu os lembro).

A percepção do que é nomeado o Canal Mariano, vai tornar-se cada vez mais intensa, levando-os a descobrir o que lhes era invisível até o presente. O que não lhes era perceptível vai se tornar cada vez mais presente, cada vez mais evidente, para cada um de vocês.

A preparação do Antakarana coletivo, e a preparação permitindo, no momento oportuno, que eu vos chame, serão anunciadas seis dias antes (ndr: antes dos Três Dias). Três dias antes minha intervenção (ndr: O Apelo de MARIA), os Sons do Céu e da Terra se mesclarão, e serão audíveis por todos vocês.

Vocês que estão em avanço, vocês constatarão que os Sons que vocês ouvem, em seus ouvidos, vão se tornar cada vez mais agudos e cada vez mais estridentes. Em um dado momento, o que é audível, no interior de vocês, será audível da mesma maneira, não somente em alguns lugares da Terra e por  episódios, mas de maneira permanente.

Os sinais do Céu e da Terra serão inumeráveis, fazendo com que aqueles que, até o presente, recusam-se a ver ou não podem ver, não poderão mais ignorar o que se desenrola. Nestes momentos, a amplificação de sua Realiança, cujo Som é o testemunho, virá prepará-los, também, ativamente, para estabelecê-los em seu estado de Eternidade, desencadeando, para a personalidade, como um segundo estado, que não é nem o sono, nem o adormecimento, nem o Êxtase, nem a Íntase, nem mesmo o Samadhi, mas bem mais, algo de diferente que vocês identificarão pouco a pouco.

O processo dando-lhes a ver o que é efêmero e Eterno será concluído, dando-lhes a ouvir, perceber, e a ver, o que era impossível até o presente.

Qualquer que seja a recrudescência dos sinais dados por MIGUEL (ndr: sua intervenção de 18 de agosto de 2012), lembrem-se de que toda a força, toda a solidez, será devida aos nossos Encontros, aos nossos Contatos. 

A Terra estando Liberada, vocês não têm mais de Ancorar sua Luz, ela a Ancora sozinha. Em contrapartida, vocês têm de Ancorar sua multidimensionalidade, a fim de irradiar, por sua Presença, a possibilidade, para muitos Irmãos e Irmãs encarnados (que ainda não vivenciaram o que a maioria de vocês vivenciaram), de vivê-lo.

Aí, está o estado de Graça, e a última Graça. Pelo nosso Encontro e nossa Comunhão, alguns Corações poderão se abrir. Muitos de meus Filhos, de nossos Irmãos e de nossas Irmãs das Estrelas, redescobrirão, com estupefação, o que eles São.  Tudo isso vai concorrer para estabilizar a consciência (que está encarnada) do conjunto da humanidade, permitindo, como vocês o sabem, limitar os choques sucessivos desta Terra, e de sua Liberação.

Este período é um período rico, para os Filhos da Lei do Um, e para a humanidade, em sua totalidade, quaisquer que sejam as aparências, às vezes difíceis, para aquele que não está em Comunhão conosco.  Mas, além da aparência do que será visto, e do que se engrenará, o mais importante será sempre esta capacidade de se reconectar (sempre cada vez maior) à sua Eternidade, trazendo-lhes a prova da multidimensionalidade, sobre este mundo. Que vocês nos Chamem na natureza, ou em qualquer outro lugar, vocês constatarão facilmente que nós estaremos cada vez mais conectados e religados.

Eu os lembro de que minhas Irmãs GEMMA e MA (ndr: GEMMA GALGANI e MA ANANDA MOYI) e eu mesma, mantemos um papel particular no depósito do Manto Azul da Graça sobre seus ombros.

O Arcanjo METATRON, como ele lhes especificou, Realizou o que tinha a realizar. O Anjo URIEL termina a elaboração de seus Pontos de Passagem, entre nós e vocês, e vocês e nós. O Arcanjo MIGUEL vela pela estabilidade de nossas Comunhões e nossas Reuniões.

Eu começo, agora e já, a entregar, a muitos de vocês, informações, um pouco mais precisas, sobre o desenrolar deste trimestre. O que quer que eu lhes diga, o que quer que vocês escutem, o que quer que lhes seja mostrado, lembrem-se de que, quando de sua Comunhão conosco, tudo o que vocês verão será sem efeito para vocês. O período é então propício para nos Chamar, assim como ao Arcanjo MIGUEL, vindo colocar seu Selo sobre o Antakarana da Terra.

Esta Obra comum vai vê-los viver momentos de Paz e de Beatitude, cada vez mais pronunciados. E é nesse estado de Paz e de Beatitude que vocês serão o mais eficazes, sobre os Planos que ainda lhes são invisíveis, mas também, para o conjunto dos Irmãos e Irmãs da Terra.

Durante seus Alinhamentos coletivos, MIGUEL e eu mesma serão privilegiados em seus Apelos. Seus Duplos, qualquer que ele seja, nesses momentos, estará também em ressonância com vocês, de maneira mais do que íntima.

Desses Encontros (pois isso se tornará, para muitos de vocês, seguramente, um Encontro), resultará, para vocês, uma satisfação (se posso dizer) e uma Plenitude a nada comparável. Tudo isso lhes permitirá estabilizar, em vocês e ao redor de vocês, a Potência dos Elementos, a nada parecido, durante este período.

Como lhes disseram os Anciãos: pensem em Paz, pensem em estar Tranquilo, em estar sereno. Porque nenhuma raiva, nenhum medo, pode permitir-lhes estarem serenos. A capacidade que vocês terão de compreender o que se joga, entre sua parte efêmera e sua parte Eterna, se tornará cada vez mais evidente, porque vocês serão afetados, em um sentido ou em outro, quase imediatamente. E de sua capacidade de manter a Paz, a Tranquilidade, e nossa conexão, resultará seu estado entre os Alinhamentos.

Muitas manifestações noturnas vão se produzir (em vocês, e no exterior de vocês), traduzindo, além de nossa Comunhão e de nossa reunião, a possibilidade de serem, aí também, conectados à sua Origem Estelar e às suas Linhagens Estelares, de diferentes maneiras. Mas isso lhes aparecerá claramente, de uma maneira ou de outra, como a Verdade.

Este período chama, de vocês, uma Leveza e uma Alegria. Os elementos contextuais do mundo poderão, às vezes, chamá-los a remanifestar, de maneira importante, emoções ou uma atividade mental. Mas não permaneçam nisso: Chamem-nos, e nós estaremos aí, trazendo-lhes, por nossa Reunião, essa Paz que às vezes pode se desestabilizar, à vista das reações da Terra, e dos Irmãos e Irmãs que não estão prontos. Mas a Terra está pronta. E vocês estão prontos. E vocês são, a cada dia, mais numerosos a realizar o entrelaçamento das Dimensões, e sua manifestação sensível, por diversos caminhos.

Lembrem-se que a melhor maneira de Amar, de Servir, e de estar Presente sobre esta Terra, neste momento, se encontrará em nossa reunião e em nossa conexão. Porque, em nossa conexão, há a Comunhão, há a Luz, e há a Paz. Essa Paz que poderá irradiar, de vocês, em qualquer circunstância que seja (que essa circunstância lhes diga respeito, que ela diga respeito ao lugar em que vocês estão, ao país, ou ao conjunto da Terra).

Eu retornarei, é claro, durante este trimestre, dessa vez, nos momentos em que isso será necessário, devido ao que será observado sobre a Terra. Antes do Apelo, que, como o Comandante dos Anciãos (ndr: O.M. AÏVANHOV) lhes repetiu múltiplas vezes, ocorrerá no momento mais adequado, e o mais tarde possível. A fim de dar tempo, aos Irmãos e Irmãs, aos meus Filhos que esqueceram o que eles São, de redescobrir o que eles São.

Este período, vocês o compreenderam, é então um período de Graça direta da Consciência, além da limitação, e que não tem mais nada a ver com o que vocês viveram em seu papel de Ancoradores e Semeadores da Luz e mesmo de Libertadores.

O conjunto dos processos que se desencadeiam, hoje, são a nada comparáveis e jamais foram vividos sobre esta Terra, nestas circunstâncias precisas. Eu não falo tanto de tribulações, de revelações, mas, bem mais, para a Terra, o fato de reconectar a sua multidimensionalidade, ao seu Estado de Ser (Êtreté), ao que vocês São, além de qualquer forma e de qualquer matéria.

O Apelo que vocês efetuam, em relação a nós, se ele é coletivo, às 19 horas (hora francesa [14h - hora de Brasília - BR; 18h - hora de Lisboa - PT]), esse Apelo dura alguns segundos.  E deixem se estabelecer, após, a Conexão, a Comunhão, a Reunião, a Fusão, mesmo. E para aqueles de vocês que estão mais diante da cena, viver a Dissolução. 

Experimentar e se estabelecer, vivendo o fato de que vocês estão sempre aí quando não há mais sinal do corpo, quando não há mais emissão de pensamentos ou do mental, quando não há mais o sentido de alguma identidade: aí, vocês são Amor. Isso lhes será dado a viver e será, de algum modo, uma confirmação, para muitos de vocês, do que vocês São.

Como disse a Estrela SNOW: busquem a natureza, busquem a Paz no Interior e no exterior de vocês, o que quer que a vida lhes peça para realizar (ndr: sua intervenção de 1 de setembro de 2012).

Se o que a vida lhes pede para realizar põe-se a mudar, brutalmente: aceitem. Os tempos não são mais para  arquitetar estratégias e hipóteses. Os tempos são mais para aceitar as manifestações da vida, para vocês que tanto já trabalharam. Porque as manifestações desta vida vão colocá-los, de maneira ainda mais fina, no local em que vocês devem Estar, no Interior de vocês, mas também na vida que vocês têm a viver.  E vocês notarão facilmente que, na Paz e na Tranquilidade, tudo lhes aparecerá muito mais claramente (além mesmo de nossas Conexões, além mesmo dos Alinhamentos), de maneira muito mais evidente.

Fazendo-lhes descobrir que o sentido de qualquer esclarecimento, ou de qualquer explicação, não tem mais sentido diante da verdade do Amor que vocês vivem, nesses momentos.

Quando, há alguns anos, foram colocadas 12 Estrelas, no nível de suas cabeças (coroando-os), cada Estrela e cada Irmã tinha uma ressonância particular (ndr: ver a seção “protocolos a praticar/ As 12 Estrelas”). Essas Estrelas são imagens em espelho das Portas do corpo e suas novas frequências Metatrônicas. A alquimia de tudo isso, como vocês o sabem, tem resintetizado seus Corpos de Estado de Ser (Êtreté), idênticos no Sol, e lhes dá sobretudo acesso, aqui mesmo, aos elementos da muldimensionalidade, atualizando, de algum modo, o Juramento e a Promessa da FONTE.

Quaisquer que sejam os acontecimentos, da carne e da matéria, desta Terra, o mais importante é essa Alegria e esse Encontro, esses Reencontros. O resto lhes parecerá, realmente, insignificante, se vocês estão instalados nesta realiança. E não há nenhuma dúvida de que vocês serão cada vez mais numerosos a se beneficiarem dos apoios desses Alinhamentos.

O que vocês viverão lhes permitirá não mais tomar parte na confusão, mas sim irradiar esse Amor Luz, sem nada querer além de Ser isso, sem nada decidir, para quem quer que seja, ou o que quer que seja. Tudo o que eu disse, se já não chegou (porque muitos de vocês estão, doravante, eu diria, em avanço), vai verdadeiramente se fazer evidência para sua Consciência.

Vocês serão, cada vez mais frequentemente, também, banhados em um estado de Amor que não tem nenhuma explicação e nenhuma causa, que é seu estado natural. Dando-lhes a viver o que foi chamado a Morada da Paz Suprema, nesses períodos cada vez mais intensos e aproximados uns dos outros. Toda a potência se encontra, também, aí.

É aquela que os conduz a manifestar outra coisa do que o que tem o traço de uma personalidade ou de medos. Vocês apreenderão o que quer dizer “nutrir-se” de Luz e viver, cada vez mais, nessa Luz.

Filhos bem amados se existem, em vocês, questões suplementares sobre o que eu acabei de dizer e sobre o que se opera, neste período, então eu quero responder às suas questões. Se não, eu os deixarei  em recolhimento para acolher MIGUEL.

Nós não temos perguntas, nós lhe agradecemos.

Filhos da Luz, permitam-me abençoá-los, no Amor. Eu lhes digo, então, às 19 horas (hora francesa), segundo as novas modalidades, e, sobretudo, às 22 horas (hora francesa) quando o Arcanjo MIGUEL realizará sua junção com a Terra, uma junção total. MIGUEL, como vocês o sabem, penetrou o Sol, quando de sua Liberação. MIGUEL penetra, agora, a Terra, quando de sua Liberação.

Bençãos.

... Partilha da Doação da Graça ...

Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra.
Então, até logo.


NDR: Novas modalidades de Alinhamento a partir de 23 de setembro de 2012

Contato, Encontro, momento de Comunhão, para Vibrar, de Coração a Coração, de Consciência à Consciência com Arcanjos, Estrelas, Anciãos.

OBJETIVOS:
- Colocar em ressonância o Canal Mariano, permeabilizando-o sempre mais.
- Nos estabilizar na nova Dimensão de Vida, ilimitada, como um entrelaçamento à Dimensão de Eternidade que nos está destinada.

- Estabilizar a consciência do conjunto da humanidade, permitindo limitar os choques sucessivos desta Terra, e de sua Liberação.

- Estabilizar, em você e ao seu redor, a Potência dos Elementos.
- Acompanhar a intervenção do Arcanjo MIGUEL, vindo colocar seu Selo sobre o Antakarana da Terra.

ALINHAMENTO COLETIVO:
- Das 19 horas às 19 horas e 30 minutos, hora francesa do relógio (das 14h às 14:30 - hora de Brasília - BR; das 18h às 18:30 - hora de Lisboa - PT).
- Chamar, simplesmente, pelo seu nome, antes do Alinhamento, durante alguns segundos, de preferência: MARIA e MIGUEL.

- E depois deixar estabelecer-se a Conexão, a Comunhão, a Reunião, a Fusão, a Dissolução.

ALINHAMENTO INDIVIDUAL:

- A qualquer momento (exceto das 19 horas às 19 horas e 30 minutos (hora francesa [das 14h às 14:30 - hora de Brasília - BR; das 18h às 18:30 - hora de Lisboa - PT]), por exemplo, antes de orar ou de meditar, ou antes de dormir.

- Chamar, simplesmente, por seu nome, pelo seu primeiro nome, de preferência: as três Irmãs veiculando, até nós, o Manto Azul da Graça: GEMMA GALGANI, MARIA e MA ANANDA MOYI (qualquer que seja sua afinidade com algum dos outros intervenientes: Estrelas, Anciãos ou Arcanjos)

As horas indicadas correspondem à hora francesa, do relógio. O link Décalage Horaire (http://www.lolo.free.fr/Divers/DecalageHoraire.html) lhes permitirá deduzir seu horário local


Mensagem de
IS-IS (MARIA) no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1617

22 de setembro de 2012

(publicado em 22 de setembro de 2012)
Tradução para o português: Ligia Borges


M.M - http://minhamestria.blogspot.com.br
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/


HILDEGARDE DE BINGEN - 21-09-2012 - AUTRES DIMENSIONS

HILDEGARDE DE BINGEN - 21-09-2012 - AUTRES DIMENSIONS 



Eu sou HILDEGARDE DE BINGEN. Irmãos e Irmãs, estabeleçamos, se vocês bem o quiserem, entre nós, um momento de Silêncio e Comunhão.

...Compartilhamento do Dom da Graça...


As palavras que venho lhes dizer têm a ver com o lugar que ocupo na ressonância das Estrelas e, pois, também no que diz respeito ao Elemento ao qual eu ressoo mais, que é o Fogo.


Do mesmo modo que, eis já alguns anos, eu lhes falei da Tensão para o Abandono, eu venho, hoje, tentar clarificar (se é possível ainda mais) o que pode representar viver a Verdadeira Vida em oposição com viver a Ilusão.


Viver a Ilusão é viver como muitos dos Irmãos e Irmãs encarnados, sem nenhuma noção, real e vivida (além do que nas aspirações e nas construções, mais ou menos elaboradas, de sistemas; quaisquer que eles sejam), do que é a Verdade. A Verdade da qual eu falo é a que faz com que exista, de todo modo, uma reconexão com a FONTE, com a Luz, com o CRISTO, com os mundos chamados espirituais, sempre mantendo uma vida.

Não viver esta reconexão induz, lamentavelmente (como vocês e como nós todos vivemos, sobre esse mundo), o que eu chamo um drama da separação. E deste drama da separação, deste sentimento de não perceber e de não viver a Luz, vai decorrer todos os equívocos da vida. Equívocos esses que vão, por sua vez, reforçar, inevitavelmente, ao fim e ao cabo das encarnações, a própria lembrança de uma FONTE, de uma Luz, a lembrança do que há depois da morte e antes do nascimento, a lembrança do que cada Irmão e cada Irmã eram, em Verdade.


Este confinamento tem como consequência tudo o que vocês podem ver, hoje, de maneira talvez mais lúcida que há algum tempo, concernindo o adormecimento, a predação e, certamente, tudo o que decorre deste confinamento: a violência, as crenças, o conjunto dos medos. A vida na ilusão instala a consciência em seu aspecto o mais parcelar, o mais fragmentário e o mais isolado do que ela é em Verdade. Neste confinamento e neste aspecto parcelar, cada Irmão e cada Irmã vai construir ideais, metas, pesquisas.


Os conjuntos dessas pesquisas e dessas metas a atingir estão, todos sem exceção, inscritos na história, seja das convenções, seja das regras. A nostalgia do Céu é de tal modo poderosa que, quando o confinamento é total, o Céu não pode mesmo mais ser considerado como possível.

Os mundos espirituais, dos quais tudo é ignorado, são pouco a pouco rejeitados. Esta perda de conexão põe a consciência em um confinamento que só o reino humano conhece nesta Terra. Eu não posso mesmo dizer que se trata de um consciente de um animal, porque um animal é sempre consciente, de um modo ou de outro, dos mundos não visíveis.


Tudo foi feito, durante esses anos, para aproximá-los e para dar-lhes a viver esta reconexão. Coisa que foi estabelecida, como vocês talvez o saibam, em numerosas etapas, e numerosos níveis. Esta reconexão foi estabelecida, definitivamente (tanto para o sistema solar como para vocês), em um intervalo de tempo tal como foi definido por SÉRÉTI.


É o que lhes permite, hoje, sentir (e além de sentir; de viver) nossos Encontros. Nossos Encontros com a Luz, com a Vibração, com partes muito mais sutis de vocês. Restabelecer esta conexão é fundamental porque é graças a esta reconexão que se lhes tornou acessível tudo o que se manifesta, atualmente, em vocês e de que o Comandante fez eco durante esta semana em que vocês estão.


Muitos de vocês vivem coisas que, ainda na véspera, lhes eram estritamente desconhecidas, mesmo consideráveis. Esta aproximação do Plano de vocês e do nosso Plano, que foi feita de maneira minuciosa e progressiva, tinha como objetivo (vocês talvez a compreenderam e talvez a viveram) preparar o Encontro, total, com a Luz e de fazer de modo que o máximo de Irmãos e de Irmãs estejam aptos, de todo modo, a permitir a esta Luz de se estabelecer, com a mínima desordem possível, a mínima estupefação e apreensão.

Nós podemos dizer que, daqui onde estamos (pela Fusão dos Éteres e a colocação do Manto Azul da Graça sobre seus ombros, e o conjunto dos Antakarana que nós vemos), nós sabemos talvez, antes de vocês, que a tarefa foi cumprida, muito além do que nós podíamos imaginar. Isto permitiu, de todo modo, acrescentar um amortecimento e uma elasticidade a este Encontro e evitar que o Choque não fosse tão intenso, para a Terra como para vocês.


Mas, hoje, o conjunto das Assembleias, Conclave dos Anciões e Conclave das Estrelas puderam julgar que tudo estava perfeito e que era chegado o tempo de deixar acontecer, sem nenhum freio, sem nenhum limite, o desvelamento total e completo da Luz, levando-os a restabelecer a Verdadeira Vida, o que foi chamado Liberdade, pondo fim totalmente ao eixo Atração/Visão, ao confinamento da Visão, ao confinamento da alma voltada exclusivamente para a matéria e para esta Dimensão.


Seguramente, o Encontro definitivo de cada um dos Irmãos e Irmãs com a Luz será uma vivência diferente, esta vivência diferente é unicamente função, vocês o sabem, da capacidade em dizer “sim”, da capacidade em não fazer obstrução a este evento, tanto em si como para o mundo. Isto os leva (e isso foi definido) a manterem-se Tranquilos, a aceitar em vocês a ação dos Elementos e da Luz, a não fugir do que quer que seja, a estar totalmente presentes em si mesmos, no instante.

Tudo o que vocês empreenderam (seja de se Alinhar, sejam os diferentes exercícios que lhes foram informados), o conjunto conduziu a fazê-los experimentar, a viver e a sentir coisas novas. Essas coisas novas vão todas no mesmo sentido, que é de permitir-lhes reaclimatarem-se ao Amor, privado dos medos, privado de todos os condicionamentos. Este Amor de Liberdade que os torna Livres e Autônomos e que os faz descobrir, realmente, a Eternidade, não como uma projeção, um ideal, mas sim (desde já para muitos de vocês, mesmo nesse corpo), de estar reconectado. A reconexão de vocês aconteceu sem choque porque houve esta aclimatação da alma de vocês, que aceitou fazer o Retorno da matéria para o Espírito.

Este Retorno, assim como as diferentes Passagens de Portas, os diferentes Encontros com os Duplos, as diferentes qualidades Vibratórias que lhes tocaram, tiveram como objetivo leva-los a este ponto preciso que se desenrola amanhã [NT: hoje, 22 de setembro] do tempo de vocês. Esta foi a melhor preparação e será sempre a melhor solução para viver esta Ascensão que está em curso.


Da qualidade do vivido de vocês decorrerá a qualidade do vivido do conjunto dos Irmãos e Irmãs da Terra, que não estão, neste instante, reconectados. Esta reconexão, isto é, este Casamento do Céu e da Terra, vocês o sabem, desencadeia as transformações finais da Terra a graus que nenhuma memória e nenhuma história conheceram.

Esta ação dos Elementos, esta ação da Luz, para vocês que estão reconectados, somente lhes dará a ver a realidade e a Verdade do que é a Luz, e não simplesmente o que representam as reações e as convulsões da Terra, e de alguns Irmãos e Irmãs ainda não reconectados.


Em resumo, viver as Comunhões, viver os Alinhamentos, e viver os aspectos da Luz Vibral em vocês, lhes dá a viver um processo que se passa determinantemente do ponto de vista da borboleta, antes do ponto de vista da lagarta. É preciso que tenham bem presente no espírito que, para muitos de seus Irmãos e Irmãs encarnados, a ilusão (vivida) da ausência de conexão é a única verdade.

Para eles, suas vidas se inscrevem unicamente entre a aparição sobre esse mundo e o desaparecimento desse mundo. Viver a Luz nessas condições de crenças e de adesão e de percepção, claro, não se passará sem dificuldades porque o que seus olhos poderão ver, o que suas almas poderão sentir, não será, em um primeiro momento, a Luz tal qual vocês vivem, mas bem mais, o que fora chamado um Choque e um sentimento imenso de luto e de perda desta ilusão, justamente.


É aí que a qualidade de Ser, o Amor de vocês tornar-se-á mais e mais importante, porque viver o Amor Vibral é emanar e irradiar a Verdade, que está muito além de qualquer gesto, de qualquer ideia, de qualquer palavra, de qualquer olhar e mesmo, qualquer proximidade. Este amortecimento deste Choque e desta consternação; mesmo que sejam emoções que, talvez, para vocês, sejam realmente ilusórias, efêmeras, não são menos geradoras de sofrimentos, de medos e de apreensões em que o mental, certamente, vai recusar o que está lá.


E é aí onde vocês se tornam muito importantes, não para explicar (porque o que chega não pode ser nem explicado, nem mesmo imaginado pela maioria da humanidade encarnada, ainda), mas sim por sua qualidade de Ser e de Presença, sua qualidade de Tranquilidade. Daí decorrerá (aí onde vocês Estão e sobre o conjunto do planeta), o modo como acontecerá o período que vai do Aviso à Ascensão, eu diria, final, terminal. Esse tempo (como vocês o sabem, e como o Comandante lhes confirmou numerosas vezes) é extremamente reduzido no tempo (ndr: O.M. AÏVANHOV).

E mais este tempo será reduzido, mais será fácil, de todo modo, de realizar uma Liberação da Terra muito mais simples que se o tempo fosse mais longo. Muito simplesmente para dizer-lhes que neste período, custe o que custar, é preciso que vocês mantenham esta Tranquilidade. E custe o que custar, eu os recordo que nós estamos aí, para vocês, ao seu lado.

 
As regras do que vocês chamam Alinhamento serão redefinidas por MARIA e lhes permitirão, nos Alinhamentos, reforçar a conexão de vocês conosco, com sua parte Eterna, com seu Estado de Ser [Êtreté]. O desaparecimento intermitente deste corpo físico que vocês habitam, vai lhes dar a ver o corpo de Estado de Ser, vai lhes dar a ver o que seus olhos jamais viram até agora, porque as frequências acessíveis, para vocês mesmos, da visão normal vão tornar-se mais amplas, dando-lhes a perceber o que os olhos humanos normais não podem ver, até o momento.

Evidentemente, a consternação e o medo induzem movimentos que ultrapassam largamente o quadro de um indivíduo ou de um grupo de indivíduos que está reconectado à Luz. Porque, lembrem-se que esses Irmãos e Irmãs não tem nenhum meio de saber, e de ver, ou mesmo compreender ou imaginar o que vem, até porque, justamente, o fato de estarem desconectados totalmente os arrastou na espiral da vida ilusória e na espiral da sobrevivência (mesmo para muitos Irmãos e Irmãs em outros países), levando-os a lutar contra os Elementos, contra a vida tal como foi decidida por outros que eles mesmos. Tudo isso para atrair a atenção de vocês sobre uma forma de indulgência.


E esta indulgência é portadora, em si mesma, de Irradiações de Luz. Ela os coloca espontaneamente no que eu havia descrito e ao qual eu os reenvio: na Tensão para o Abandono. Ela favorece, ainda mais, seu Abandono do Si, e favorece ainda mais uma forma de aquiescimento no momento em que o conjunto da humanidade apreenderá verdadeiramente o que está aí. Ela permitirá, neste momento, no último limite, a um número de Irmãos e Irmãs desconectados, de se reconectar.


E o trabalho de vocês, sua atitude, sua Tranquilidade é essencial, para isso. Lembrem-se que vocês não podem ser afetados no que vocês São, em sua Eternidade, pelos Elementos.

Pode-se dizer que os Elementos operam em vocês, acima de tudo, de maneira harmoniosa, mesmo se o Comandante adiantou alguns sintomas. Passados esses primeiros sintomas, passada uma espécie de aclimatação desta parte multidimensional que se desvela, vocês serão, de todo modo, renovados (neste tempo que é para viver) pela Luz e sua Inteligência, e por esta consciência que vocês recobram.

Quanto mais vocês penetram na Eternidade que vocês São, mais vocês constatarão que, ao redor de vocês tudo se desenrola, qualquer que seja a aparência do caos, sempre com a maior das facilidades. Vocês compreenderão, realmente, naquele momento, que a Inteligência da Luz não é uma vã palavra, mas sim, verdadeiramente, o que põe em ordem a Eternidade na desordem do Efêmero.

Essa mudança de consciência vocês já a viveram, para muitos de vocês, por experiências diversas e variadas. Estas experiências são, pois, chamadas, durante um tempo curto, a ser o quotidiano de vocês. E isso nesse quotidiano que será a viver, que vocês viverão (aqui, nesse corpo) a Verdadeira Vida, um pouco à imagem do que eu testemunhei quando estive encarnada. Mais nada terá segredos para vocês. Tudo será alegre e fácil, contrastando, entretanto, com a dificuldade e as dificuldades deste Encontro, para a consciência e o conjunto do que está voltado para o que não é durável.


Haverá uma inversão de valores, total. Poderá parecer, então, o que eu chamaria a Humanidade do Homem, de maneira espontânea: o senso do serviço, do devotamento, para aqueles, óbvio, que se reconectarão naquele momento. Nós não podemos lhes esconder, certamente, que inúmeros de seus Irmãos e Irmãs que não se reconectarão nesta ocasião, deixarão operar neles as forças as mais baixas concernentes à personalidade e cujas ações estarão, certamente, em total contradição com o que vocês vivem ou viverão. 


O ser humano dará a impressão de se debater em si mesmo, com seus próprios limites, sem ter a possibilidade de perceber o ilimitado (e, pois, de se Abandonar), por um mecanismo de incompreensão que, lamentavelmente, terá sido empreendido sabiamente por aqueles que controlavam o Sistema de Controle do Mental Humano. Vocês não têm de se preocupar com isso.

Vocês não têm de trazer qualquer inquietude sobre isso, mas lembrarem-se que é justamente por isso que vocês se reconectaram que vocês vão permitir atenuar a cólera e tudo o que pode se opor à Luz.

Mesmo se minhas palavras lhes parecem, neste momento, difíceis de viver, vocês verão por si mesmos que, após esse dia preciso de amanhã (22-09-2012), vocês começarão, se já não começaram, a viver isso de maneira totalmente natural e espontânea. Vocês não têm, pois, a se questionarem em relação a isso, mas bem mais, a perfazer seus Alinhamentos e é por isso que, desde amanhã, o trabalho de Alinhamento não será mais somente um momento dedicado à Ancoragem da Luz, a deixar operar a Onda da Vida, mas bem mais, um trabalho de estabilização, de atenuação. E não há outra atenuação possível que restabelecer esta Multidimensionalidade e, pois, o acesso a nossos Planos, aqui mesmo onde vocês estão.


Toda a alimentação lhes será dada, em nossos contatos e nossas Comunhões. Vocês constatarão, por si mesmos, que vocês não têm necessidade de outra coisa que de restabelecer isso. Tudo o que é necessário estará aí, pondo fim, se isso existe em vocês, às últimas interrogações, aos últimos medos, às últimas apreensões do que deve advir porque vocês viverão, de antemão, o que vem, mudando radicalmente seu modo de ver e de perceber este período, através da vivência de nossos Encontros, instalando-os na Verdadeira Vida, mesmo em meio à vida ilusória.

É durante este período que os eventos da Terra, e os seus eventos, vão tornar-se mais evidentes, concernindo a Luz, como concernindo suas últimas mudanças. Daqui de onde nós os vemos, nós não temos nenhuma dúvida sobre esse acontecimento. Vocês também não as terão, do mesmo modo, mais nenhuma. Não adianta nada se perguntar sobre o mecanismo de Ascensão de vocês, porque é muito exatamente o que vocês viverão, durante este período. E, segundo o que nasceu em vocês nesses últimos anos, ou o que nascerá, vocês deduzirão daí muito facilmente o que se desenrola em vocês e ao redor de vocês, e para vocês.

Vocês verão por si mesmos (se já não viram), que a Luz é a resposta a tudo, e que mais vocês se afastam de suas próprias respostas, mais a resposta da Luz é evidente e clara. Mais vocês se afastam dos desejos efêmeros, mais a consciência de vocês esclarece a diferença entre o ilusório e a Verdadeira Vida. Vocês não terão, então, mais nenhuma dificuldade em deixarem-se guiar e moldar pela Luz Vibral e o Amor. 


Eu os recordo que o Amor Vibral é um Fogo, um Fogo que forja, que torna Eterno: é a Reconexão. O melhor modo de compreender o que chega, é vivê-lo. E, para vivê-lo, é preciso justamente fazer cessar toda vontade de compreensão, pois a compreensão não é trazida pelos mecanismos exteriores, mas sim pelos mecanismos Interiores desta Luz, após o Aviso.

Os acontecimentos geofísicos, múltiplos e numerosos, traduzem a interpenetração do Éter falsificado da Terra com o Éter Azul da Multidimensionalidade. É a interação entre esses dois Éteres que dará conta dos fenômenos (que já foram descritos) como o Canto do Céu e o da Terra, que muitos de vocês perceberam, por intermitência, por momentos, mas que se torna o Canto Interior da alma e do Espírito reencontrados. Este Som é um Testemunho: ele é Testemunho da ação da Luz e, pois, ele lhes informará.


Quer vocês sejam Chamados pelo nome de vocês, quer esses Sons se modulem de modo intenso, a resposta é a mesma: é o Apelo e o Canto da Vida. Este Apelo da Luz que se tornará cada vez mais presente. Ninguém pode opor-se ao Canto da Vida, às Trombetas do Céu e da Terra. É justamente a crença na possibilidade de se opor a esta Frequência, a estes Cantos, que se criará a perturbação, porque nenhuma frequência das que lhes são conhecidas pode resistir a esta nova frequência.


Todas as desordens decorrem daí. E estas desordens decorrem, certamente, do medo, da ignorância. E é aí que é preciso mostrar a indulgência de vocês. É aí onde não se deve julgar. É aí onde é preciso vigiar em reforçar o que foi recebido, deixando-o simplesmente ser recebido de maneira Livre, sempre. É assim que a presença de vocês sobre a Terra será (mesmo se vocês não veem) um bálsamo, um bálsamo aplicado sobre todo sofrimento, todo medo.

O que eu exprimi, explicando-lhes minha vida e minha Tensão para o Abandono, é o que será operado em vocês. Quanto mais vocês aquiescerem e aceitarem e disserem
“sim”, quanto mais vocês se encherem de Luz e, logo, de Amor; mais vocês se tornarão Transparentes e, finalmente, invisíveis a este mundo. É da qualidade do que vocês estabelecem aí que se desenvolverá, eu diria, seu modelo Ascensional, que lhes é próprio. Não adianta nada defini-lo, ou definir suas vias, porque a Inteligência da Luz os fará vivê-lo diretamente, extraindo-os assim de toda projeção e do todo desejo. Assim, pois, viver a Verdadeira Vida se anuncia com muito mais facilidade para vocês.

E, quaisquer que sejam as aparências da dificuldade inicial, retenham que em muito pouco tempo, isso acabará nessas manifestações penosas. Porque toda resistência é vã e nenhuma consciência pode se subtrair aos fenômenos precisos que estão em curso. 

O sentido de minha intervenção é justamente de atrair a atenção de vocês para esses momentos, e de sempre ter presente na consciência que estando reconectados, se aparecer uma dificuldade para vocês (qualquer que seja a atividade de sua vida ilusória), lembrem-se que vocês estão conectados e que não há limites, de tempo ou de espaço, para nossa Manifestação em vocês, ao seu lado. E nossa Ação, em vocês e a seu lado.


Toda força, vocês a encontrarão aqui. Vocês não a encontrarão em nenhuma gesticulação, em nenhuma atividade mental ou em nenhuma necessidade de preservação do que quer que seja. Todo o resto aparecerá espontaneamente e naturalmente.

Vocês constatarão, aliás mesmo, que suas necessidades ordinárias e fisiológicas tornar-se-ão cada vez mais leves e cada vez mais fáceis de satisfazer, que, pouco a pouco, a atividade mental, no seio da ilusão, se re-centrará na Luz. A consciência se desobrigará, mais e mais (independentemente de todo desejo ou vontade), dos elementos usuais da vida. Não são vocês que decidem: é a Luz.

E as circunstâncias exteriores deste mundo serão tais que, de todos os modos, vocês não terão outra escolha que de se interessarem ao que vocês São e refinar sua Reconexão porque, certamente, tudo o que é ilusório (e isso vários Anciões lhes deram os mecanismos) não será mais um reflexo vital (nem mesmo essencial), como se as regras do jogo, pela Ação da Luz, mudassem da água para o vinho.


Essas regras que, para vocês, certamente serão aceitáveis e facilitadoras, riscam de ser bem outra coisa para a maioria dos Irmãos e Irmãs que não quiseram ver (ou que não têm os meios de ver), Interiormente.


Eu encerrarei minhas palavras. Em relação ao que eu disse, se vocês têm necessidade de outros elementos, eu estou a sua escuta.


Questão: alguns que trabalham desde alguns anos para a Ascensão estão atualmente como que desencorajados, pois lhes parece que não se passa nada do que foi anunciado.
A atmosfera Vibratória me diz isso: todo ser humano que vive a impaciência e o desencorajamento, de fato está somente na vontade de fugir do que é para viver. Todos os anúncios, e, em particular, aqueles que foram dados pelo Comandante, tudo o que foi previsível e previsto, que não aconteceu, corresponde simplesmente a um tempo de preparação mais intensa.

Mas, tudo isso será rapidamente esquecido, desde o instante em que os acontecimentos em questão se manifestarem claramente para vocês, aí onde vocês estão. Não esqueçam que suas circunstâncias de vida são profundamente diferentes entre a Europa e os territórios que são tocados pelos Elementos.


O ser humano tem a particularidade de olhar, claro, suas condições de vida para si e ao seu redor. Se ele não é afetado por isso, ele não verá o que se passa em outro lugar. Do mesmo modo, retenham bem que todo esse tempo não é nada em relação ao conjunto dos ciclos que foram levados no confinamento. E mais os dias vão se passar, mais vocês constatarão esse mecanismo de negação: é o Choque.

O Choque é recusar a Verdade porque aquele que não vive os mecanismos da consciência pode apenas confiar em palavras e não na Vibração. Aquele que confia na Vibração da consciência (porque ele a vive) não pode conservar nenhuma ilusão sobre a Ilusão: é o que vocês vivem. Aqueles que se desviam são os que, em definitivo, ou não vivem ou rejeitam o que eles vivem, porque isso subentende ser posto em face de seus próprios apegos, de seus próprios ideais de busca no seio de uma ilusão, de uma vida ou de uma Idade de Ouro.

É muito difícil, para o ser humano (se ele não viveu o Abandono à Luz e o Abandono do Si), de se estabelecer em sua Eternidade e de aceitar esta Eternidade. O ser humano se apegará sempre ao que ele pode tocar e experimentar, no sentido mais comum. Mas, se ele não tem acesso ao Estado de Ser, se ele não tem acesso às Vibrações, quais são os elementos, para ele, de certeza, excetuados os que são vividos?


Por outro lado, desde o ano precedente, nós lhes dissemos para não fixarem-se em nenhuma data. Muitos Irmãos e Irmãs estão impacientes. Muitos Irmãos e Irmãs (eu diria, em número muito mais importante) têm medo, mesmo se eles não querem admiti-lo, confessá-lo, porque aquele que está no Amor, verdadeiramente, não pode experimentar o mínimo medo do que quer que seja, qualquer que seja o acontecimento (ou o não-acontecimento).

Seria, por outro lado, indispensável que a maioria dos Irmãos e Irmãs que têm, se o posso dizer, aderido ao que nós dissemos, estejam eles mesmos na vivência do que foi dito. E que aqueles que não viviam nada no momento, seria largamente preferível para eles de se desviar do que nós lhes passamos, porque isso teria sido, de todo modo, extremamente confrontador para a maioria deles. Isso quer dizer, ler coisas e não vivê-las é uma frustração.

Ler coisas e fiscalizar o ambiente, se elas não são apoiadas precisamente sobre esta noção temporal, são muito difíceis de viver para o humano. O humano procurará sempre uma data e uma prova enquanto ele não estiver no Coração. Aquele que Vibra o Coração (seja no Si ou no Abandono do Si) está realmente na Morada da Paz Suprema.


E eu diria mesmo que neste momento, se um evento acontece ou não, isso não muda estritamente nada. Simplesmente, se nós insistimos sobre o Choque é que os elementos que nós vimos não se passam mais em um futuro provável, porque (como o Comandante lhes disse) o que nós vemos não corresponde ao que vocês veem. Mas, mesmo estas linhas, hoje, não existem mais.


E é por isso que esta data foi dada como um fator de Alinhamento Interior. Então, claro, haverá sempre Irmãos e Irmãs que vão perscrutar neles ou no mundo, um acontecimento que eles vão qualificar de tangível. Mas, a coisa mais tangível é o Amor que vocês vivem, ou não. Todo o resto não é mais que o reflexo da agitação do mental, que procura, no exterior de si, uma razão de esperar, mais que uma razão de viver o que é para Viver.

Como o Comandante lhes disse: há prazos. Inúmeros prazos foram dados, correspondentes a ciclos. Há outros prazos, agora, que não são função da Terra (como nós sempre dissemos), nem mesmo da resposta de vocês, mas que são função, agora, do Céu e não mais da Terra. Porque, como nós lhes dissemos, desde o instante em que a Liberação da Terra se exprimiu (em vocês, em alguns de vocês) a Terra disse “sim” e então, as rupturas de linhas temporais, possíveis, estavam realizadas.

Agora, isso não depende nem da Terra, nem de vocês. Isso depende unicamente de um relógio que é cósmico. Mas, a dúvida, em todo ser humano, será sempre o reflexo do não vivenciado do Amor Vibral no Coração. Porque aquele que está estabelecido no Si (e além do Si), qual importância isso tem para ele, para o mundo? Ele encontrou a Eternidade.

Eu diria mesmo que seria indispensável que após o primeiro entusiasmo (desencadeado pelos mecanismos de Núpcias Celestes), que os povos menos prontos a se abandonar, que se desviem do que nós teríamos a dizer, e que os povos que seriam os mais prontos a se abandonar, que reforcem sua vivência. Eis o que eu posso dizer.


Questão: viver a sincronicidade é dizer “sim” seja a quem for ou o que lhe propor?
Meu Irmão, é exatamente isso. Mas, eu diria que é preciso, antes de tudo, viver o Coração, a Vibração do Coração, viver o Canal Mariano, a Onda da Vida. Senão, tu arriscarias dizer “sim” a qualquer coisa. Ora, quando a Inteligência da Luz está ativa, totalmente, a resposta será sempre “sim” ao que é proposto, porque o que será proposto será feito sempre pela Inteligência da Luz, mesmo se isso não pode ser compreendido ou aceito pelo mental, em um primeiro momento.

Sempre, a Inteligência da Luz operacionalizará o que é necessário e útil, para a Luz, mesmo se em um primeiro momento isso possa parecer estritamente oposto, mesmo se, no início, isso possa ser um sofrimento, uma ruptura ou qualquer coisa de perturbador. Mas, a faculdade de dizer
“sim”, certamente, é, bem evidentemente, um acontecimento maior no Abandono do Si.

Questão: o que significa o fato de ter sido chamado sem perceber o que quer que seja?
Quem disse que necessitaria perceber o que quer que fosse? O Apelo é o Apelo. O Apelo é simplesmente ouvir seu nome e ser chamado. Nada mais. É sempre o mental que gostaria de ver coisas extraordinárias, perceber coisas inabituais. Mas, o Apelo em si mesmo é simplesmente o nome que é ouvido. Por que querer acrescentar elementos de decoração, de forma, de cor? O Apelo se realiza, o mais comum, à noite, ou seja, quando seu mental e sua vigilância adormeceram, para ter menos impacto perturbador.

Porque é nesses momentos (em que o mental está ausente e no sono) que vocês são mais permeáveis ao nosso Encontro. Não há necessidade de discursos, de imagens ou de fenômenos misteriosos: há simplesmente a necessidade de perceber o Apelo. O fato de que vocês sejam cada vez mais numerosos a terem sido chamados lhes confirma a iminência do Apelo de Maria.


Questão: durante os últimos momentos, seremos guiados pela Luz para saber como ajudar os outros?

Minha Irmã, eu expliquei bem que toda vontade de ajuda é uma vontade do mental e da personalidade. A Luz ajuda por si só. A ação justa decorrerá da Luz e não de saber como ajudar.

Nós não temos mais questionamentos, nós a agradecemos.


Irmãos e Irmãs no seio desta assistência, nós vamos dar Graças por nosso Encontro e, pessoalmente, eu rendo Graças pela escuta de vocês, por sua benevolência. Eu lhes digo: até mais tarde.



Mensagem de no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1613

21 de setembro de 2012

(publicado em 22 de setembro de 2012)
Tradução para o português: Dionéia Lages



M.M - http://minhamestria.blogspot.com.br
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/